Connect with us

Eleições 2020

“Geração de Emprego e Renda” é o terceiro tema abordado pelos candidatos a prefeito

Postulantes ao cargo máximo do Executivo divulgaram suas propostas

Publicado

em

Na edição de hoje, a Folha do Litoral News traz o terceiro tema da série de entrevistas com os candidatos a prefeito nas Eleições Municipais 2020, em Paranaguá. Desta vez, eles irão abordar o assunto “Geração de Emprego e Renda”, área de interesse de muitos cidadãos de Paranaguá, jovens e adultos, que buscam uma oportunidade do mercado de trabalho, geração de renda e, consequentemente, movimentação positiva da economia local.

Todos os candidatos tiveram o mesmo tempo, de até dois minutos, para discorrerem sobre seu plano de governo na área em questão. Além de veiculação no meio impresso, as entrevistas ficarão disponíveis no portal da Folha do Litoral News no endereço www.folhadolitoral.com.br, assim como a versão em vídeo. Confira:

Marco Sukita (PV) concorre com o candidato a vice-prefeito Lucio José Teodoro (PV)

“Aqui em Paranaguá todos sabem que a maior dificuldade é o sistema ambiental. Para isso, fui me preparar melhor para hoje trazer uma proposta de qualidade ao povo parnanguara. O que seria? Precisamos de verdade tirar do papel o Parque Industrial, aquele parque é para atender as demandas de Paranaguá e também precisamos regularizar isso junto com o Urbanismo e Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Para isso, temos que implantar o Meio Ambiente Paranaguá. O que significa isso? Nós teríamos que fazer o licenciamento ambiental, não depender muito do Estado, para isso temos que montar uma equipe técnica, já existe, não vou dizer que não existe, mas para melhorar o trabalho feito em Paranaguá. Se não preparamos a cidade para onde ela vai crescer a gente não pode pensar em geração de emprego. Na área ambiental precisamos dar cursos de pá-carregadeira, curso municipal na área de gestão ambiental gratuito. É isso que queremos fazer em Paranaguá, dar uma oportunidade para que os empresários venham até a cidade de Paranaguá e consigam se instalar para gerar mais emprego e renda e diminuir as taxas de alvará, regularizar isso. Tem empresa pagando muito pouco e tem empresa pagando muito o alvará e as taxas municipais. É para isso que eu quero ser prefeito de Paranaguá.”

Dr. Manoel Barbosa (PCdoB) concorre ao lado da candidata a vice-prefeita Esmeralda Quadros (PCdoB)

“A questão do emprego é fundamental em Paranaguá. Se chegarmos ao terminal de ônibus e perguntarmos para a juventude ali quem tem curso de técnico do porto, de empilhadeira, de apontador, grande parte dos jovens vai levantar a mão, mas não existe emprego para esta juventude. Então a juventude faz muitos cursos, mas não existe vagas de trabalho. Defendemos a criação do plano emergencial de emprego pós-pandemia, que é uma necessidade da cidade e que podemos abrir frente de trabalho para as pessoas desempregadas e que precisam gerar renda e essa renda vem para o nosso comércio e serviços e é fundamental. Temos que criar também um plano de atração de empresas para o município com um Parque Industrial que respeite o meio ambiente, mas que crie empregos no município. Somente com a criação de empregos o município terá ares progressistas e conseguirá se desenvolver realmente como outras cidades que têm planos como Campo Largo, Quatro Barras, São José dos Pinhais e Pinhais. O município de Paranaguá fica perdendo muitas empresas que poderiam ser atraídas para cá e não são por falta de um plano de uma Secretaria de Desenvolvimento para atração de empresas ao município. Além disso, é importante o apoio aos operadores portuários para que eles realmente possam desenvolver os seus trabalhos, mas a geração de empregos para o trabalhador de Paranaguá é fundamental, e não para trabalhadores que são importados de fora, como no caso da construção civil, em que muitas vezes as empresas trazem trabalhadores de fora e não utilizam a mão de obra local.”

