Connect with us

Educação com Ciência

Somos educados para ter Inteligência Emocional?

Desde muito pequenos somos instruídos ao desenvolvimento cognitivo, ou seja, nos ensinam conhecimentos linguísticos e matemáticos, conteúdos escolares que nos permitirão atuar no dia-a-dia

Publicado

em

Desde muito pequenos somos instruídos ao desenvolvimento cognitivo, ou seja, nos ensinam conhecimentos linguísticos e matemáticos, conteúdos escolares que nos permitirão atuar no dia-a-dia. Isso porque a inteligência sempre foi vista com admiração entre os homens, sendo esta por muito tempo, medida através de números, os famosos testes de Q.I que delimitavam a inteligência a capacidades específicas.  

Neste contexto, não se tinha espaço para lidar com as emoções, elas eram vistas como fraquezas humanas, algo que não deveria ser exposto em campo escolar ou profissional. Hoje, a inteligência emocional é vista como uma eficiente saída aos problemas sociais, uma competência contrária aos comportamentos egoístas, mesquinhos, violentos e de contínuo stress.

Em meio a tantas notícias ruins e atitudes destrutivas é preciso promover o desenvolvimento da inteligência emocional das nossas crianças. A conquista emocional nos permite ser mais felizes, pais preparados emocionalmente conseguem educar melhor seus filhos e filhos emocionalmente capacitados conseguem lidar melhor com os desafios da vida, superar obstáculos e alcançar o sucesso pessoal. 

É importante registrar que as emoções não são de escolha nossa, ou seja, emoções são ações naturais e inconscientes do corpo, portanto, não podemos controlar nossas emoções. Neste momento então, você leitor, deve estar se perguntando como eu faço para me educar emocionalmente ou ensinar meus filhos ou alunos a agirem de tal forma? A resposta é o autoconhecimento. Todo esse aprendizado inicia-se com o reconhecimento das emoções diárias, como elas surgem, por que elas surgem e quais as ações que tomo diante delas. Para crianças o diálogo é essencial. Não é dizer, por exemplo, para a criança que ela não deve sentir raiva do amiguinho porque o mesmo pegou seu brinquedo, justo na hora que ela mais queria brincar. Mas sim, ajudá-la a gerenciar a decisão responsável, estabelecer formas de controle ao impulso de brigar, educar para a empatia, reconhecendo no outro o igual desejo do brincar.

Tanto a escola quanto a família devem educar as crianças para a persistência, o autocontrole e a motivação, pois estas são características de pessoas inteligentes emocionalmente. É uma construção permanente que deve ser iniciada na família, passando pela escola e continuando por toda a vida. Na escola a inteligência emocional contribui significativamente para um clima escolar positivo e segundo estudos, aumenta as aprendizagens, o sucesso acadêmico. Mas, estes são temas para um próximo momento.

Continuar lendo