Connect with us

Esportes

Atleta passa a quarentena ao lado da família em Paranaguá

Mario Rosa é parnanguara e vem se destacando no cenário esportivo

Publicado

em

Mario Rosa é parnanguara e vem se destacando no cenário esportivo nacional. Jogador profissional, de 21 anos, até maio estava atuando no time do Nauás, na cidade de Cruzeiro do Sul, Acre, clube que tem quase 100 anos de tradição.   

O parnanguara estava indo bem no campeonato estadual, como um dos artilheiros, tendo feito dois gols em três jogos, até que veio a pandemia e mudou não só a vida do atleta como de todo o cenário esportivo mundial. Mario voltou a Paranaguá e há mais de dois meses está mais perto da família, principalmente dos pais Norma Alice e Marcos Roberto, os quais sempre incentivaram o filho em seus sonhos.

“Comecei com 9 anos, na escolinha da Vila Cruzeiro, com o seu Jair, por sinal grande pessoa, na época casado com minha avó. Aos 11 anos, comecei a treinar no Seleto, com o Professor Tuca e o seu Emar, até os 17 anos, fiquei treinando pelo Seleto e também na Fênix com o  professor Marcos. Essas duas escolinhas têm um projeto muito bom de realizar sonhos em Paranaguá. Joguei também no Acadêmicos do Litoral e no unidos da vila, no futebol amador de Paranaguá”, conta o atleta.

Aos 16 anos, foi dispensado da equipe do Rio Branco de Paranaguá. A dispensa tirou o ânimo de seguir em frente e resolveu parar de jogar.

“É triste você desistir do seu sonho, mas naquela época parecia que não tinha mais jeito de seguir. Em 2019 meus amigos estavam no Rio Branco e pedi nova oportunidade, mas como já estava trabalhando fui apenas a dois treinos, pois não tinha como conciliar o trabalho com o futebol, e acabei parado de novo”, conta.

Com a mãe Norma, quarentena em casa

Mas o sonhou de Mario Rosa voltou a bater a sua porta. Isso porque ele recebeu o convite do professor Mauro de Lazzari, técnico do Nauás que estava montando um time competitivo para o campeonato acreano.

Lazzari já conhecia o potencial de Mario e oficializou o convite para apresentar o novo projeto esportivo. E, assim, o jogador fez as malas e deu continuidade ao sonho, em uma cidade a quase 4 mil quilômetros de distância de Paranaguá.

“Eu aceitei e tive uma ótima experiência. Atualmente estou sem empresário e aberto a novas negociações. A pandemia foi o fator mais prejudicial em minha opinião, pois realmente o caminho estava na direção certa, e já estava fazendo bons jogos, graças a Deus, houve essa paralisação”, destaca.

Mario assinou com Nauás e foi jogar no Acre em janeiro de 2020

https://www.youtube.com/watch?reload=9&v=Sg9J1nK6WuU&feature=youtu.be