Connect with us

Paraná Empreendedor

Antonio Bley, um expoente do Paraná

Dono de uma meteórica e brilhante carreira no judiciário paranaense e na defesa da ética jurídica e do estado de direito, Bley foi um grande personagem da história do Paraná

Publicado

em

Em 15 de fevereiro de 1850 nascia em Rio Negro Antonio Bley, oitavo filho de um imigrante luxemburguês. As precárias condições de vida que caracterizavam a segunda metade do século 19, não limitaram a ida para São Paulo, atrás de seus ideais e da profissão. Graduou-se advogado, aos 25 anos.

De volta ao Paraná, em 1876 uma meteórica carreira no judiciário — promotor em Campo Largo, juiz municipal em Castro, juiz de direito de Ponta Grossa e de Tibagi — caracterizada pela competência e fidelidade à ética jurídica. De volta a Castro, em 1894, deixou a magistratura e depois foi para Ponta Grossa.

Em de abril de 1894 Antonio Bley foi preso por ordem do então governador em exercício, Vicente Machado, sob a acusação de ser um “Maragato”, integrante das tropas sulistas que sustentaram sangrentos combates com tropas do Governo Federal na Revolução Federalista.

Consta da história que Vicente Machado teria feito a falsa denúncia movido por sentimento de vingança, acumulado nas intensas discussões que manteve com Bley nos tribunais e pelos jornais da época, durante o período revolucionário.

Mantinham pontos de vista opostos sobre o regime coronelista imposto à República pelos poderes políticos, ao fim da Revolução Federalista. Os vencedores, defensores do mandato do presidente Marechal Floriano, mantinham o poder pela força das armas e da intimidação. Bley discordava, pois tinha arraigado envolvimento com os princípios do Estado de Direito que sempre defendeu. 

Levado preso para Guarapuava e depois a Curitiba, compartilhou o cárcere com outros personagens que defendiam posições políticas na época. Por pouco não foi incluído na viagem de trem a Paranaguá na qual foi fuzilado Hidelfonso José Correia, o Barão do Serro Azul, e outros, no Pico do Diabo, na Serra do Mar.

Após esse período contencioso, Antonio Bley foi libertado e acionou o Estado, provando a falsidade da acusação que lhe fora imposta, sendo reconhecido pelo Estado, retomando a sua carreira de magistrado.

Sempre defendeu suas posições, em campanhas de preservação dos direitos da cidadania e engajou-se em movimentos cívicos. Faleceu em Castro em 12 de maio de 1911.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.