conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Moradora em Paranaguá morre devido à Influenza H3N2

Vítima tinha 69 anos e faleceu na quarta-feira, 16

Publicado

em

Foto: CDC/Science Photo Library/Getty Images - MS

Na quinta-feira, 17, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou novo informe epidemiológico sobre a situação da Influenza H3N2 em todo o Paraná. De acordo com os dados apresentados, o último boletim apontou o falecimento de mais um morador do litoral devido à doença. A vítima foi uma mulher de 69 anos que residia em Paranaguá e faleceu na última quarta-feira, 16. O último boletim da Sesa não apresentou nenhum novo caso da H3N2 no litoral paranaense. 

Entre o fim de 2021 e início de 2022, nove pessoas que residiam no litoral paranaense faleceram devido à H3N2, entre eles sete moradores de Paranaguá de 58, 69 72, 74, 76, 77 e 79 anos, entre eles cinco mulheres e dois homens, assim como os dois moradores de Matinhos que vieram a óbito e foram divulgados no último boletim. Segundo o informe da Sesa, nenhum deles havia tomado a vacina contra a Influenza.

Até agora, o litoral paranaense contabilizou 71 casos de H3N2. Os positivados residiam em Antonina (3), Guaraqueçaba (1), Guaratuba (3), Matinhos (5), Morretes (2), Paranaguá (54) e Pontal do Paraná (3). Em fevereiro, a região não registrou nenhum caso novo da Influenza, segundo os boletins da Sesa.

Paraná 

Segundo a Sesa, o Paraná confirmou na quinta-feira, 17, mais 56 casos e dez óbitos em decorrência da H3N2, dados obtidos por meio do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL). “A doença é um tipo do vírus da Gripe Influenza A e desde dezembro já registrou 2.037 casos e 98 mortes em 231 municípios. Em janeiro, o Paraná declarou estado de epidemia de H3N2, considerando o rápido contágio, direto ou indireto da doença. O Estado não registrava tantos casos neste período desde o início do monitoramento dos casos da Influenza A (H3) pela Sesa em 2016”, informa.

“Os novos óbitos foram registrados em Assis Chateaubriand (1), Bandeirantes (1), Centenário do Sul (1), Colombo (1), Fazenda Rio Grande (1), Ibaiti (1), Ipiranga (1), Laranjeiras do Sul (1), Paranaguá (1) e São José dos Pinhais (1). São cinco mulheres e cinco homens, com idades entre 40 e 86 anos. As mortes ocorreram entre os dias 6 de janeiro e 12 de fevereiro”, explica a assessoria da Sesa

Segundo a pasta estadual, os diagnósticos da doença são realizados por serviços de saúde, algo feito por atendimento, bem como por 43 unidades sentinelas no Estado, que são responsáveis em detectar doenças circulantes através de amostras aleatórias. “Já com relação à nominação da cepa do vírus, a confirmação depende do sequenciamento genômico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro”, finaliza a Sesa.

O boletim pode ser acessado no arquivo abaixo:

Com informações da Sesa