Julinho Lima (PATRIOTA) concorre ao lado da candidata a vice-prefeita Roselaine Barroso Ferreira (PATRIOTA)

“Essa é a nossa grande cereja do bolo. O nosso lema de campanha é emprego, emprego e mais emprego. Nas minhas últimas férias na prefeitura, pois sou servidor público municipal com muito orgulho, visitei empresários indianos, franceses, holandeses, atrás de postos de trabalho para que no nosso primeiro ano de governo se instale em Paranaguá uma empresa indiana de softwares, uma empresa francesa de resorts, uma holandesa para construção naval, já que Paranaguá tem a mão de obra relativa ao porto, com certeza vai saber tratar da construção naval. Como prefeito, não ficarei sentado na cadeira, vou atrás de todo investimento que Paranaguá precisar. Quem quiser se instalar em Paranaguá darei toda a condição a nível de prefeitura. Quem quiser investir em Paranaguá será abraçado por mim como prefeito e pela cidade.”

Adriano Ramos (Republicanos) concorre na Coligação Nova Paranaguá (Republicanos, DC, PTC e Avante) junto ao candidato a vice-prefeito Marcio Vega, o “Marcio da Max Espetos” (Avante) 

“Um dos nossos pontos, das frases que utilizamos é que Paranaguá continua no século XIX. Nós vamos tirar Paranaguá do século XIX, mandar o 19 embora e ir para o século XXI. O que isso significa? Primeiro, precisamos ter o nosso Parque Industrial, ou Complexo Industrial ou Distrito Industrial. Estamos definindo como vai ser este nome, mas nós construiremos esta área industrial para que as empresas possam vir para cá. Eu estive, recentemente, em Ponta Grossa para visitar o Distrito Industrial, confesso que fiquei arrepiado, porque aquela área do Distrito Industrial de Ponta Grossa tem toda a infraestrutura necessária, com as rotatórias, vias de acesso, marginais e com empresas que tomaram conta de Ponta Grossa e levaram desenvolvimento ao município. Agora, um comparativo entre Ponta Grossa e Paranaguá: Ponta Grossa tem 197 anos, Paranaguá é a mãe do Estado, aqui nasceu o Paraná, com 372 anos. Ponta Grossa tem 350 mil habitantes, Paranaguá 152 mil, aqui o desenvolvimento não ocorreu, apesar de nós termos um Porto fantástico, que gera muito emprego e isso é muito importante. Nós vamos fazer o nosso Parque Industrial, é ponto de honra, e nós não vamos criar o Parque Industrial, fazer esta mudança no Plano Diretor, para que isso seja possível e somente criar. Não, nós vamos ter alguém na Secretaria de Trabalho, Indústria e Comércio e Assuntos Portuários que é extremamente capacitado, uma pessoa que foi diretor de várias empresas em Paranaguá, conhece os portos do mundo e ele vai nos ajudar a fazer visita nas empresas para que elas venham a Paranaguá. Nós temos certeza de que nós vamos criar o maior programa de geração de emprego, isso para as grandes empresas que estão na área ZIP, onde nós faremos as mudanças para deixar equiparado a Santos, para que as empresas possam ter uma capacidade maior de investimento.”

Alceu Maron Filho (PROS) concorre pela coligação Paranaguá de Todos (MDB, PROS e Solidariedade) ao lado do candidato a vice-prefeito João Cláudio Marques (MDB) 

“Esse é o ponto principal do nosso plano de governo. O maior drama hoje na casa dos parnanguaras é o desemprego. Se um pai ou uma mãe de família não estiver desempregado, no mínimo um ou dois dos seus filhos pode estar, e eu não posso ver a Prefeitura de Paranaguá omissa nesse ponto como é hoje. O emprego depende de condições de economia internacional e nacional, mas aqui o município tem um papel fundamental. O papel da geração de empregos, de dar oportunidades a cooperativas de trabalho na área têxtil, agricultura, pesca, artesanato, existem tantas pessoas com habilidades, mas o Poder Público não as reúne, não dá um primeiro financiamento e essas pessoas ficam desarticuladas, paradas em casa, embora com um grande talento. Incentivar isso, geraria empregos e renda. O Poder Público precisa ser parceiro desse micro e pequeno empresário e não um sócio indesejado. No ponto de vista macro, podemos voltar a atrair as indústrias que Paranaguá há 30 ou 40 anos não consegue mais trazer para a cidade. Temos que aproveitar a potencialidade do nosso porto com um projeto adequado, com uma prefeitura que saiba oferecer a cidade para o Brasil e para o mundo e voltar a atrair grandes empresas que geram emprego em larga escala.”

