conecte-se conosco

Coronavírus

Prefeita de Guaraqueçaba fala sobre as ações tomadas para o enfrentamento da Covid-19 na Ilha do Superagui

Prefeita Lilian Narloch e o secretário municipal de Saúde Alcendino Barbosa, falaram sobre as medidas tomadas para o enfrentamento da Covid-19 na comunidade do Superagui

Publicado

em

Foto: Reprodução live

A prefeita de Guaraqueçaba, Lilian Ramos Narloch, no uso das atribuições conferidas pela Lei Orgânica do Município de Guaraqueçaba, editou o decreto 001/2022, que dispõe sobre medidas temporárias de enfrentamento da emergência de saúde pública, em decorrência do surto da infecção humana pela Covid-19, na comunidade da Ilha do Superagui, pertencente ao município de Guaraqueçaba, publicado no dia 3 de janeiro.

Na manhã de terça-feira, 4, a prefeita Lilian Ramos Narloch e o secretário municipal de Saúde, Alcendino Ferreira Barbosa, participaram de uma coletiva de imprensa virtual, e falaram sobre as ações tomadas para o enfrentamento da Covid-19 na comunidade do Superagui.

A prefeita abriu a coletiva informando os números de casos confirmados na localidade. “Nós tivemos 46 casos confirmados na comunidade do Superagui”, disse Lilian, que passou a palavra ao secretário de Saúde. “Infelizmente tivemos um surto em Superagui, e no dia de ontem nas coletas que fizemos para realizar os testes, nós constatamos até o final da tarde, 34 casos positivos entre os turistas, ou seja, pessoas que adentraram a Ilha para passar o final de semana, Natal e Ano Novo. E hoje pela manhã foram confirmados mais uns casos totalizando 46 casos na comunidade da Ilha do Superagui, um local bastante conhecido das pessoas que passam as festas de fim de ano nesta região.  Diante deste fato, resolvemos fazer um decreto que todos vocês têm conhecimento, como medida preventiva. Estaremos hoje ainda no período da tarde com as nossas equipes de saúde, complementar as outras equipes que já estão lá no local, para orientarmos as pessoas e os turistas que estão na ilha, fazer a sanitização, e outras orientações que estão elencadas no decreto”, destacou Alcendino, explicando que a pasta está vendo como os turistas poderão ser retirados da localidade. “Essa situação que estamos vendo agora para os turistas, como será realizada a retirada deles para retorno aos seus municípios, em uma embarcação só, um serviço só para que eles sejam deslocados até os seus municípios. Assim avisaremos também as equipes dos municípios por onde eles irão passar, a exemplo Paranaguá, até chegar às suas localidades (origem), que na sua grande maioria são de Curitiba e São José dos Pinhais. Vamos tentar deslocar este pessoal até as suas residências. É importante ressaltar que o município de Guaraqueçaba teve o seu último caso positivo em 9 de dezembro de 2021, ou seja, no ano que passou, e também havíamos passado três meses anteriores sem nenhum caso positivo de Covid-19, devido à vacinação na nossa região. Infelizmente aconteceu este fato de alguém estar contaminado no Superagui, em camping, e acabou contaminando outros turistas que foram passar as festas de fim de ano”, completou o secretário.     

O fato ocorreu devido aos turistas contaminados terem adentrado à ilha nas festividades deste final de ano, agravando a situação e contaminando outros turistas em campings e outros estabelecimentos. Como a testagem está sendo realizada em massa na localidade, em torno de 98 turistas testaram negativo, e também estão sendo orientados pelo município.  

“Os sintomas dos infectados são leves e moderados e todos estão tendo acompanhamento, estão sendo medicados e orientados como devem proceder de agora em diante. Mas todos estão orientados e medicados”, destaca o secretário. 

A pasta também informa a todas as pessoas que estiveram na  Ilha de Superagui no período do dia 31 de dezembro, que a presente data para que compareçam na unidade de saúde mais próxima do município na ala Covid-19 para informações e coleta de exame.

A prefeita Lilian reforça o pedido a população para que tomem todos os cuidados necessários para restringir a propagação do vírus no município. “Gostaríamos de abrir o ano de 2022 com outras informações para a população, com outro tipo de mensagem, mas infelizmente tivemos este acontecimento no Superagui e gostaria muito de deixar minha solidariedade ao grupo de comerciantes de Guaraqueçaba que enfrentou sérias dificuldades em 2021, onde tivemos aqui 21 óbitos, e a maioria dos comércios ficaram fechados por 6 meses, entendo que este decreto é uma medida impopular e que não agrada a população, mas principalmente da Ilha do Superagui, que é uma comunidade que vive da pesca artesanal e também do turismo neste período. Mas o nosso maior patrimônio são os nossos munícipes e a nossa população. É a vida do nosso povo. Diante disso, tomamos essa medida para que este surto não se alastre por todo o município”, enfatizou Lilian, pedindo a todos que continuem utilizando a máscara, mantendo o distanciamento social, utilizando álcool em gel e lavando as mãos, dentre as medidas amplamente divulgadas.   

