conecte-se conosco

Esperançar

DOSES DE ESPERANÇA

Publicado

em

A tão sonhada hora chegou, os profissionais de educação começaram a ser vacinados, estes que fazem parte do décimo segundo grupo prioritário de vacinação do Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde.

Após muita tristeza, onde muitos trabalhadores da área da educação perderam suas vidas aqui na cidade de Paranaguá e também em todo o mundo, a chegada da vacina parecia algo distante da realidade, mas a partir de hoje uma nova trajetória se inicia, trazendo doses de esperança para todos. Com isso, pode-se voltar a sonhar com lecionar em sala de aula, pois sabe-se que a educação se realiza no processo de ensino-aprendizado e acontece melhor em um ambiente onde há vínculo.

Apesar da enorme trajetória que se tem a percorrer para que isso aconteça de fato, de modo seguro, a escola para grande parte das crianças, jovens e adultos do sistema público de educação, além de ser a única esperança, é o espaço mais seguro e muitas vezes possível de estudar. Não será uma fase fácil e simples de lidar, tanto para o ambiente escolar que teve de ser totalmente modificado, onde novas regras terão de ser impostas, mas também para os professores e alunos que se reencontrarão abalados emocionalmente, porém sabe-se que o ambiente escolar é importante para o desenvolvimento de competências socioemocionais: a criança aprende a se relacionar com outros, conviver com as diferenças, trabalhar em grupo, expor ideias e argumentos, e ter resiliência para encarar problemas.

Por parte da escola, observa-se que há uma demanda maior por planejamento, a gestão foi desafiada, e isso pode sim deixar um legado importante, porque a gestão é fundamental. Foi desenvolvido o fator da criatividade, da flexibilidade e de criar soluções em ambientes não ideais.

Até que tudo isso aconteça e até que a última pessoa esteja vacinada, sabe-se que não estaremos totalmente seguros, mas as vacinas são esperança para que possamos voltar a um novo normal. As doses de esperança foram implantadas no coração não só dos professores e profissionais de educação, mas também no coração de todos os parnanguaras!

Continuar lendo
Publicidade

Em alta