conecte-se conosco

Valmir Gomes

A COPA DA FRANÇA E DO MODRIC

Tivemos uma chuva de jogos, alguns regulares, porém a maioria com um ingrediente fundamental para o futebol, emoção. Não falo da qualidade que foi pouca, falo da emoção. Vou me ater à final. A Croácia jogou e a França ganhou, claro houve ajuda nos erros da arbitragem…

Publicado

em

Tivemos uma chuva de jogos, alguns regulares, porém a maioria com um ingrediente fundamental para o futebol, emoção. Não falo da qualidade que foi pouca, falo da emoção. Vou me ater à final. A Croácia jogou e a França ganhou, claro houve ajuda nos erros da arbitragem. No primeiro gol, não houve falta, nem aqui nem na Cacha-Prego! No segundo gol, só o árbitro de vídeo viu o pênalti. Coisas do futebol. Reclamar para quem? A França era favorita, porém quando a bola rolou, as coisas se apresentaram de maneira diferente. Se não houvesse a interferências da arbitragem, arrisco dizer que o jogo seria decidido de outra maneira. Com vantagem reduzida para um lado ou outro. Agora a França é a campeã e o meia cancha da Croácia, Modric, o melhor jogador da Copa com inteira justiça. O resto lamentavelmente é história.

 

VITÓRIA DO FUTEBOL TRADICIONAL

Os comentaristas da Faculdade de Jornalismo adoram termos modernos, antes da Copa só falavam em marcação alta, terceiro terço do campo, linhas de cinco, etc. e tal. Vieram os jogos e com eles o futebol jogado de maneira tradicional, vejam o jogo final, a França com uma retranca bem do passado, usando no contra-ataque a velocidade do Mbappé. Sem modernismo nenhum. A copa nos mostrou com simplicidade a vitória do futebol, sobre os esquemas táticos e suas miragens científicas cheias de marketing. Como se o futebol fosse um produto mágico e não um esporte popular.

 

O MILAGRE FRANCÊS

Muita gente critica a França por ser a campeã do mundo, com atletas vindos da imigração. Gente, penso o contrário, o futebol como carro-chefe, o esporte como um todo nos dá lição de integração com o próximo. Seja ele preto, branco, amarelo, letrado, analfabeto, pobre, rico, religioso ou não. Por intermédio do esporte, o atleta se torna um ser humano integrado na sociedade, sem traumas ou preconceito. São inúmeros os exemplos, do Bolt ao Mbappé para citar dois. Parabéns, França pela qualidade das Escolas Públicas, por ser o melhor provedor da Saúde Pública no mundo, por receber 85 milhões de turistas todos os anos, pelo padrão de vida do seu povo. Obrigado, França por acolher os africanos, bons de bola ou não.

 

FOMOS TODOS CROÁCIA

Uma terra de lutas pela liberdade, que há pouco tempo conseguiu definitivamente seu sonhado território. A maldita guerra que acaba com as famílias e joga irmãos contra irmãos, foi a única saída. O tempo passou rápido e a Copa do Mundo, um velho sonho bateu às portas da Croácia. Com a têmpera dos combates, com a determinação dos guerreiros, com a paciência dos estrategistas, com a humildade sem subserviências, eles chegaram na Rússia. Deram lição, só não foram campeões pelos detalhes do futebol. O milagre Croata foi forjado na luta pela liberdade. Fomos todos Croácia.

 

 

 

Continuar lendo
Publicidade