Connect with us

Paraná Produtivo

Expectativa Industrial

Um dos mais tradicionais estudos sobre a indústria do Paraná começa a ser disparado esta semana pela Fiep

Publicado

em

paralisar

Um dos mais tradicionais estudos sobre a indústria do Paraná começa a ser disparado esta semana pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). A 25.ª edição da Sondagem Industrial quer atingir o maior número possível de respondentes neste ano atípico para economia e os negócios. Criada em 1995, a pesquisa é divulgada anualmente em dezembro e revela como está a expectativa dos industriais do Estado para o próximo ano e como foi o desempenho do setor no ano que se encerra. Em 2020, o estudo será fundamental para captar como foi o impacto da pandemia da Covid-19 no Estado e como está sendo a recuperação nos 37 segmentos industriais. A sondagem será encaminhada aos empresários esta semana e eles terão um mês para responder. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail [email protected]

Mercado do leite
Levantamento feito pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento mostra a situação do mercado do leite e seus derivados. O aumento de preços de insumos elevou o custo de produção e, por consequência, os valores pagos aos produtores subiram mais de 50%, em média, este ano. Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), responsável pelo levantamento, entre os vários motivos está o aumento nos preços da soja e milho, principais componentes da ração fornecida aos animais. No Paraná, só em 2020, o preço do leite subiu 51% em relação ao ano passado, reproduzindo um efeito cascata sobre o preço dos derivados como queijos, iogurtes e cremes para os consumidores. Já os custos de produção, subiram mais do que isso. A ração subiu 53%, pressionada pelo aumento no custo do farelo de soja que está 84% mais caro.


Soluções inovadoras
Interessados em promover soluções inovadoras que induzam a sustentabilidade podem contar com mentoria técnica da Invest Paraná – agência responsável pela prospecção de novos negócios e atração de investimentos ao Estado. A empresa pública lançou na quarta-feira, 14, o Invest Pass, programa que tem o objetivo de impulsionar soluções sustentáveis e inovadoras por meio do desenvolvimento de um Plano de Suporte Conjunto (PSC). A Invest será uma espécie de ponte entre os setores público e privado, ou seja, entre os paranaenses que querem empreender suas ideias e investidores e empresários. Pode ser solicitado, através do Invest Pass, apoio no desenvolvimento de um produto ou na busca de financiamento de investidores. Os interessados podem cadastrar suas ideias no site da Invest Paraná (http://www.investparana.org.br).

Caminhões de construção
Um dos maiores fabricantes de caminhões vocacionais do Brasil, a Volvo aumentou em 154% as vendas de veículos para a construção, no acumulado de janeiro a agosto, com ganho de market share. O aumento nas vendas está relacionado a diferentes modelos de VMs vocacionais, normalmente para trajetos dentro das cidades: desde os veículos 6×4 implementados com betoneira que abastecem as obras, passando por caminhões 6×2 para caçambas que transportam areia e detritos, até outros modelos 4×2 e 6×2 normalmente usados para carregar tijolos, cimento, tubulações e outros materiais de construção das lojas para o cliente final. Embora construção ainda não tenha voltado ao nível pré-pandemia, os negócios com veículos vocacionais continuam crescendo em todas as regiões. A Volvo, por exemplo, já vendeu mais caminhões VM 330cv e 270cv para o setor de janeiro a agosto deste ano do que no em todo o exercício de 2019.

Ciência e tecnologia
No Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovações, o Governo do Paraná promove uma série de eventos online, com foco no tema Inteligência Artificial (IA) e ecossistemas digitais para inovação. Os eventos são realizados pela Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e serão transmitidos ao vivo, às 19 horas, no período de 16 a 23 de outubro. O objetivo é promover as ações e iniciativas de IA desenvolvidas no Paraná, especialmente por professores e pesquisadores das universidades estaduais. Os painéis contemplam diferentes iniciativas paranaenses no campo da IA, aplicada a diversos setores produtivos, como agronegócio, educação, cidades inteligentes, saúde e cultura. Programação completa e mais informações estão disponíveis no site www.uvpr.pr.gov.br/inteligenciaartificial/.

Cooperjovem
O Encontro Estadual de Educadores do Programa Cooperjovem foi realizado na última quinta-feira, 15. A iniciativa do Sistema Ocepar, viabilizada por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), teve o objetivo de comemorar o Dia do Professor. Transmitido pela TV Paraná Cooperativo (youtube.com/sistemaocepar), o encontro teve mais de 600 participantes. Destinado a fomentar a cultura da cooperação no ambiente escolar e nas comunidades, com base em uma prática pedagógica cooperativa, o Programa Cooperjovem é realizado no Paraná pelo Sescoop/PR, em parceria com 23 cooperativas, abrangendo cerca de 34 mil alunos, 2.200 professores e aproximadamente 348 escolas de ensino fundamental em 66 municípios paranaenses.

Aquisição da Imcopa no Cade
Com cerca 500 funcionários em duas plantas no Paraná, a processadora de soja Imcopa corre o risco de ver sua venda para a multinacional Bunge não se concretizar. De acordo com o jornal Gazeta do Povo, na última semana o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu que irá julgar em tribunal a aquisição, anunciada em fevereiro e formalizada em maio. A Imcopa, que é uma das maiores indústrias no segmento, responsável por produzir o óleo de soja da marca Leve, está em recuperação judicial e depende da negociação para pagar credores. Estima-se que a dívida da empresa esteja na casa de R$ 1 bilhão. Segundo o Cade, Imcopa e Bunge apresentaram dados de mercado divergentes dos apresentados pelos concorrentes no que diz respeito à estrutura do setor de óleo de soja refinado.

Produção de motocicletas
A produção de motocicletas registrou alta de 13,1% na produção em setembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo balanço divulgado na última quarta-feira, 14, pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo). Foram montadas em setembro 105 mil motocicletas, o melhor resultado do ano até agora. No acumulado do ano, a fabricação de motocicletas caiu 17,1%, com a fabricação de 693,5 mil unidades, contra 836,4 mil de janeiro a setembro de 2019. As exportações acumulam queda de 18,8% de janeiro a setembro em comparação com o mesmo período de 2019. De janeiro a setembro, foram vendidas para o exterior 23,6 mil unidades. A Argentina é o principal destino da produção brasileira exportada, com 7,2 mil unidades. Em seguida vêm a Colômbia (4,5 mil) e os Estados Unidos (4,3 mil).

Aço bruto brasileiro
A produção brasileira de aço bruto em setembro somou 2,6 milhões de toneladas, alta de 7,5% ante mesmo mês de 2019, informou na última quinta-feira, 15, o Instituto Aço Brasil (IABr). Já a produção de laminados foi de 1,9 milhão de toneladas, 2,6% inferior no comparativo anual. A produção de semiacabados para vendas foi de 456 mil toneladas, redução de 31,9%. As vendas internas cresceram 11,8% frente para 1,8 milhão de toneladas. O consumo aparente de produtos siderúrgicos foi de 1,9 milhão de toneladas, 8,2% superior. As exportações de setembro foram de 756 mil toneladas, recuo de 20,9%. Já as importações, de 142 mil toneladas, representaram queda de 22,9%. No acumulado do ano até setembro, a produção de aço bruto no país foi de 22,3 milhões de toneladas, declínio de 9,7% contra mesma etapa de 2019.

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.