Connect with us

Meio Ambiente

Jacaré-de-papo-amarelo é avistado no bairro Porto Seguro

Bióloga registra o aparecimento do animal e explica se há risco para a população

Publicado

em

Um jacaré-de-papo-amarelo começou a ser avistado há cerca de duas semanas por moradores no bairro Porto Seguro, em Paranaguá. A bióloga e educadora ambiental, Fernanda Felisbino, registrou a presença do animal em fotos e vídeos e destaca que a espécie não apresenta risco à população, se não for perturbada.

Ela conta que o animal silvestre encontrado era juvenil, tinha aproximadamente 1,5m de comprimento e pode atingir até três metros quando adultos. “Esses animais são comuns em bacias litorâneas nos rios da Mata Atlântica e, por isso, foi possível seu avistamento no Rio da Vila, no bairro Porto Seguro, afluente do Rio Itiberê”, afirmou a bióloga.

Espécie apareceu no Rio da Vila e foi avistada por populares (Foto: Fernanda Felisbino)

Segundo ela, o avistamento de predadores sempre causa comoção, seja por curiosidade ou por medo. Mas vale lembrar que o jacaré-de-papo-amarelo não apresenta risco algum para a população, desde que não seja perturbado.

“Ressalto que o Artigo 24, do Decreto Federal n.º 6.514/2008, declara como crime contra a fauna quem ‘matar, perseguir, caçar, apanhar, coletar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente. Com a pena variando entre detenção de seis meses a um ano e multa”, ressaltou Fernanda.

De acordo com a bióloga, o crescimento populacional da espécie encontrada incide na expansão sobre a natureza. “O que implica na boa convivência com animais silvestres que, corriqueiramente, irão aparecer em ambientes urbanos. Nós vivemos no meio de um dos biomas mais ricos do Brasil e que, infelizmente, foi devastado ao ponto de restar apenas cerca de 7% da cobertura original de vegetação (WWF). Ainda assim, espécies como o jacaré-de-papo-amarelo são resilientes e sobrevivem. Vamos respeitar e cuidar da nossa natureza, nós fazemos parte do meio ambiente e precisamos entender que o papel do ser humano é preservar”, declarou Fernanda.

Mais sobre a espécie

Os jacarés, como todos os répteis, são ectotérmicos (comumente chamados de sangue frio), pois se aquecem de acordo com a temperatura do ambiente. “Quando o clima está mais frio eles ficam em repouso na beira de rios e lagoas para poderem se aquecer com os raios solares”, explicou a bióloga.

Além disso, são animais carnívoros de topo de cadeia, importantes para o equilíbrio populacional das suas presas que variam entre peixes, aves e mamíferos. “Geralmente se alimentam de animais mais velhos ou doentes que não conseguem escapar de seus ataques, fazendo a manutenção do ciclo de vida biológico natural”, concluiu Fernanda.

Fotos: Fernanda Felisbino