conecte-se conosco

Paraná Empreendedor

Startup de Francisco Beltrão promete reduzir as filas de consultas com médicos especialistas no SUS

Iniciativa conjunta de dois médicos e um engenheiro de software testada com sucesso ataca pontos críticos do sistema: má distribuição especialistas no país; absenteísmo; encaminhamentos precários da atenção básica

Publicado

em

Cerca de 170 milhões de brasileiros utilizam o Sistema Único de Saúde (SUS) como única forma de acesso a serviços de saúde. Um terço deles vive em regiões onde não há médicos especialistas. Mesmo em regiões desenvolvidas, a mão de obra especializada não consegue dar vazão à demanda de consultas. Em consequência, há filas de espera e o agravamento de doenças, cuja abordagem precoce poderia resolvê-las mais facilmente.

Dois médicos e um engenheiro de software decidiram pesquisar a origem das filas de consultas com especialistas e identificaram três problemas: distribuição heterogênea de especialistas no território nacional; absenteísmo; encaminhamentos incorretos procedentes da atenção básica.

Eles desenvolveram uma plataforma com a intenção de mitigar essas adversidades. “As soluções propostas sempre procuram atacar o tamanho da fila, mas se preocupam pouco com a origem delas. É nesse ponto que a Agilizamed quer atuar”, explica o ortopedista Mario Martins Neto, um dos fundadores da startup.

Diogo Kussakawa, ortopedista e diretor de marketing da Agilizamed, diz que a plataforma busca facilitar a comunicação entre o clínico geral, de qualquer unidade de saúde, e um médico especialista, de qualquer lugar do Brasil. “Os dois profissionais trocam informações e definem o melhor caminho a seguir para cada paciente, em menos de 24 horas”.

A plataforma traz um guia inteligente de atendimento, no qual o clínico geral segue um passo a passo para construir o histórico do paciente, com poucos cliques e de forma rápida e protegida. “Do outro lado, o especialista analisa as informações e emite um parecer formal, com a conduta mais apropriada para o caso”, relata Cledson Lodi, desenvolvedor da plataforma.

Na visão dos sócios, a aplicação de filtros precisos de encaminhamento refrearia a entrada de novos pacientes na fila, e ao diminuir o tempo de resposta do especialista para menos de um dia, a expectativa é atenuar o impacto do absenteísmo.

Com a tecnologia, a Agilizamed quer quebrar fronteiras e levar o conhecimento de especialistas para áreas remotas, o que contribuiria para reduzir a desigualdade de acesso à saúde.

Testada em um município do sudoeste do Paraná, a solução reduziu a fila de consulta com ortopedista em 83% e o tempo médio de espera caiu de 90 para 7 dias.  A solução parece promissora. Se funcionar em grande escala, pode ajudar milhões de pessoas.

Continuar lendo
Publicidade