José Baka Filho (PDT) concorre pela coligação Trabalho e Liberdade: Construindo uma Paranaguá para frente e melhor (PDT e PT) ao lado do candidato a vice-prefeito, Ubirajara Maristany (PT) 

“Vivemos um momento muito difícil na economia brasileira. O País atravessa uma crise muito forte por conta da pandemia e também da grave crise econômica. Não só o Brasil, o mundo está sofrendo com tudo isso e Paranaguá não é diferente. Embora a atividade portuária tenha prosseguido de uma maneira forte, os produtos continuam sendo exportados, a gente continua fazendo as importações necessárias, o comércio sentiu muito. Os pequenos comerciantes acabaram perdendo a sua fonte de renda, muitas lojas fecharam, por isso temos que pensar em injetar recursos na economia, visando a retomar o atendimento do micro e pequeno empresário. A geração de emprego em Paranaguá é muito ligada à atividade portuária, mas precisamos criar programas alternativos. Por exemplo, nós temos uma cidade histórica e turística, o que tem sido feito de bom ou de programas do Governo Municipal para estimular o turismo histórico, religioso, ou seja, todas as espécies de turismo que nós podemos agregar em Paranaguá. O que tem sido feito? Pouca coisa. Temos um programa dentro do nosso plano de governo voltado a isso. A nossa cidade é histórica, nós temos que voltar a atrair as pessoas para cá. Temos o aquário marinho, que está com o seu entorno abandonado há oito anos. A atual gestão não teve a capacidade nem a articulação para concluir essa obra. Nós vamos concluir essa obra e também fortalecer e recuperar a Rua da Praia, que é a nossa joia, vamos criar o caminho da história em Paranaguá. Com isso, fortaleceremos o turismo que é a indústria sem chaminé, que gera emprego e renda nas cidades sem poluir. Nós conseguiremos readequar efetivamente, criando empregos justamente nessas áreas também.”

Emmanuel Lobo (PCO) concorre ao lado do candidato a vice-prefeito, Marcos Antônio (PCO)

“Tenho visto muitas promessas dos candidatos, sobretudo da direita, que deu o golpe de Estado, candidatos do DEM e do Podemos, em Paranaguá, dos partidos de direita que deram o golpe de Estado, que destruíram a Petrobras, entregaram nossas estatais aos estrangeiros, falando em criar empregos. Para criar empregos é preciso ter um programa para os trabalhadores, os programas colocados pelos governos federal, estadual e municipal são para os capitalistas. Não tem como falar em criar emprego com uma política econômica que está destruindo o emprego, pela primeira vez na história do País nós temos mais desempregados que empregados. Por isso, para defender a criação de empregos é preciso defender as reivindicações fundamentais dos trabalhadores, lutar contra o golpe de Estado e contra os governos que aí estão. Os prefeitos da esquerda nem serão eleitos, como que ele vai mudar a situação nacional sendo que estamos em um golpe de Estado com ameaça de ditadura militar, com dezenas de milhões de trabalhadores desempregados? Nós vemos com a questão do auxílio emergencial e com a pandemia o quanto o País está se aprofundando na miséria, voltou para o mapa da fome. Por isso reforço: para resolver a questão do emprego, da saúde e da educação é preciso lutar pelo ‘Fora Bolsonaro contra os golpistas’, porque não é só o Bolsonaro, como todos os outros elementos da direita que se beneficiaram do golpe de Estado de 2016, para organizar os trabalhadores para defenderem e impor uma derrota à direita golpista.”

