Connect with us

Editorial

Colégios cívico-militares: Um avanço ao Paraná

É uma ótima proposta que se espera por uma grande adesão

Publicado

em

cívico-militares

A proposta do Governo do Estado, aprovada majoritariamente na Assembleia Legislativa e inédita no Brasil, se comprovou eficaz e com excelentes resultados. O desempenho dos alunos dessa modalidade de escola é 20% melhor no Ideb das escolas normais.

Agora, os diretores das escolas que se enquadram no perfil cívico-militar estão convocando pais, professores e funcionários para aprovar ou não a mudança proposta pelo governo. As consultas públicas começaram na terça-feira, 27, e seguem até quarta-feira, 28.

A proposta é democrática, a comunidade escolar através de uma espécie de referendo vai dizer sim ou não ao modelo na escola em questão. Para ter validade, mais de 50% das pessoas aptas devem participar da consulta. 

Por exemplo, se a comunidade escolar tem 500 integrantes, é necessário um quórum de pelo menos 251 pessoas. Para migrar ao modelo cívico-militar basta a aceitação de 50% e mais um voto do total. O resultado de todas as consultas deve sair até quinta-feira, 29.

Os colégios cívico-militares vão ter carga horária ampliada, com aulas extras de português, matemática, educação financeira e valores éticos e constitucionais. Todos os estudantes vão receber uniformes e a formação de respeito às liberdades, apreço à tolerância, apropriação de valores com ênfase em comportamentos que valorizam o respeito e a honestidade.

Os colégios terão maior participação e integração das famílias para o desenvolvimento do ensino-aprendizagem, mais segurança no ambiente escolar e seu entorno, enfrentando a violência e promovendo a cultura da paz, além de prever uma forte atuação nas causas de repetência e abandono escolar.

A nova modalidade de ensino funcionará com gestão compartilhada entre militares e civis em escolas do 6.º ao 9.º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio. As aulas continuarão sendo ministradas por professores da rede estadual, enquanto os militares serão responsáveis pela infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares. Haverá um diretor-geral e um diretor-auxiliar civis, além de um diretor cívico-militar e de dois a quatro monitores militares, conforme o tamanho da escola.

É uma ótima proposta que se espera por uma grande adesão. 

Você pode garantir que seu filho tenha esse ensino de qualidade.

Basta participar da consulta, votando pela transformação dos colégios cívicos militares.