Connect with us

Educação com Ciência

O retorno às aulas

Em meio a tantas incertezas advindas com a pandemia do COVID-19, o retorno às atividades escolares está, agora, no centro delas

Publicado

em

Em meio a tantas incertezas advindas com a pandemia do COVID-19, o retorno às atividades escolares está, agora, no centro delas. 

Será que é tempo de pensarmos em um retorno em massa dos mais de 57 milhões de alunos matriculados na Educação Básica, da educação infantil ao ensino médio? E, como serão pensados e aplicados os planos de ação nas escolas públicas e particulares?  

A tomada de decisão para o momento não é tarefa fácil! 

Mas, antes de qualquer pressão que se coloque sobre a área educacional e seus profissionais e gestores, faz-se imprescindível pensar que após o retorno das aulas, as medidas de saneamento tornam-se de responsabilidade de cada instituição. O aluno que está dentro da escola é de responsabilidade da escola. E, por isso, é preciso pensar nas distintas realidades que as escolas brasileiras enfrentam. 

Fica evidente que o retorno pós pandemia trará muitas mudanças em contexto escolar, entre elas: 

  • Distanciamento social; constante e eficaz comunicação entre escola e família; higienização e monitoramento dos espaços escolares e materiais de controle, como máscaras e álcool em gel; carteiras afastadas; janelas e portas abertas; turmas reduzidas; rodízio de alunos; metodologias adaptadas e integradas ao uso de ferramentas remotas; planos de recuperação dos conteúdos trabalhados; flexibilização em horários, atividades e conteúdo; capacitação da equipe, etc… 

Se antes da pandemia já não era fácil ser profissional da educação, pós pandemia, então!  

Em meio à crise e aos desafios é possível tirar grandes aprendizagens. Neste sentido, tivemos certos avanços. Não falo em valorização da educação, pois seria muito cedo para isto, mas, é inegável que a paralisação das aulas presenciais trouxe um reconhecimento genuíno da importância do professor. 

De forma alguma, estou aqui minimizando as consequências do Coronavírus, em detrimento da valorização de uma profissão, pois esta doença foi e, ainda é, devastadora para a humanidade. Contudo, a quarentena ofereceu à população a oportunidade única de valorizar a vida, a sua família e tudo aquilo que realmente tem sentido para si.