Marcelo Roque (Podemos) concorre à reeleição na coligação Pra Fazer Muito Mais (Podemos, Progressistas, PSL, PL, PSB, PSDB, PSD) ao lado do candidato a vice-prefeito José Carlos Borba (PSD) 

“A geração de emprego e renda no País é muito difícil, aqui em Paranaguá não é diferente, mas nós fizemos desde 2017 até agora um projeto importante de visitar todas as empresas, geramos abertura de mais de 2 mil microempresas em Paranaguá, muito diferente do que se fez no passado. Nós estruturamos nossa Secretaria de Urbanismo para que as empresas se instalem com mais agilidade no nosso município. Havia muita dificuldade com relação a isso, no andamento dos processos. Nós temos uma referência na TCP, nós tivemos um Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) em 60 dias que gerou mais de mil empregos para o município com a expansão do terminal, que hoje está na área portuária e gerou empregos. É isso que nós queremos fazer. O projeto maior para a nossa próxima gestão já está em andamento que é a revitalização da Avenida Atílio Fontana que sai daqui da área da Sadia e vai até Alexandra e ali tem o Parque Industrial. Nós já apresentamos isso ao Governo do Estado, que já vai colocar no orçamento do ano que vem uma obra grandiosa, onde vão se instalar as empresas naquela região, pois nós não comportamos mais na área do porto, não temos espaço para isso, e vai ser o grande marco da nossa próxima administração essa geração de emprego e renda com esta avenida revitalizada, onde as empresas possam se instalar, ajudando não só o município, mas também o Porto a bater recordes como faz todos os anos, gerando divisas ao nosso Estado e, principalmente, para Paranaguá. É isso que queremos. O grande projeto para geração de emprego e renda é a Atílio Fontana, mas dizendo que já se instalaram várias empresas no nosso município, já está vindo a Daju, o Shopping Ilha do Mel, infelizmente, com a pandemia parou, mas já estão construindo, também o Balarotti já se instalou, então são várias empresas que estão vindo, pois nós temos uma administração diferenciada com vários atrativos aos empresários.”

Fabiano Elias (Cidadania) concorre junto com o candidato a vice-prefeito Maike Santos (Cidadania)

“Paranaguá precisa muito recuperar o seu sistema de geração de riqueza. O Porto é muito importante, a prefeitura é muito importante, mas hoje nós estamos consolidados apenas nesses dois aspectos, precisamos aumentar isso. A cidade, que é um polo portuário importantíssimo e que exporta muito, precisa aproveitar esta condição e transformar essa matéria-prima que é exportada no Porto de Paranaguá em beneficiamento local. Se nós conseguimos beneficiar soja em óleo, em margarina, transportar o produto ao exterior já produzido na cidade, nós geramos riqueza aqui. Isso já foi pensado lá nos anos 80 quando veio para cá a fábrica da Sadia, mas depois foi desaparecendo, esta iniciativa foi perdida. Além disso, Paranaguá tem que consolidar o sistema ecoturismo, a energia verde, o dinheiro sem poluição, que gera emprego e renda de forma definitiva. Turismo e ecologia são próprios da região e Paranaguá precisa voltar a exercer este fundamento, por isso, a instalação do terminal marítimo de passageiros com construção da marina pública, a base naval da Marinha e o centro gastronômico e hoteleiro na região do baixio do furado, são itens importantíssimos que irão alavancar esta estrutura. Criado isso, implantado o Programa de Desenvolvimento de Paranaguá, o Prodepar, e o Fórum de Crescimento Sustentável do Litoral, do qual eu participei e fui um dos idealizadores, nós conseguiremos alavancar a estrutura de geração de empregos em Paranaguá e garantir renda, dignidade e trabalho a todos os parnanguaras. É importante que isso aconteça, mas tem que ter conhecimento, coragem e ousadia para fazer isso acontecer, e nós temos isso.”

*O candidato a prefeito Aramis Soares do Nascimento, o “Pichaco” (DEM), justificou sua ausência.