Foto: Acervo RTVE

Segundo o decreto, ficou decido:

– Fica determinado o fechamento de bares, restaurantes e similares na comunidade da Ilha do Superagui, permitindo apenas o atendimento via sistema de delivery e/ou balcão.

– Ficam suspensas as atividades dos serviços dos estabelecimentos que não são considerados essenciais, principalmente as de passeios turísticos e atrações artísticas.

– Táxis náuticos e barcos maiores, que ofertam serviços de transporte à Ilha do Superagui, ficam autorizados a funcionar, com a monitoramento dos passageiros mediante listagem de embarque, disponibilização de álcool 70%, utilização obrigatória de máscara e limitação da capacidade em 70% da permitida pela Capitania dos Portos de Paranaguá.

Parágrafo único. Fica proibido o transporte de turistas e pessoas não residentes na comunidade do Superagui, salvo transporte das equipes médicas e de suporte na área da saúde.

– Serviços essenciais listados como essenciais nos decretos do governo estadual, devem atender as normas previamente determinadas sobre atendimento ao cliente já previstas em decreto municipal e limitar o acesso de pessoas em seu estabelecimento a no máximo de 30% de sua capacidade.

– Institui, no período das 20 horas às 5 horas, diariamente, proibição provisória de circulação em espaços e vias públicas, na comunidade da Ilha do Superagui.

Parágrafo único: Ficam liberados os pescadores artesanais que na prática de suas atividades precisarem realizar embarques, desembarques e acondicionamento das embarcações durante o período de proibição de circulação.

– Deverão os cultos religiosos presenciais serem suspensos na comunidade da Ilha do Superagui, mantidos as celebrações por meios eletrônicos, e devendo o aconselhamento religioso, se necessário ser realizado presencialmente, deverá ocorrer de forma individualizada, garantido o afastamento mínimo de dois metros entre as pessoas, os templos religiosos devem disponibilizar condições para que as pessoas adotem a prática de higiene de mãos no local, posicionando frascos e dispensadores abastecidos com álcool 70% em pontos estratégicos e de fácil acesso aos frequentadores; Além disso, todos os fiéis, funcionários e colaboradores devem usar máscaras de tecido recomendadas à população durante todo o período que estiverem fora de suas residências, mantendo seu uso durante os aconselhamentos.

O decreto orienta ainda que pessoas acima de 60 anos e do grupo de risco – hipertensos, diabéticos, gestantes e outros – devem permanecer em casa, acompanhando as celebrações por meios eletrônicos.

– Está proibida, ainda, a promoção de confraternizações e eventos presenciais que causem aglomerações.

–  As atividades de hotéis, pousadas, campings e similares terão os serviços suspensos até o dia 31 de janeiro de 2022, a partir da publicação deste decreto, devendo os turistas e hóspedes serem informados e retidos da comunidade tradicional no prazo máximo de 72 (setenta e duas) horas, sob pena de multa por descumprimento tanto ao estabelecimento quanto ao turista/hóspede.

– Fica autorizado ao setor de tributos, vigilância sanitária e vigilância em saúde promoverem a fiscalização de decks, trapiches e demais áreas municipais antes e após o toque de recolher, com autorização para autuar os que forem flagrados desrespeitando as normas do presente decreto.

– Fica autorizado aos órgãos/departamentos descritos no caput deste artigo a realização, de forma conjunto ou individualizada, a instalação de barreiras sanitárias, podendo para tanto ser requisitado apoio logístico e de pessoas dos demais órgãos que compõem a Administração Pública.

Aqueles que descumprem as medidas previstas deste decreto sofrerão sanções pecuniárias que podem variar de 05 UPF até 50 UPF.

Também recomenda aos estabelecimentos das demais comunidades e localidades que reforcem as medidas de enfrentamento à Covid-19.

Assinam o decreto a prefeita Lilian Ramos Narloch,  o Secretário Municipal de Saúde, Alcendino Ferreira Barbosa, e o Procurador Geral do Município, Kaio Murillo Neves Jaques.

Com informações do decreto 001/2022 da Prefeitura Municipal de Guaraqueçaba