Connect with us

Eleições 2020

Candidatos a prefeito apresentam propostas para a segurança em Paranaguá

Este é o quarto tema da rodada de entrevistas com os candidatos pela Folha do Litoral News

Publicado

em

A segurança faz parte da espinha dorsal da atuação do Poder Público em prol da população, tanto é que este é um dos temas que mais chamam a atenção dos eleitores quanto à definição do voto na eleição. Visto isso, a Folha do Litoral News, em seu quarto tema abordado junto aos candidatos a prefeito de Paranaguá na série de entrevistas divulgadas nos últimos dias, questionou junto a eles quais são as propostas para a área de segurança no município com foco em oferecer ao eleitor parnanguara mais uma forma de analisar e decidir seu voto no pleito do dia 15 de novembro.

Todos os candidatos tiveram o mesmo tempo, de até dois minutos, para discorrer sobre seu plano de governo na área em questão. Além de veiculação no meio impresso, as entrevistas ficarão disponíveis no portal da Folha do Litoral News no endereço www.folhadolitoral.com.br, assim como a versão em vídeo. Confira o que os candidatos a prefeito em Paranaguá pensam a respeito da segurança pública municipal:

Julinho Lima (PATRIOTA) concorre ao lado da candidata a vice-prefeita Roselaine Barroso Ferreira (PATRIOTA)

“Até 10 de setembro deste ano, Paranaguá teve 54 homicídios para 156 mil habitantes. A violência impera aqui. Enquanto a média nacional caiu no governo Bolsonaro drasticamente, a 24 homicídios a cada 100 mil habitantes, Paranaguá está com 36 homicídios a cada 100 mil habitantes. E se for nesse ritmo, vai dobrar a questão da média nacional. Enquanto o Brasil inteiro está caindo, Paranaguá está aumentando. A questão da violência só se resolverá se houver a ideia que nós temos, que é a guarda unida, um convênio que faríamos entre a Polícia Militar, a Guarda Municipal e a Polícia Civil juntamente com o Governo do Estado. Combateremos a questão das drogas, que emperra o desenvolvimento salutar da criança em Paranaguá. O crime violento e as drogas fizeram de Paranaguá uma cidade de ninguém, sai prefeito, entra prefeito e ninguém resolve isso. O crime está em Paranaguá e tenha a certeza de que eu serei o prefeito que vai resolver isso. Dou a minha palavra à população.”

Marcelo Roque (Podemos) concorre à reeleição na coligação Pra Fazer Muito Mais (Podemos, Progressistas, PSL, PL, PSB, PSDB, PSD) ao lado do candidato a vice-prefeito José Carlos Borba (PSD) 

“Segurança pública é o caos de qualquer gestão pública e aqui em Paranaguá nós investimos muito na Guarda Civil Municipal (GCM), mais de R$ 25 milhões, reestruturando a GCM, que não tinha aquela função de dar segurança para a população de Paranaguá, era só para cuidar do patrimônio público. Nós mudamos esta história, mudamos esta referência, investimos em capacitação, a Guarda Municipal está muito bem equipada, temos uma academia de qualidade que vem sendo referência em todo o Paraná para outros órgãos públicos, onde se capacitam nossos guardas, que em sua grande maioria estão todos armados. Adquirimos equipamentos e viaturas, temos uma sala de monitoramento equipada que ajuda também a desenvolver a segurança no município. Recentemente, nós estamos colocando e voltando com os módulos da GCM, descentralizando a segurança pelo município, temos não só na área central e rural, como também na Ilha do Mel com os carrinhos elétricos que colocamos lá. Hoje a Patrulha Ambiental faz esta fiscalização e ajuda todas as ilhas do município. Evoluímos muito com a Guarda Municipal, a Ronda Ostensiva Municipal (ROMU) hoje bate recordes de apreensão de roubos e drogas, ela auxilia muito as polícias Civil e Militar. Nós vamos continuar com essa referência equipando ainda mais a GCM para cuidar o que temos de melhor que é a vida do cidadão parnanguara.”

Marco Sukita (PV), concorre com o candidato a vice-prefeito, Lucio José Teodoro (PV)

“Segurança é o que hoje o parnanguara e a cidade mais necessitam. Já digo aqui o grande trabalho que a Guarda Civil Municipal (GCM) e a Polícia Militar têm feito pelos nossos cidadãos parnanguaras. Sabemos que a ferramenta é pequena, precisamos ampliar. Precisamos de mais planejamento, tecnologia, câmeras, sistema de monitoramento eletrônico, dar oportunidade para os guardas municipais fazerem um serviço interno de investigação, não precisa se expor, porque a gente sabe aqui que a cidade é muito junta, todo mundo conhece todo mundo. Se a gente não tiver profissionais da área de segurança para trabalhar com inteligência, abordar antes de acontecer alguma coisa, a gente não consegue avançar. Segurança é uma coisa que precisamos rever, porque tem o Porto de Paranaguá, a Ilha dos Valadares, as colônias, as ilhas, que o quadro é muito pequeno para atender a grande demanda, também sabendo que hoje há 80 ou 85 guardas municipais que estão afastados de suas funções, então nós precisamos rever isso com carinho.”

