conecte-se conosco

Esportes

Com apoio do Projeto Tatame atleta antoninense é aprovado para treinar na academia Evolução Thai

Ao lado do professor Cabo Rogério Silva, o Heverson comemora a aprovado na seleção da academia Evolução Thai

Publicado

em

O atleta antoninense Heverson Felipe Alves Rodrigues, 30 anos, foi aprovado em uma seleção e irá compor a equipe Evolução Thai. O atleta teve apoio do professor e coordenador do projeto Tatame, Cabo PM Rogério Silva, que há quatro anos desenvolve a iniciativa na cidade de Antonina.

Usar o esporte como uma ferramenta social de interação, inclusão, aprendizado, companheirismo e respeito ao próximo são alguns dos objetivos do Projeto Tatame.

O atleta, que no dia a dia trabalha como motoboy, conta que começou a treinar no projeto há seis meses, mas já está nas artes marciais há mais de 10 anos. “Passei no teste graças ao Projeto Tatame do Professor Rogério, e foi crucial para mim. Procurei o professor por já ter ido a Curitiba procurar uma outra academia para fazer um teste, e acabei não passando por falta de conhecimento no Jiu-Jítsu. O professor me acolheu no projeto e acabou me ajudando. Quando voltou agora para fazer um novo teste consegui a aprovação”, relata Heverson, que já fez cinco lutas de muay thai e participou de competições de judô. “Como já comentei, o Projeto Tatame foi fundamental e só consegui entrar na Evolução Thai por conta do projeto, mas é claro meus outros professores de muay thai, Erick Santiago, professor de Boxe, Roberto Possas, e o professor Rogério foram a cereja do bolo para poder estar entrando na equipe”, agradece o atleta. 

O Cabo Rogério Silva destaca que o projeto Tatame visa a ensinar as crianças e adolescentes de 7 a 16 anos, Jiu-jitsu, uma arte marcial que carrega em si valores como disciplina, perseverança e respeito ao próximo.

“O projeto é um embrião de algo que a gente quer que se expanda cada vez mais. Ele teve início em Antonina com o apoio do 9.º BPM, e do comandante da 4.ª Cia de Polícia e dos praças que estão ali ombro a ombro trabalhando para que tudo isso acabe funcionando da melhor maneira possível. Eu apenas não conseguiria, esse é um projeto das Polícia Militar e eu sou uma ferramenta para que este trabalho se desenvolva. O projeto funciona em Antonina com aulas às segundas e quartas em período integral no contraturno das crianças. O público alvo são as crianças das comunidades carentes, mas também é aberto para crianças que não estejam em condições de vulnerabilidade social, com alunos de 6 a 17 anos”, disse o Cabo Rogério, destacando que a situação do atleta Heverson foi diferenciada. “A situação do Heverson foi uma situação peculiar, pois ele já é maior de idade. Porém, ele se apresentou no projeto e pediu um apoio por ter, o sonho de ser lutador, um sonho que já traz nestas caminhadas das artes marciais há uns 10 anos. Inclusive já havia feito testes para entrar em uma equipe profissional e não logrou êxito, pois segundo ele a sua luta agarrada de chão era muito deficiente. Ele expôs este problema para nós, e acabamos o acolhendo e fizemos este trabalho intensivo nestes últimos seis meses, visando exclusivamente a parte de luta agarrada. E agora conseguimos colher este fruto. Coisa de 15 dias, ele fez uma nova seletiva em uma equipe de MMA em Curitiba e acabou sendo aprovado, e agora ele faz parte da Evolução Thai.

Mestre Rogério, um dos coordenadores do projeto Tatame é nascido em Morretes e oriundo de um projeto social de capoeira. O militar já praticou muay thai por muitos anos e conheceu o Jiu-Jítsu em 2002, e a partir de 2006 passou a treinar e competir, tornando-se faixa preta. 

Hoje, o projeto Tatame conta com 80 crianças matriculadas e acontece no Ginásio de Esportes – no centro de Antonina.

plugins premium WordPress