conecte-se conosco

Editorial

Força-tarefa para proteger a população

Levar as doses recomendadas até o público é uma estratégia já utilizada pelas frentes que atuam com imunização há algum tempo e costumam trazer bons resultados

Publicado

em

editorial

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza deu início a segunda etapa no dia 2 de maio. Desde então, foi ampliado o público-alvo para receber a dose que protege a população dos três tipos de vírus que estão em maior circulação. Por isso, se torna importante a imunização anualmente, pois a vacina muda a cada ano para aumentar a proteção.

Neste ano, inclusive, a vacina contra a gripe incluída na campanha nacional protege do vírus H3N2, que causou preocupação das autoridades de saúde devido ao aumento no número de casos no início do ano. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), foram mais de dois mil casos e 118 óbitos entre dezembro e março.

Sabendo da importância dessa imunização e também de completar as doses recomendadas contra a Covid-19, a empresa pública Portos do Paraná realizou uma força-tarefa para aplicação das vacinas nos trabalhadores portuários. A iniciativa foi finalizada nesta semana. Primeiramente, uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde de Paranaguá esteve no Palácio Taguaré, no início da semana. E, na quinta-feira, 19, a equipe esteve no acesso dos trabalhadores ao cais do porto.

Levar as doses recomendadas até o público é uma estratégia já utilizada pelas frentes que atuam com imunização há algum tempo e costumam trazer bons resultados. Muitas vezes, as pessoas não conseguem se organizar para ir até as unidades básicas de saúde e, desta forma, é muito mais fácil e rápido. 

A estimativa é de que 4,3 milhões de pessoas sejam imunizadas até o fim da campanha, em 3 de junho. É necessário avançar ainda mais com a vacinação de todos os públicos preconizados na campanha para se chegar a meta estipulada pelo Ministério da Saúde, de 90% da população imunizada.