conecte-se conosco

Polícia

Polícia investiga se material encontrado dentro de uma casa no Jardim Jacarandá em Paranaguá seria usado para enviar cocaína para o exterior

No interior da residência foram recolhidos quatro rolos grandes de papel filme, usado para embalar drogas, três rolos de fitas adesivas, 10 conjuntos de pilhas grandes, cinco sinalizadores náuticos, quatro aparelhos celulares, quatro rastreadores de longo alcance e 26 bolsas plásticas impermeáveis

Publicado

em

Uma denúncia anônima repassada para a Polícia Militar no começo da noite desta quinta-feira, 2, indicando uma residência, no Jardim Jacarandá, em Paranaguá, que estaria servindo como depósito de equipamentos usados no tráfico internacional de drogas resultou na apreensão de vários equipamentos náuticos, embalagens plásticas, celulares e aproximadamente 400 gramas de cocaína. Um rapaz, de 27 anos, foi preso.

CARRO

Agentes da ALI – Agência Local de Inteligência foram informados que um veículo usado por indivíduos envolvidos com o tráfico internacional de drogas estava trafegando pela Rua Raquel Belo Fontes, nas proximidades da casa, também indicada pelos denunciantes.

O imóvel serviria de depósito do material que é usado para preparar bolsas com tabletes de cocaína que são colocadas em um compartimento conhecido como Sea Chest ou “Caixa de Mar”, que fica no casco de navios.

Confirmada a suspeita, os agentes solicitaram apoio de equipes da ROTAM para realizar a abordagem do veículo.

Durante o procedimento, um dos ocupantes do carro, Iramis Borges, de 27 anos, tentou fugir correndo pelo quintal da casa. Perseguido, ele foi abordado e preso.

Com Iramis, os policiais encontraram 8 porções grandes de cocaína, totalizando quase 400 gramas do entorpecente.

No interior da residência onde a abordagem aconteceu foram recolhidos quatro rolos grandes de papel filme, usado para embalar drogas, três rolos de fitas adesivas, 10 conjuntos de pilhas grandes, cinco sinalizadores náuticos, quatro aparelhos celulares, quatro rastreadores de longo alcance e 26 bolsas plásticas impermeáveis.

Preso, Iramis foi encaminhado com todo o material apreendido para o plantão da Polícia Civil.Com o outro individuo abordado, nada de ilícito foi encontrado.

SCUBA DIVER

No dia 27 de maio, equipes da Polícia Federal prenderam nas proximidades do canal de acesso para a Ilha do Mel, em Pontal do Paraná, um foragido da Justiça.

O homem, que não teve o nome divulgado, era um dos alvos da Operação “Scuba Diver” deflagrada pela PF e que investiga o envio de cocaína para o exterior.

Denominada “Scuba Diver”, que em inglês significa mergulhador, o nome da operação deflagrada pela PF faz referência ao modus operandi que os criminosos utilizam para despachar a droga, principalmente para a Europa.

No final de maio equipes da Polícia Federal prenderam em Pontal do Paraná um homem que era alvo da Operação “Scuba Diver” que investiga o envio de cocaína para o exterior utilizando um compartimento no casco de navios

As bolsas com os tabletes de cocaína são colocadas em um compartimento no casco do navio conhecido como Sea Chest ou “Caixa de Mar”. A abertura permanece sempre submersa e é utilizada por mergulhadores experientes contratados pelos grupos criminosos para acondicionar os carregamentos do entorpecente. O procedimento obriga que os mergulhadores permaneçam submersos por mais de 1h.

INVESTIGAÇÃO

As investigações realizadas pelas forças de segurança e pelo órgão federal de fiscalização aduaneira, que atua no Porto de Paranaguá, resultaram nos últimos dias na apreensão de quase 300 quilos de cocaína e de material usado na preparação e embalagem do entorpecente enviado para o exterior.

O cruzamento de informações e o registro compartilhado dessas ocorrências podem dar início a novas operações policiais e ações de fiscalização e monitoramento de cargas movimentadas na região, bem como, de embarcações que navegam pela nossa baía.