Connect with us

Cultura

Parnanguara possui coleção de quase três mil moedas antigas

Renato compra e troca com outros colecionadores para aumentar o acervo

Publicado

em

Renato Custell, morador no centro de Paranaguá, tem uma coleção de quase 3 mil moedas antigas oriundas de 67 países. Apesar de a quantidade ser grande, o hobby começou há pouco tempo, em 2017. 

Renato nasceu em Curitiba e veio morar em Paranaguá em 1985. Começou a colecionar moedas através de uma situação curiosa.

“Minha mãe faleceu em 2005 e 12 anos depois eu descobri que havia moedas antigas em um fundo falso de uma caixa de madeira onde ela guardava os apetrechos de costura”, recorda.

O achado foi uma motivação para continuar com a pequena coleção que coincidiu também com a sua aposentadoria da Copel, ocorrida em 2017. “Eu passei a ter mais tempo para me dedicar e fui conhecendo outras pessoas que tinham a mesma paixão e hoje minha coleção está avaliada em R$ 10 mil”, conta.

coleção das olimpíadas esta completa

Apesar do alto valor, ele não pensa em vender. Em apenas três anos, o colecionador conseguiu juntar toda a série histórica das moedas das olimpíadas de 2016 no  Brasil. Foram criados 16 modelos de moedas de circulação comum pelo Banco Central e pela Casa da Moeda, cada uma contemplando uma modalidade esportiva.

Há uma 17.ª moeda das Olimpíadas Rio 2016: a moeda criada para homenagear a entrega da bandeira olímpica. Ela pode ser comprada a partir de R$ 30,00. Mas há colecionadores na Internet que a negociam por mais de R$ 100,00.

Entre sua coleção, se destaca uma moeda nacional de 40 réis de 1869 com o símbolo da monarquia. “São muitas relíquias como as tradicionais moedas furadas japonesas, o franco suíço, moedas da Alemanha, Marrocos, Grécia, Dinamarca, Lituânia, Polônia e outros países”, destaca.

Do continente americano, Renato já conseguiu quase todas as moedas e sabe de cabeça os países que faltam. “Para fechar a América, me faltam as moedas da Guiana Francesa, Suriname, Cuba, Jamaica e Haiti”, ressalta. Mas isso não é uma missão tão difícil, pois os colecionadores de moedas são unidos e estão reunidos nas redes sociais e trocam informações diárias em grupos organizados pela web.       

Em seu acervo se destacam a coleção composta de réis patacão (O 960 Réis, ou patacão, é um tipo de moeda da numismática brasileira. Peça única, da coleção do Banco Central do Brasil), e ainda cruzeiros, cruzados, centavos e real. “Tenho a coleção completa do real de 1994 a 2020 e a coleção completa de cruzeiros e cruzados de 1976 a 1994. Possuo também 26 álbuns completos, sendo 4 das olimpíadas”, conta.

Para os numismáticos (colecionadores de moedas) existem quatro tipos de moedas: flor de cunho (Pode valer de 3 a 30 vezes mais do que uma moeda em estado mediano). Tem a soberba (deve apresentar aproximadamente 90% dos detalhes da cunhagem original). A  M.B.C (moeda muito bem cuidada) deve apresentar aproximadamente 70% dos detalhes da cunhagem original  e moeda regular (deve apresentar um mínimo de 25% dos detalhes da cunhagem original).

“Tenho também 16 pacotes fechados sachês de moedas flor de cunho de R$ 005, R$ 0,10, R$0,25, R$ 0,50 e R$ 10,00. São moedas que ainda não foram para o comércio, que saíram direto do Banco. Tenho algumas notas antigas de papel, mas não é meu forte”, finaliza.