conecte-se conosco

Educação com Ciência

Eu crio, ele cria, nós humanos criamos! O cérebro criativo

Criar arte, ter ideias inovadoras, traçar diferentes caminhos para situações comuns do dia a dia são atividades corriqueiras para o ser humano.

Publicado

em

Criar arte, ter ideias inovadoras, traçar diferentes caminhos para situações comuns do dia a dia são atividades corriqueiras para o ser humano. Essa habilidade pode ser definida como criatividade.

Recentes estudos destacam o papel principal do lobo frontal (região posterior à testa) na cognição criativa (DURANTE; DUNSON, 2018). Este hemisfério se desenvolveu ao longo da história da espécie humana e, por este motivo, aatividade criadora é uma ação tipicamente humana. Não vemos por aí, macacos ou outros animais expressando-se através da arte, por exemplo, não é mesmo?

Segundo Vygotsky, a habilidade criativa só é possível, ao adquirirmos, através do suporte cultural, um funcionamento psíquico superior, que nos permite ir além das funções biológicas.

Portanto, podemos definir a criatividade como a capacidade de “pensar fora da caixa”, uma expressão bastante usada e que pode parecer até pouco científica, mas o certo é que os cientistas corroboram com esta afirmativa.

Com criatividade é possível fazer diferente, sair do óbvio, inovar, reinventar, seja em áreas pouco convencionais ou diante de situações em que “não há mais o que produzir”. Acredite, sempre há!

A criatividade possibilita novos olhares, desenvolve mudanças.

Nossa atual sociedade tem se mostrado cada vez mais criativa, nossos jovens têm apresentado este potencial através das inovações tecnológicas. Quem imaginou há 30 anos que estaríamos nos comunicando com o mundo através de mensagens instantâneas? Agora pode parecer comum, mas olhando para o passado, lembramos o quão caro era uma ligação para o exterior, por exemplo.

Se formos nesta linha de raciocínio, muitas profissões que temos hoje poderão desaparecer, dando lugar a novas que nem imaginamos os nomes, muito menos suas funções. Assim, como os datilógrafos que se extinguiram há algumas décadas. 

E por que estou falando sobre isso? Porque este texto nos permite refletir. Na sociedade em que vivemos, não basta mais apenas saber fazer ou reproduzir ideias e informações. Para obter sucesso na caminhada é preciso saber criar!

Continuar lendo
Publicidade

Em alta