Connect with us

Paraná Produtivo

Rede Elétrica

O programa Rede Elétrica Inteligente começou a tomar forma nesta semana no Paraná com o início da instalação de 37 mil medidores digitais inteligentes

Publicado

em

Rede Elétrica

O programa Rede Elétrica Inteligente começou a tomar forma nesta semana no Paraná com o início da instalação de 37 mil medidores digitais inteligentes em Foz do Iguaçu e da conclusão dos projetos das redes e dos medidores em 20 municípios do Sudoeste. O início da fase de obras do programa foi anunciado na última quarta-feira, 18, em uma cerimônia na C.Vale, em Palotina. O Rede Elétrica Inteligente conta com investimento de R$ 820 milhões e tem como objetivo modernizar a gestão e a distribuição de energia elétrica no Estado. Na primeira fase serão atendidos 73 municípios das regiões Centro-Sul, Sudoeste e Oeste, beneficiando aproximadamente 1,5 milhão de paranaenses. O programa Rede Elétrica Inteligente nasceu depois que a Copel instalou o sistema em Ipiranga, como projeto-piloto, em 2018.

Pequenos geradores

No mesmo evento em Palotina, a Copel lançou uma chamada pública para a contratação de energia proveniente de autogeradores. O edital, inédito no Brasil, foi autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mediante solicitação feita pela Copel para implantar esse projeto-piloto de cinco anos. A previsão é contratar até 50 MW (megawatt) médios de energia nessa modalidade, equivalente a 438 mil MWh/ano ou 1,9% de sua carga anual. O objetivo da chamada é atrair produtores independentes de pequeno e médio porte, incluindo minigeradores, aproveitando ainda mais o potencial energético do Estado, com capacidade para operar de maneira conectada.

Copel Mercado Livre

A subsidiária de comercialização da Copel foi reconhecida como a segunda melhor empresa do ramo de energia na edição 2020 do ranking Melhores e Maiores da revista Exame. A premiação foi anunciada na última quarta-feira, 18, em evento virtual transmitido no portal da revista. A Copel Mercado Livre (antiga Copel Energia) foi laureada pelo “sucesso nos negócios e pela disputa de mercado com os concorrentes”. A premiação é respaldada pelos números da subsidiária. Até setembro de 2020, a empresa comercializou 1,4 mil MWmédios, 41% a mais do que os 980 MWmédios vendidos em todo o ano de 2019. Além disso, até setembro de 2020, a receita operacional líquida da Copel Mercado Livre subiu 37%, quando comparada com o mesmo período de 2019, passando de R$ 1,3 bilhão para R$ 1,8 bilhão.

Prêmio à Sanepar

Na categoria Infraestrutura, a revista Exame elegeu a Sanepar como a segunda melhor empresa do Brasil. No ranking geral, que elenca as mil maiores empresas do Brasil neste ano, a Sanepar ficou na 155ª posição, subindo 12 posições em relação à lista das maiores no ano passado. Está é 47ª edição do ranking desenvolvido pela revista de economia e negócios, que classifica empresas por seus indicadores de desempenho. Nesta edição, a Exame incluiu ainda o voto popular. A pontuação total da Sanepar foi de 645, muito próxima à da primeira colocada, que obteve 710 pontos. Além do ranking Melhores e Maiores 2020 da Exame, a Sanepar foi destaque na edição 2020 do prêmio Valor 1000, como a segunda melhor do setor de saneamento.

Briga pela Repar

Os grupos Raízen e Ultra disputam de forma acirrada a compra das refinarias da Petrobras na Região Sul. A estatal deve receber, no dia 10 de dezembro, propostas pela Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, e Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul. A Repar é considerada a joia da coroa. Com localização considerada “estratégica”, está próxima de São Paulo, o maior mercado consumidor de combustíveis do país, e do Porto de Paranaguá. Segundo o jornal Valor Econômico, a chinesa Sinopec e a indiana Essar também planejam fazer propostas pelas duas unidades. As ofertas pela Refap e Repar podem ficar em cerca de US$ 2 bilhões e US$ 3 bilhões, respectivamente, conforme estimativas de especialistas.

