conecte-se conosco

Coronavírus

Crianças de 10 e 11 anos começam a ser vacinadas contra a Covid-19 em Paranaguá

Faixa etária irá abaixar conforme o número de doses recebidas

Publicado

em

Foto: Prefeitura de Paranaguá/Secom

Paranaguá iniciou a vacinação de crianças contra a Covid-19 na manhã de segunda-feira, 17. Alice Correa dos Santos, de 10 anos, foi a primeira criança a ser vacinada na Estação Ferroviária. A menina tem diabetes e foi levada pela mãe, que incentivou outros pais a também levarem seus filhos para a vacinação. As primeiras doses pediátricas começaram a ser aplicadas no Paraná no sábado, 15, para o público de 10 e 11 anos com comorbidades, deficiência permanente ou sob tutela do Estado.

A Estação Ferroviária está aberta das 8h às 18h para vacinação. As crianças têm uma sala especial de vacina, decorada para recebê-las, com atendimento preferencial, sem a necessidade de aguardar na fila. Para crianças autistas, também há um ponto fixo de vacinação no Centro Educacional Municipal de Referência ao Transtorno do Espectro Autista, localizado próximo da Secretaria Municipal de Saúde, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

A mãe de Alice, Janice Correa dos Santos, moradora no bairro Industrial, disse que esperou muito pelo momento de poder imunizar sua filha. “Hoje para mim é um dia muito feliz, porque é uma segurança muito grande, principalmente porque em fevereiro começam as aulas e ela está indo para a rede estadual. É uma tranquilidade, porque ela estará em contato com outras crianças, continuando com os cuidados. Em março ela ganha o presente que é a segunda dose no aniversário dela de 11 anos. Sou professora em um centro de educação infantil e prezo muito por isso, temos que ter um cuidado maior com eles”, enfatizou Janice.

Ela também deixou um recado. “Que os pais tragam seus filhos, ela está bem, não sentiu nada e é para a segurança dela. Eu e meu esposo já tivemos Covid e, graças a Deus, ela não teve sintoma nenhum”, contou Janice.

Alice tomou a dose e voltou para casa com o seu comprovante em mãos. “Esperei muito por esse momento. Estou feliz, porque eu tenho diabetes e é melhor para mim. Foi ruim ficar esses últimos anos fora da escola, não encontrei meus professores, meus amigos. Venham tomar a vacina porque é melhor para vocês”, afirmou a menina.

Nova etapa

As crianças têm uma sala especial de vacina, decorada para recebê-las

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, destacou o esforço do trabalho das equipes de saúde na vacinação contra a Covid-19. “É um dia importante para as nossas crianças, os profissionais têm feito um importante trabalho aqui na Estação desde o ano passado. Por aqui já passaram todas as faixas etárias, dos jovens até os mais idosos e agora a oportunidade para as crianças de 10 e 11 anos, algo muito aguardado. Há uma sala só para as crianças, estamos respeitando a nota técnica da Sesa, primeiro os que têm alguma comorbidade e tenho certeza que o Paraná receberá mais vacinas e vamos continuar a avançar bem”, evidenciou o prefeito.

A superintendente de Vigilância em Saúde em Paranaguá, Mari Gomes, ressaltou que o atendimento às crianças é diferenciado. “Iniciamos mais essa etapa, com alegria, emoção e diversão. Esperamos todos na Estação, lembrando que temos outro ponto fixo da vacina no Centro de Autismo para crianças autistas. O atendimento na Estação é bem rápido, há uma fila diferenciada, porque o fluxo na estação é muito intenso. Esperamos todos para a gente avançar, principalmente agora com a volta as aulas”, frisou Mari.

Doses pediátricas

Por enquanto, o chamamento para a vacina contra a Covid-19 em Paranaguá é para crianças de 10 e 11 anos com comorbidades, deficiência permanente ou sob tutela do Estado. A baixa na faixa etária ocorrerá conforme o número de doses que chegarem ao município. 

A Prefeitura de Paranaguá salienta que é preciso atenção quanto à imunização dessa faixa etária. Para se vacinar, a criança de 10 ou 11 anos completos deve estar acompanhada do pai, mãe ou responsável legal constituído que assinará o Termo de Aceite. Outras pessoas não poderão ser acompanhantes.

No ato da vacina é preciso apresentar laudo médico indicando a comorbidade de acordo com a lista informada como prioridade no Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. Crianças que tenham tomado outras vacinas recentemente devem esperar um intervalo de 15 dias para receber o imunizante contra a Covid-19.

Comorbidades

Confira as comorbidades consideradas pelo Ministério da Saúde para a vacinação de crianças, mediante apresentação de laudo médico: insuficiência cardíaca; cor-pulmonante e hipertensão pulmonar;  cardiopatia hipertensiva; síndrome coronarianas; valvopatias;  miocardiopatias e pericardiopatias; doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosa; arritmias cardíacas; cardiopatias congênitas; próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados; talassemia; síndrome de down; diabetes mellitus; pneumopatias crônicas graves; hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3; hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo; doença cerebrovascular; doença renal crônica; imunossuprimidos (Incluindo pacientes oncológicos); anemia falciforme; obesidade mórbida; cirrose hepática; e HIV.