Connect with us

Coronavírus

Médico alerta para o aumento dos casos de Covid-19 em Paranaguá

Indivíduo pode transmitir o vírus sem saber que está infectado

Publicado

em

O primeiro caso de Covid-19 em Paranaguá foi confirmado no dia 2 de abril.  Cerca de 45 dias depois, a cidade registra o índice de 34 moradores infectados. Os números, de acordo com o médico em Paranaguá, Dr. João Felipe Zattar, indicam que há a subnotificação da doença, ou seja, há muito mais casos. Isso acontece porque nem todas as pessoas infectadas pelo vírus apresentam sintomas e, desta forma, não procuram atendimento médico para realizar o teste. No entanto, podem infectar outras pessoas.

“Não há testes para todo mundo. Não só aqui em Paranaguá, como no Brasil todo. O Brasil é o País que tem testado menos no mundo. Esse número de 34 pessoas que tiveram a doença, com certeza, não é o número real. Sabemos que há muito mais na nossa cidade”, afirmou o médico Dr. João Zattar.

O médico toma como base o que ocorreu em outros países para analisar o comportamento e o contágio da doença. “O Coronavírus tem uma taxa de letalidade, isso eu digo de países que testaram muito como Alemanha e Coreia do Sul, em que a cada 100 pessoas, uma a duas morrem. Hoje, temos três mortes em Paranaguá, o que indica que tenhamos mais de 100 pessoas com Covid-19. O que nos assustou é que isso ocorreu de forma súbita, há alguns dias tínhamos cerca de dez casos confirmados. Em uma semana, esse número saltou para cerca de vinte e poucos e, em um fim de semana, saltou para 34 casos. Hoje, a taxa de confirmação é de um caso por dia”, alertou Dr. Zattar.

Segundo ele, se a pandemia seguir seu curso natural sem intervenção da sociedade diante disso, a chance é que haja o dobro de casos a cada cinco dias. “Se não cumprirmos o isolamento em Paranaguá nem a quarentena, a pandemia vai dobrar a cada cinco dias. Isso pode parecer pouco agora, pois estamos falando de uma população de 140 mil pessoas. Mas, daqui a 40 dias, podemos ter 256 novos casos por dia se não fizermos nada”, destacou o médico.

Cumprir as recomendações de distanciamento social e de higienização das mãos, de acordo com o médico, não vai fazer com que a pandemia acabe mais rápido em Paranaguá. Mas, vai evitar que muitos moradores se tornem vítimas fatais da doença. “Como fazer com que a pandemia acabe mais cedo na cidade? Se todo mundo sair nas ruas e viver a vida normal, pode ser que ela acabe mais cedo, mas teremos mais de quatro mil mortes. Significa que cada família perderia alguém que ama na cidade”, alertou o médico.

Desta forma, a tendência, para ele, é que nos próximos dias haja cada vez mais casos de Covid-19. “Vai haver naturalmente esse aumento de casos, infelizmente”, evidenciou Dr. Zattar.