Connect with us

Ciência e Saúde

Três municípios do litoral contam com infestação do Aedes aegypti

Até agora, 152 casos foram confirmados no litoral, todos eles em Paranaguá (Foto: Getty Images)

Publicado

em

Três municípios do litoral contam com infestação do Aedes aegypti

Antonina, Paranaguá e Pontal têm mais criadouros do mosquito

Na terça-feira, 25, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), através da Superintendência de Vigilância em Saúde, divulgou o Informe Técnico 009/2020-2021, abordando o boletim da situação da dengue em todo o Paraná. Segundo o informe técnico, Antonina, Paranaguá e Pontal do Paraná estão com infestação alta de proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, bem como do Zika vírus e chikungunya. Entretanto, na última semana, nenhum caso de dengue foi registrado em toda a região.

Segundo o boletim, que analisa dados técnicos da doença desde julho deste ano, o litoral conta até agora com 152 casos confirmados de dengue, todos eles em Paranaguá dos sorotipos DENV2 e DENV4. Nenhum óbito decorrente da dengue ou caso de Zika vírus ou chikungunya foi contabilizado em toda a região. Outro dado aponta que a Sesa investiga, atualmente, 238 casos no litoral com relação à dengue em Paranaguá (215), Pontal do Paraná (13), Matinhos (3), Guaratuba (2), Guaraqueçaba (2), Morretes (2) e Antonina (1). 

Proliferação do mosquito 

Um dos quadros analisados é a situação da infestação do Aedes aegypti. Segundo a Sesa, Antonina, Paranaguá e Pontal do Paraná estão infestados de criadouros do mosquito. O índice estadual aponta que a maioria desses pontos de proliferação está no lixo (sucatas em terrenos, plásticos, garrafas, latas, entulhos de construção – 43,70%), depósitos móveis (vasos, recipientes em geral – 23,10%) e locais de armazenamento de água para consumo humano (depósitos ao nível de solo para armazenamentos das casas – 15,50%). 

Paraná

Segundo a Sesa, 106 novos casos da dengue foram registrados no Paraná. “Até o momento, o Estado soma 1.060 casos confirmados da doença no período epidemiológico que começou em agosto e segue até o final de julho de 2021. Do total de casos confirmados, 812 são autóctones e estão registrados em 135 municípios. A incidência de autoctonia no Paraná está hoje 7,15/100.000 habitantes”, salienta.

“Os casos notificados também aumentaram; passaram de 9.968 para 11.086, com uma diferença de 1.118 casos. As notificações atingem 303 cidades paranaenses. O primeiro caso de Zika Vírus do período foi registrado no município de Cambé e também se trata de um caso autóctone”, reforça a Sesa.

“O Paraná segue alerta no combate à dengue promovendo, principalmente, a capacitação de profissionais para atuação integrada no diagnóstico e manejo das doenças nas áreas da Atenção Primária e da Urgência e Emergência. Estes profissionais são os responsáveis pelo primeiro contato com o usuário do sistema de saúde e com o trabalho integrado pretendemos mais agilidade na identificação da doença e tratamento do paciente, evitando óbitos”, ressalta o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

“Combater a dengue é um compromisso coletivo e a população precisa participar, eliminando os criadouros nos domicílios e nas áreas próximas; lembrando que cerca de 90% dos focos estão nestes ambientes”, finaliza Beto Preto.

O boletim completo pode ser acessado clicando aqui. 

Com informações da Sesa

Leia também: Adesão da população à vacinação contra o sarampo é baixa em Paranaguá