conecte-se conosco

Paraná Empreendedor

Em se plantando, aqui tudo se colhe

Com quase metade das florestas plantadas de pínus do país, Paraná é grande produtor e exportador de resina vegetal e subprodutos como a colofônia, aplicada em uma infinidade de produtos

Publicado

em

Paraná empreendedor

Em conversa com amigos empresários que fazem reflorestamento de pinus, me surpreendi ao saber do importante mercado da resina produzida por florestas, em especial para o mercado de madeira, papel e papelão.

Pesquisas mostram que já no século IV a.C., a colofônia, produto derivado da resina vegetal, era utilizado em armamentos e no comércio na Grécia, Macedônia, Ásia Menor e Egito.

Numa época em que a importância de um país estava diretamente ligada aos recursos florestais, o alcatrão e a colofônia eram utilizados para a calefação dos barcos de madeira, impermeabilização de cordas e lonas. E também como combustível para tochas. Há registro de que os romanos apreciavam vinho aromatizado com colofônia.

Até a década de 80 o Brasil importava esses produtos, mas tornou-se grande exportador a partir de 1989 (Revista Madeira – Edição 69).

Pela importância econômica da resinagem de pinus, a facilidade de industrialização da resina bruta, além da diversidade de aplicação dos subprodutos, quem planta pinus, como atividade econômica, tem um forte fator de aumento de renda a partir da resina. Para alguns, já se tornou mais do que uma fonte de renda complementar à própria madeira.

Há uma prática de mercado que garante renda extra aos produtores de resina. Empresas resineiras que alugam árvores, em média por 15 anos, e pagam aos proprietários até 30% da resina produzida. 

O Brasil é o maior exportador mundial de resina de pinus, com 70% de sua produção anual de 200 mil toneladas colocadas no mercado. O Paraná é o terceiro maior produtor e exportador. O Vale da Ribeira é a região de maior produção (PR e SP).

Portugal é o maior comprador de breu brasileiro e o maior distribuidor para a Comunidade Europeia.

Surpreende a diversidade de usos da colofônia: produção de alimentos, produtos de beleza, tintas e adesivos, instrumentos musicais de cordas. A medicina fitoterápica também faz uso do breu. Cabos de aço de elevadores têm aplicação do breu, para dar aderência. Sua utilização se faz presente na medicina popular, para tratar dores de cabeça, descongestionamento nasal, como repelente de insetos, dentre outros.

É mais uma atividade econômica em que o nosso Paraná é um grande player no mercado.