Dr. Manoel Barbosa (PCdoB) concorre ao lado da candidata a vice-prefeita Esmeralda Quadros (PCdoB)

“Com relação à questão de segurança isso é fundamental em Paranaguá. Vimos que alguns setores da segurança, que, claro, não representam as corporações das polícias Civil e Militar, chegam a dizer que Paranaguá não tem problema de segurança, que o problema de segurança se resume à questão que envolve o tráfico de drogas. Ora, se envolve tráfico de drogas, é questão de segurança, então nós temos que encontrar uma solução para isso. Acredito que para resolver esta questão é fundamental uma Guarda Municipal (GCM) cidadã, a Guarda Municipal deve ser auxiliar da PM e da Polícia Civil, mas fundamentalmente ela é uma Guarda Cidadã. O guarda municipal pode ser um agente de segurança, uma pessoa integrada com a comunidade, onde ele vai observar que naquele local está faltando iluminação, estrutura de mobilidade melhor, naquele local a juventude não está interessada na escola, e aí cabe uma ação integrada entre todos os setores do município para que seja resolvida esta situação. Eu acredito que a partir do momento que o jovem tem uma possibilidade de futuro, ele vê que ele pode conseguir emprego, que a escola dela é acolhedora, e a escola aberta é fundamental para isso, acredito que ele não vá para o caminho do crime, ele vai ter uma visão de que vai ter um futuro na vida dele.”

Emmanuel Lobo (PCO) concorre ao lado do candidato a vice-prefeito Marcos Antônio (PCO)

“O Partido da Causa Operária defende que a segurança pública precisa ser feita pela própria população. A polícia e as guardas municipais são guardiãs do regime e estão aí para reprimir a população. Isso fica muito claro quando a gente vê as greves e os atos que reivindicam os direitos da população. Quem aparece para reprimir os trabalhadores são sempre as polícias, a Militar e a Civil como a gente vê no Rio de Janeiro que o Witzel falou para atirar na cabeça das pessoas. A guarda municipal também foi militarizada no último período. Para nós do PCO, é preciso criar polícias municipais sob o controle da população. A polícia tem que ter cargos eletivos. Veja, por exemplo, se um bairro escolhesse as pessoas que fazem a sua segurança pública, seria muito mais difícil o que acontece hoje das polícias e dos agentes de segurança maltratarem e reprimirem a população, uma vez que morariam no mesmo bairro das pessoas que eles fazem a segurança. Existiria um controle social muito maior. Hoje em dia, as polícias e as guardas municipais, a força nacional, são espécies de burocracia estatal que são profissionais da violência, que estão lá para reprimir e manter a ordem capitalista da maneira que está colocada, com todas as suas mazelas e ataques aos trabalhadores. Por isso, precisamos dissolver, somos o único partido que defende a dissolução da Polícia Militar, uma organização da época da ditadura, um resquício tenebroso da ditadura, que precisa ser dissolvido, pois não tem como falar em democracia, ou seja, o poder dos trabalhadores, com uma polícia que mata dezenas de milhares de trabalhadores e jovens das periferias todos os anos. Por isso é preciso ter polícias municipais, cargos eletivos sob o controle dos trabalhadores.”

Alceu Maron Filho (PROS) concorre pela coligação Paranaguá de Todos (MDB, PROS e Solidariedade) ao lado do candidato a vice-prefeito João Cláudio Marques (MDB) 

“O município atua de maneira complementar ao Estado. Existe a Polícia Militar, que é a corporação responsável pela repressão dos crimes, e a Polícia Civil, para a questão da polícia judiciária, que faz a investigação. E onde entra a Guarda Civil Municipal? Onde está hoje, complementando o trabalho da Polícia Militar e fazendo isso com muita capacidade. Eu elogio o trabalho dos nossos guardas civis que vão às partes mais perigosas combater o crime e têm feito isso com muita competência. É importante que a gente possa aparelhar a Guarda Civil Municipal, mas também dar condições aos guardas de terem um horizonte na sua carreira com o plano de cargos e salários, que é fundamental e eu não entendo por que o atual governo esqueceu o plano de cargos e salários prometido. Nós vamos discutir com transparência, dignidade e verdade para chegarmos a um bom plano. Todas as carreiras precisam de horizontes, inclusive dos GCMs.”

