conecte-se conosco

Semeando Esperança

“Alegrem-se” é o convite deste Domingo

Este ano, o Domingo da Alegria – sempre o 3º do Advento – tem um tom profético: proclamar uma alegria iluminada pela esperança

Publicado

em

“Alegrem-se” é o convite deste Domingo

Este ano, o Domingo da Alegria – sempre o 3º do Advento – tem um tom profético: proclamar uma alegria iluminada pela esperança, a qual não despreza as pessoas que sofrem com descasos do governo, nem a dor dos familiares e amigos dos quase 180 mil mortos por covid-19, nem a insegurança dos que perderam o emprego e nem as consequências de outras situações anteriores à pandemia, mas que foram por ela agravadas. Ela, a alegria, nos permite caminhar de cabeça erguida e lutar cotidianamente pelo bem nosso e dos que nos rodeiam, incluindo os do bairro e da cidade.

Procurarei indicar alguns sinais dessa alegria profética presentes na Fratelli Tutti (FT), a última Carta Encíclica do Papa Francisco sobre a Fraternidade e a Amizade Social.

A alegria pode manifesta-se mais intensamente quando, “as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens de hoje, sobretudo dos pobres e de todos aqueles que sofrem, são também as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos discípulos de Cristo; e não há realidade alguma verdadeiramente humana que não encontre eco no seu coração” (GS 1 – FT 56).

Existe alegria quando se aceita que ninguém – nem um povo e nem o indivíduo – podem obter tudo de si mesmo: “Os outros são, constitutivamente, necessários para a construção de uma vida plena. A consciência do limite ou da exiguidade, longe de ser uma ameaça, torna-se a chave segundo a qual sonhar e elaborar um projeto comum. Com efeito, o homem é o ser fronteiriço que não tem qualquer fronteira” (FT 150).

A alegria vai brotando nos compromissos assumidos para “superar a amarga herança de injustiças, hostilidades e desconfiança deixadas” por conflitos. Isso pode ser alcançado unicamente “superando o mal com o bem (Rm 12,21) e cultivando aquelas virtudes que promovem a reconciliação, a solidariedade e a paz”. Deste modo a bondade, “dá uma consciência tranquila, uma alegria profunda, mesmo no meio de dificuldades e incompreensões. E até perante as ofensas sofridas, a bondade não é fraqueza, mas verdadeira força, capaz de renunciar à vingança”. E, citando Provérbios 12,20: “No coração dos que maquinam o mal, há falsidade, mas aqueles que têm conselhos de paz, viverão na alegria” (FT 243). 

A alegria nos é dada pela “música do Evangelho” tocada em nossas casas (FT 277). A Igreja nada rejeita do que existe de verdadeiro e santo nas religiões, e ilumina as pessoas. Todavia, aos cristãos, ela recorda que, “se a música do Evangelho parar de vibrar nas nossas entranhas, perderemos a alegria que brota da compaixão, a ternura que nasce da confiança, a capacidade da reconciliação que encontra a sua fonte no fato de nos sabermos sempre perdoados-enviados. Se a música do Evangelho cessar de repercutir nas nossas casas, nas nossas praças, nos postos de trabalho, na política e na economia, teremos extinguido a melodia que nos desafiava a lutar pela dignidade de todo o homem e mulher”.

Quais seriam os outros motivos de alegria banhada per raios da esperança que nos ajudam a levantar cada dia e lutar pela vida, assumindo-a como um dom e compromisso e não como um peso?

Não deixemos que nos roubem a alegria!

Leia também: Sim, é possível renovar a esperança

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.