conecte-se conosco

Valmir Gomes

Juntar os cacos

Era domingo, dia do futebol, meio da tarde um bom horário, o estádio em perfeitas condições…

Publicado

em

Era domingo, dia do futebol, meio da tarde um bom horário, o estádio em perfeitas condições, apesar da chuva a torcida compareceu e incentivou o que pode o Leão. Dentro do campo um Rio Branco com seu esquema de três zagueiros, era presa fácil para o Maringá, que tinha todo campo do mundo para atacar e golear. Sentindo a pressão do adversário, o técnico Vitão foi obrigado a mudar o esquema e mexer na equipe. Já era tarde demais. A torcida entristecida, vaiou o time e sua nova diretoria. Clube popular e centenário, o Rio Branco tem lá suas características, uma delas é o fanatismo da sua grande torcida, por este motivo a reação quando derrotado é sempre acompanhada de protestos. Agora é juntar os cacos e buscar a reabilitação. Ainda tem tempo.

NOVICIADO DA DIRETORIA

Temos convicção que os atuais dirigentes do Rio Branco têm a melhor das intenções, estão procurando organizar o clube, que vinha de muitos problemas administrativos. O prefeito Marcelo Roque, de tradicional família parnanguara, colocou seu filho como gestor do Leão. A ideia é a melhor possível, recuperar o clube e seu futebol. Outros dirigentes foram empossados, todos com vontade de colocar o time no trilho das vitórias. Acontece que o futebol, como qualquer atividade profissional, requer muito conhecimento de causa e experiência. A nova diretoria tem boa vontade e trabalha muito, porém carece de experiência nos cargos. Dou exemplo, o Rio Branco não tem um supervisor de futebol, nem mesmo um assessor de imprensa. Cargos que fazem parte de qualquer equipe de futebol profissional.

OS PROFESSORES

Não precisa ir longe, o auxiliar da comissão técnica Lumumba, o ex-goleiro Edson Borracha, o eterno capitão Zé Carlos, o ex-presidente Mauro De Lazzari, qualquer um destes, têm conhecimento de futebol e muita experiência, sabem os atalhos da querida Estradinha. São catedráticos do assunto, independente de corrente política no clube ou fora dele. Estes com certeza podem ajudar muito. Não tornem o Rio Branco um time de amigos simplesmente. Usem também os que entendem de bola. Tenho dito.

UM CAFÉ COM POSSAS E VIVI

Se alguém da nova diretoria do Rio Branco quiser uma aula sobre o histórico Leão da Estradinha, aconselho convidar o Possas e o Vivi, para tomar um café sem pressa. Esta dupla sabe tudo do Rio Branco e adjacências. O futebol pode ter mudado, porém estas duas pessoas conhecem a essência do Leão do futebol e suas consequências. Convém ganhar tempo e trocar algumas ideias e informações com eles. Quem avisa amigo é.

RODADA

CAP 2 a 2 União de Francisco Beltrão. Um empate com sabor de vitória para o time do interior. O time da capital precisa melhorar seu rendimento. F.C.Cascavel 2 a 0 Londrina uma espécie de revanche e recuperação da final do último campeonato. Cianorte 2 a 0 Azuriz, resultado normal. Rio Branco 0 a 3 Maringá, show de competência do vencedor. São José 1 a 1 Coritiba, melhor resultado para o time da terra dos aviões. Paraná 0 a 3 Operário, resultado justo do clube mais organizado e com mais qualidade individual.

CONSELHO

Diz um velho ditado que se conselho fosse bom, não se dava de graça, se cobrava. Hoje minha coluna tem a finalidade de aconselhar os novos dirigentes do Rio Branco. Estou na torcida por todos vocês.

Continuar lendo
Publicidade