Adriano Ramos (Republicanos) concorre na Coligação Nova Paranaguá (Republicanos, DC, PTC e Avante) junto ao candidato a vice-prefeito, Marcio Vega, o “Marcio da Max Espetos” (Avante) 

“A área de segurança no nosso governo será fundamental, com a valorização dos nossos guardas civis municipais (GCMs), faremos o plano de carreira dos nossos GCMs, este é um ponto de honra. Dentro da Câmara Municipal nós brigamos por isso, interpelamos por muitas vezes o prefeito para que ele pudesse conceder esta valorização, até porque foi uma proposta dele que ele não cumpriu, mas nós faremos. Outras questões da Guarda Civil Municipal (GCM) que nós iremos atender, por exemplo, hoje o guarda civil municipal, principalmente a ROMU, que tem feito um trabalho diferenciado na questão da segurança pública, ela prende o indivíduo, o indivíduo se mutila, vai na audiência de custódia e diz que ele foi agredido pelo guarda civil municipal e o GCM do bolso terá que gastar com advogado para se defender. Teremos dentro da GCM um corpo jurídico para poder atender esse guarda municipal, para que ele se sinta seguro para fazer aquilo que sabe fazer: que é prender bandido, que é diminuir e reduzir a criminalidade. O guarda civil municipal, tendo seu plano de carreira com esta valorização, tendo este corpo jurídico e também a formação continuada, temos certeza de que ele se sentirá seguro para poder executar o que ele tem executado com este trabalho tão importante. Nós vamos investir pesado, nós temos três saídas aqui em Paranaguá e nós vamos criar bases da GCM nessas saídas, porque muitos assaltos que acontecem aqui na cidade são feitos por pessoas oriundas de outras regiões que vêm para cá. Isso vai ter que acabar. Como que acaba? Nós tendo este ponto-base, por exemplo, na saída de Paranaguá junto com a Polícia Rodoviária Federal em que haverá um posto da GCM onde vai ter que passar por esta região. Assim, Paranaguá estará mais protegida. Nós vamos investir pesado e aumentar o efetivo da GCM também é a nossa meta.”

Fabiano Elias (Cidadania) concorre junto com o candidato a vice-prefeito Maike Santos (Cidadania)

“Em relação à segurança, nós precisamos cuidar das pessoas. Criamos no plano de governo o sistema PARE, que é a sigla de Proteger, Acolher, Recuperar e Encaminhar. Nós temos uma análise muito concreta de que ninguém nasce bandido, ninguém nasce ladrão, é a falta de oportunidades que desencaminha a pessoa. Quando você encontra pessoas em situação de vulnerabilidade social, você precisa trazê-las para dentro do sistema público, encaminhar esta pessoa, acolher, recuperá-la nos seus vícios e colocá-la no mercado de trabalho. Quem trabalha tem muito menos condições de se encaminhar para o serviço de crime, para uma estrutura criminal, para o banditismo e para criar uma insegurança na cidade. Depois disso, o sistema de segurança precisa ser comunitário, a Guarda Civil Municipal (GCM) precisa ser parceira da população. Não adianta você chamar a polícia no telefone ou no aplicativo depois que o crime aconteceu, nós temos que atuar antes disso, antes de o crime acontecer. Por isso, cuidar das pessoas e levar a Guarda Municipal, que é o nosso organismo de ligação com a comunidade, para mais perto da sociedade. Quando a Guarda for amiga da população, parceira, participar deste processo comunitário de crescimento social, a população tenderá a confiar mais no Poder Público do que no bandido. Além disso, um sistema integrado de câmeras que possam filmar as pessoas, identificar suas faces e placas de veículos, podendo mostrar no sistema de monitoramento se é veículo roubado, furtado, ou que participa de um roubo, nós vamos garantir mais tranquilidade para a população. Essas estruturas todas funcionando garantem segurança para a cidade.”

José Baka Filho (PDT) concorre pela coligação Trabalho e Liberdade: Construindo uma Paranaguá para frente e melhor (PDT e PT) ao lado do candidato a vice-prefeito Ubirajara Maristany (PT) 

“Um dos graves problemas que nós temos na sociedade moderna, não só em Paranaguá, mas no mundo inteiro, é a questão da segurança. Temos o alto índice de desemprego que congrega com a crise econômica que outras pessoas que estavam trabalhando também ficam desempregadas. Acaba propiciando a pessoas que estão sem renda a buscar uma alternativa e, lamentavelmente, muitas delas buscam o caminho errado da criminalidade. Isso tem acontecido muito em Paranaguá e nós temos que tratar do mal pela raiz. Gerar emprego é uma questão se segurança, colocar escola integral é uma questão de segurança, porque alivia o fardo da família, ou seja, o filho terá alimentação na escola o dia inteiro. Ter um tratamento especial para aquelas pessoas que são dependentes químicos, porque o dependente de droga não é criminoso, é uma pessoa que precisa de auxílio na saúde. E, é claro, temos a nossa Guarda Municipal totalmente integrada com a Polícia Militar, com a Polícia Civil, Polícia Federal, com a Guarda Portuária, temos que trabalhar de maneira inteligente. A segurança pública hoje é feita na base da tecnologia, das câmeras sendo colocadas nos pontos certos da cidade, de uma central que capta todas essas imagens e aciona as viaturas que estão mais perto, fazendo com que as pessoas tenham mais o sentimento de segurança, uma iluminação pública adequada é um fator de segurança também, as viaturas circulando pela cidade, temos a guarda por bicicletas em parques, temos todas essas alternativas. Mas, principalmente, temos que levar a mensagem certa a você cidadão: a prefeitura estará cuidando da sua segurança.”

*O candidato a prefeito Aramis Soares do Nascimento, o “Pichaco” (DEM), justificou sua ausência.