Café Qualidade 2020

Os produtores Juarez Colatino de Barros, de São Jerônimo da Serra, e Shigue Kuwano Sera, de Congonhinhas, venceram o concurso Café Qualidade Paraná 2020. Eles superaram mais de 300 cafeicultores que participaram desta 18ª edição do concurso. Foram finalistas 99 lotes. O encerramento do certame aconteceu na última quinta-feira, 19, em solenidade online transmitida pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná). Os campeões têm garantida a aquisição de seu lote pelo valor de R$ 2,2 mil a saca, 216% superior à cotação registrada na quarta-feira (18) na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F). Para comparação, o mercado físico de café, praça de Londrina, paga ao redor de R$ 500 a saca de um produto de boa qualidade.

Exportações paranaenses

As exportações do Paraná têm apresentado instabilidade em 2020. Depois de um mês de alta, o resultado de outubro, divulgado pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia, voltou a cair. Ficou em US$ 1,32 bilhão em produtos exportados em outubro. O valor é 15% menor do que o registrado em setembro e 6% abaixo do de outubro de 2019. Os meses de agosto e maio também tiveram resultados negativos tanto em relação ao mês anterior quanto em relação ao mesmo mês do ano anterior. Já as importações somaram US$ 868 milhões em outubro. Com isso, o saldo da balança comercial paranaense ficou em US$ 455 milhões no mês. No ano, as exportações do estado acumulam US$ 13,9 bilhões, valor 1,68% maior do que o verificado no mesmo período do ano anterior.

Pronampe III

O Senado aprovou na última quarta-feira, 18, em sessão remota, o projeto que autoriza a continuidade do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Se virar lei, essa será a terceira rodada de financiamentos do programa, criado em maio. Para isso, o texto ainda precisa do aval da Câmara dos Deputados. A relatora, senadora Kátia Abreu (PP-TO), apresentou relatório inicial em que propunha juros mais altos para a concessão dos empréstimos. Durante a discussão nesta quarta, no entanto, a parlamentar optou por manter as regras originais do programa. A decisão foi tomada sob o argumento de que os recursos reservados para o Pronampe são “crédito extraordinário” e não poderão ser “postergados” para o próximo ano.

Economia brasileira

A economia brasileira registrou alta de 7,5% no terceiro trimestre, na comparação com os três meses anteriores, segundo dados do Monitor do PIB-FGV, divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) na última quinta-feira, 19. Frente ao mesmo período de 2019, no entanto, o resultado é uma queda de 4,4%. Segundo a FGV, em setembro o PIB teve uma alta de 1,1% ante o mês anterior. Já na comparação com o mesmo mês do ano passado recuou 2,3%. “O forte crescimento de 7,5% da economia brasileira no 3º trimestre, reverte, em parte, a forte retração de 9,7% registrada no 2º trimestre deste ano, em função da chegada da pandemia de Covid-19 ao Brasil, a partir de março”, diz em nota o coordenador da pesquisa, Claudio Considera.

Setor aéreo

O setor aéreo deve operar em dezembro com 80% da capacidade registrada no mesmo mês no ano passado, em um cenário pré-pandemia do Coronavírus. A previsão foi apresentada pelo secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, em debate sobre as perspectivas do setor no .2º Seminário de Competitividade do Setor de Infraestrutura, promovido pelo Ministério da Infraestrutura em parceria com a Fundação Dom Cabral, transmitido pela internet. Durante o período de isolamento social, as empresas aéreas tiveram redução de 93% em suas atividades, chegando a 99% nos meses de pico de circulação do vírus e das medidas de isolamento social. A média de 2,5 mil voos diários caiu para cerca de 200 por dia. Quanto aos voos internacionais, em dezembro as linhas aéreas deverão operar com cerca de 45% do nível registrado em dezembro do ano passado.

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

Leia também: Produtividade dos portos