conecte-se conosco

Educação com Ciência

Para que ciência?

Ter conhecimento permite ao homem atuar no mundo de forma dinâmica e produtiva

Publicado

em

Ter conhecimento permite ao homem atuar no mundo de forma dinâmica e produtiva. Além de contribuir com certo prestígio a quem lhe possui. Francis Bacon (1561 – 1626), político, escritor, filósofo, alquimista e pioneiro no campo científico já dizia que: “o conhecimento é em si mesmo um poder”.

O pensamento científico surgiu na Grécia Antiga, aproximadamente no século VI a.C. Muitos avanços foram obtidos desde então.

O Brasil em comparação a outros países investe 1,6% do PIB – Produto Interno Bruto (indicador de economia que representa a soma dos bens e serviços produzidos no país, durante um período de tempo) em pesquisa e desenvolvimento científico. O que comparado com a Alemanha (2,7%) e E.U.A (2,8%) ainda é muito baixo.  

Contudo, há de se lembrar que os países desenvolvidos começaram a traçar a sua história na ciência muito antes do Brasil. Basta nos atentarmos a fundação da primeira universidade brasileira, na Amazônia em 1909. Seguida pela Universidade Federal do Paraná – Curitiba, em 1912. Enquanto que a conhecida Universidade de Oxford, na Inglaterra, iniciava sua história em 1096.  

No Brasil, a principal fonte de publicações de pesquisa são as universidades públicas, correspondendo a 60% de toda ciência feita no país. Um relatório apresentado pela plataforma Web of Science em 2019, mostra que o Brasil progrediu no ranking mundial de produção científica, ocupando a 13.ª posição em produção de artigos.

Em termos de curiosidade, estamos atrás da Índia (10.º) e Coreia do Sul (12.º) e à frente da Rússia (15.º) e África do Sul (21.º).

O relatório indica ainda, que as áreas mais crescentes na ciência brasileira são as Ciências da Saúde (21,912 artigos), Ciências Biológicas (17,025 artigos) e Ciências Exatas e da Terra (14,536 artigos).

Esse crescimento coloca o Brasil em cenário de impacto e visibilidade mundial na área científica. No entanto, esse avanço deveria resultar em um melhor vislumbre da ciência dentro do próprio país, com maior incentivo e financiamento da ciência.

Quem sabe essa postura não mude após todas as circunstâncias trazidas pela pandemia do Coronavírus, não é mesmo?

Gostaria de encerrar o texto com duas colocações:

  • Mulheres assinam 72% dos artigos científicos publicados no Brasil;
  • Um agradecimento aos pesquisadores brasileiros, que apesar das dificuldades, continuam a exercer a ciência de modo íntegro.

Dados retirados do Portal Capes/MEC

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.