conecte-se conosco

Coronavírus

Paranaguá amplia vacinação para crianças a partir dos cinco anos ou mais com comorbidades

Etapa da imunização é também para crianças na faixa etária em questão com deficiência permanente ou sob tutela do Estado

Publicado

em

Foto: Ilustrativa

No final da tarde de segunda-feira, 17, dia marcado pelo início da vacinação infantil contra a Covid-19 em Paranaguá, o município, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), reduziu a faixa etária alcançada pela imunização para crianças a partir de cinco anos ou mais com comorbidades, deficiência permanente ou sob tutela do Estado. A imunização está sendo realizada diariamente das 8h às 18h na Estação Ferroviária, algo que prosseguirá na terça-feira, 18, possuindo também como local de vacinação o  Centro Educacional Municipal de Referência ao Transtorno do Espectro Autista para aplicação de imunizantes em crianças com idade entre 5 a 11 anos com Transtorno do Espectro do Autismo.

“Para se vacinar a criança deve ter cinco anos completos ou mais e deve estar acompanhada do pai, mãe ou responsável legal constituído que assinará o Termo de Aceite. Outras pessoas não poderão ser acompanhantes. No ato da vacina é preciso apresentar laudo médico indicando a comorbidade de acordo com a lista informada como prioridade no Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde”, detalha a Prefeitura de Paranaguá.

Segundo a pasta de Saúde, pessoas do público infantil que tenham tomado outras vacinas em período recente, deverão aguardar um intervalo de 15 dias para receber sua dose pediátrica da Pfizer contra o Coronavírus.

O município listou as comorbidades consideradas para a vacinação de crianças contra a Covid-19 nesta etapa vacinal, algo que deve ser apresentado por meio de laudo médico, conforme o que o Ministério da Saúde (MS) prevê. Confira a lista: 

– Insuficiência cardíaca;

– Cor-pulmonante e Hipertensão pulmonar;

– Cardiopatia hipertensiva;

– Síndrome coronarianas;

– Valvopatias;

– Miocardiopatias e Pericardiopatias;

– Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosa;

– Arritmias cardíacas;

– Cardiopatias congênitas;

– Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados;

– Talassemia;

– Síndrome de Down;

– Diabetes mellitus;

– Pneumopatias crônicas graves;

– Hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3;

– Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo;

– Doença Cerebrovascular;

– Doença renal crônica;

– Imunossuprimidos (Incluindo pacientes oncológicos);

– Anemia falciforme;

– Obesidade mórbida;

– Cirrose Hepática;

– HIV.

Com informações da Prefeitura de Paranaguá/Secom