Connect with us

Educação com Ciência

Está sentindo este cheiro?

Será que é possível que odores possam modificar nossos comportamentos?

Publicado

em

Será que é possível que odores possam modificar nossos comportamentos? Causar fortes emoções? Ou mesmo alterar nosso humor?

Há quem diga que consegue recordar fatos ao sentir um cheiro.

Entrar em um local e sentir aquele cheirinho de bolo que somente a casa da vovó tinha… O perfume de alguém que marcou uma época.

Isso já aconteceu com você? 

Entre os nossos sentidos, a olfação é muito boa em trazer lembranças à tona, sejam elas boas ou ruins. Chamamos essa rememoração de aromas e experiências, de memória olfativa.

Há uma rede de interligação bastante complexa entre a captação dos odores e seus registros no cérebro. Contudo, muitos estudos neurocientíficos ainda serão necessários para descobrir os detalhes dessa memória específica. A detecção inicial do odor ocorre pela entrada de ar nas narinas, ativando receptores que farão a transmissão dos sinais até o cérebro.

Estudos supõem que 1% do código genético humano seja especializado para a detecção de odores.

Estima-se que, nós humanos, sejamos capazes de sentir e discriminar mais de dez mil odores diferentes.

O uso de odores vem sendo utilizado, como tratamento terapêutico, desde o início do século XX. A aromaterapia utiliza as propriedades naturais dos óleos essenciais para alcançar o equilíbrio e a harmonia mental, propiciando, inclusive, o restabelecimento físico.

Estudos afirmam que os odores agem como estímulos neurofisiológicos e causam percepções diferentes que, por sua vez, levam a diversas reações emocionais e comportamentais, sendo também dependentes das condições internas e externas dos sujeitos.

O estudo em referência demonstra que os óleos essenciais, segundo sua origem, podem causar efeitos distintos no corpo humano, desde o aumento na temperatura corporal, sentimentos de excitação, angústia, relaxamento ou sedativos.

Texto baseado no estudo: SUGAWARA, Y.; SHIGETHO, A.; YONEDA, M.; TUCHIYAS, T. MATUMURA, T. HIRANO, E. Relação entre mudança de humor, odor e seus efeitos fisiológicos em humanos ao mesmo tempo em que inalam as fragrâncias de óleos essenciais, bem como Linalool e Seus Enantiomers. 2013.