conecte-se conosco

Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá

DR. JOAQUIM TRAMUJAS  – O PRESIDENTE PERPÉTUO

HOMENAGEM AO MÉDICO

Publicado

em

Cuidado, dedicação, abnegação, determinação, coragem, disposição, doação. Essa lista poderia seguir por linhas e linhas, mas ao se falar de uma das profissões mais essenciais para toda a sociedade, a medicina, um fator em comum se sobressai.

Como bem disse o psiquiatra Carl Jung, um dos mais renomados médicos da história: “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana”.

Em nossa homenagem aos Presidentes do Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá – IHGP, na data dedicada ao Dia do Médico, destacamos aquele que é considerado como nosso Presidente Perpétuo, pois dedicou grande parte de sua vida ao Instituto.

Trata-se de Joaquim Tramujas.  Nasceu em Paranaguá no dia 19 de maio de 1914 e faleceu no dia 7 de abril de 1987. Seu pai chamava-se José Tramujas e a mãe Albina Martins Tramujas. Casou-se com Vera de Souza e Silva, de cujo matrimônio nasceram dois filhos, Joaquim Tramujas Filho e Olga Maria Tramujas Bassanesi.

Estudou em Paranaguá na Escola Faria Sobrinho e, depois, no Instituto de Educação Dr. Caetano Munhoz da Rocha. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Paraná. Uma vez diplomado, retornou a Paranaguá, onde além de exercer sua profissão de médico na Santa Casa de Misericórdia não deixou de lecionar. Exerceu o cargo de Vereador na Câmara de Paranaguá, sendo também seu Presidente em 1951 e 1952.

Foi eleito Prefeito de Paranaguá nas eleições de 1959, exercendo essa função de 1960 a.1964.

Apoiou as manifestações artísticas e literárias, sendo um dos fundadores do Centro de Letras de Paranaguá e participante ativo dos clubes esportivos, inclusive foi Presidente do Clube Atlético Seleto. Escreveu para o jornal “Diário do Comércio”, para a revista “O Itiberê” e para as publicações do Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá.

Em 1985, publicou o livro “Vivências”, reunindo muitos dos seus discursos e crônicas. Como bem disse o professor Waldomiro Ferreira de Freitas em relação a esse livro: “Não dá para interromper sua leitura”. Foi um excelente orador e os seus discursos, ainda dispersos, poderiam compor mais uma magnífica coletânea.

Recebeu, em homenagem ao seu árduo trabalho frente ao IHGP, o nome da Praça Cívica, inaugurada no aniversário de 68 anos do IHGP, em 1999, situada no terreno do próprio Instituto. A Sede própria de que hoje dispomos, deve-se ao incansável trabalho do Dr. Joaquim Tramujas na divulgação da importância do IHGP   junto ao Governo do Estado, que concordou com a doação do prédio, o qual foi inaugurado em 1963 como a sua sede.

Poderíamos, na visão médica, infelizmente, dizer que a sede do IHGP está extremamente doente, pois suas paredes, janelas, portas, revelam a ação do tempo e o descaso das autoridades na preservação de nossos patrimônios.

Expressar gratidão e homenagear os médicos não apenas fortalece seu ânimo e resiliência, mas também reafirma o valor e a importância de seu trabalho na sociedade. Cada gesto de agradecimento, grande ou pequeno, contribui para a valorização e o reconhecimento desses profissionais indispensáveis.

O nosso intuito, no Dia do Médico, comemorado em 18 de outubro, é evidenciar o trabalho desses profissionais que são fundamentais em todos os dias do ano, em todos os anos, e mostrar que muito trabalham em prol da cultura, da tradição, do reconhecimento da história viva de nosso país.

Guadalupe Vivekananda Fabry

Lúcia Helena Freitas da Rocha

Publicidade










plugins premium WordPress