conecte-se conosco

Maçonaria

A construção social

Temos alertado neste espaço, frequentemente, quanto à existência de aproveitadores mal-intencionados que se valem do interesse público pela Maçonaria para atrair e enganar pessoas que, de boa-fé, acabam sendo vítimas de golpes

Publicado

em

A Maçonaria nos tempos primórdios

Temos alertado neste espaço, frequentemente, quanto à existência de aproveitadores mal-intencionados que se valem do interesse público pela Maçonaria para atrair e enganar pessoas que, de boa-fé, acabam sendo vítimas de golpes, inclusive perdendo dinheiro. Um dos objetivos desta coluna da Loja Perseverança é, portanto, apresentar e reiterar informações que possibilitem aos leitores um melhor entendimento do que seja a Maçonaria, de forma que, ao também saberem melhor identificarem o que ela não é, possam identificar de longe os golpistas. 

Para tanto, valemo-nos hoje de um trecho de material produzido oficialmente pelo Grande Oriente do Brasil – Paraná, justamente destinado a postulantes a ingressar na Ordem, e que assim esclarece: 

“A maçonaria é, essencialmente, uma entidade filosófica, educativa, filantrópica e progressista, que tem como objetivo reunir pessoas comprometidas com o bem comum e com a construção e defesa das mudanças sociais positivas. 

Aliás, a palavra “maçom” vem do francês e quer dizer “pedreiro”, já que os primeiros membros da ordem eram construtores de catedrais e monumentos. Só no final da Idade Média é que a maçonaria começou a aceitar outras pessoas que não eram pedreiros de ofício e se tornou um grupo que se dedica a liberdade de pensamento e de expressão, à liberdade religiosa, política e contra qualquer absolutismo.

Hoje é uma sociedade discreta, mas houve um tempo em que nada era tão claro assim e, por causa disso tantos boatos surgiram a respeito da maçonaria. Nos pilares da irmandade, no século 18, as sociedades secretas eram proibidas e todos os membros de grupos e organizações civis tinham que ter seus nomes divulgados. Os pedreiros da época equivaliam a arquitetos, engenheiros, empreiteiros. Para não perderem a hegemonia na construção civil, militar e religiosa, eles mantinham os segredos da profissão, passados só aos aprendizes mais confiáveis e em ocasiões especiais. Com o tempo, essas aulas viraram fóruns, atraíram gente de fora e foram transferidas para locais chamados “lodges” (lojas).

Surgida entre o final do século XVI e início do século XVII, a maçonaria é tida hoje em dia como a maior e mais antiga fraternidade existente no mundo. Atualmente, conta com mais de três milhões de integrantes, estando eles espalhados pelos cinco continentes. “Uma sociedade que tem por objetivo unir os homens entre si. União recíproca, no sentido mais amplo e elevado do termo, e nesse seu esforço de união dos homens, admite em seu seio pessoas de todos os credos religiosos sem nenhuma distinção”.

Além do objetivo de união dos homens, a maçonaria também deseja investigar a verdade, fazer um exame da moral e colocar em prática virtudes. Estudar as causas naturais, ajudar a quem necessita de apoio e lutar pelas expressões verdadeiras. A Maçonaria ainda é uma escola de Moral induzindo seus membros pelo exemplo a se tornarem seres humanos melhores e formarem uma sociedade mais justa.

Em essência, o objetivo da Maçonaria é auxiliar o desenvolvimento da humanidade enquanto sociedade organizada, formando construtores sociais ou formadores de opinião.”

Com base no material “Informação aos Postulantes”, do GOB-PR. 

Responsável: Loja Maçônica Perseverança – Paranaguá – PR ([email protected]