conecte-se conosco

Coronavírus

Paraná tem a terceira maior taxa de transmissão da Covid-19 do país

Índice de contágio no Estado está em 1,46

Publicado

em

Foto: Reprodução / shutterstock

A partir do dia 5 de janeiro, a taxa de transmissão (Rt) do novo Coronavírus no Paraná voltou a subir, projetando um crescimento no número de casos confirmados da doença. Nessa data, o índice de contágio estava em 1,06 no Estado. A última atualização do sistema Loft.Science, que calcula o Rt médio de todos os Estados e do Brasil com base em um algoritmo desenvolvido pela empresa, registrou uma taxa de 1,46, algo visto apenas no pico da pandemia.

Nesta segunda semana de 2022, o Paraná tem um índice de contágio em 1,46. O número significa que, atualmente, 100 infectados pelo vírus da Covid-19 contaminam, em média, 146 novas pessoas.

Além do informe epidemiológico da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), com os dados da pandemia da Covid-19, as informações em relação ao avanço do contágio no Estado podem ser observadas através do sistema Loft.Science. “O indicador tem como objetivo estimar o nível de contágio pelo vírus em um território durante a pandemia. A contaminação está acelerada se a taxa está acima de 1, estável se é igual a 1 ou em queda se está menor que 1 – o único caso em que a situação epidêmica demonstra melhora. Quanto mais próximo de zero, menores as chances de contágio”, informou a Sesa.

Dentre todos os Estados do Brasil, o Paraná tem a terceira maior taxa de transmissão da Covid-19 do país. Em segundo lugar aparece o estado de Minas Gerais com taxa de 1,61 e em primeiro está o estado do Rio de Janeiro com 1,79. Esses três estados brasileiros são os que registram uma acelerada no índice de contágio, aparecendo com o Rt acima de 1.

O sistema Loft.Science aponta que, desde o dia 1.º de outubro de 2021 o Paraná não registrava uma taxa de transmissão acelerada. Nesta data estava em 1,00. No dia 2 de  outubro de 2021 caiu para 0,99 e ficou em remissão até o dia 4 de janeiro de 2022, quando apresentou índice em 0,98. Hoje a taxa de reprodução do vírus está em 1,46.

Com o cenário em elevação neste mês de janeiro, a recomendação das autoridades de saúde é de manter a precaução e continuar seguindo protocolos de segurança e distanciamento social, sempre que possível. O Paraná confirmou na quarta-feira, 12, confirmou o primeiro caso da variante Ômicron da Covid-19. No mesmo dia, o Estado decretou epidemia de H3N2.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 está em 46% no Estado. A Secretaria Estadual de Saúde informou que a média de idade dos pacientes que morreram por consequência da Covid-19 é de 64,51 anos. De acordo com a secretaria, os homens são maioria entre as pessoas que morreram pela doença, com 23.432 óbitos (58% das mortes).

Em relação aos casos confirmados no Paraná, a média de idade dos pacientes infectados é de 39 anos, onde a maioria é de mulheres, com 870.258 casos, ou seja, 53%.