Connect with us

Trânsito

Paranaguá tem 1 carro para cada 4 habitantes

Dados do Detran Paraná indicam aumento de 5% na frota total de veículos no município

Publicado

em

A frota de veículos tem aumentado no País e, em Paranaguá, somente em se tratando dos automóveis, há um carro para cada quatro habitantes. As informações são do Departamento Estadual de Trânsito do Paraná (Detran-PR), que divulga mensalmente a frota de veículos cadastrados por município e tipo. Os últimos dados são de maio de 2019.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Paranaguá possuía uma população estimada, em 2018, de 153.666 habitantes. A frota, somente de automóveis no município, subiu de 34.443 carros, em 2018, para 35.998 em 2019. Resultando em um crescimento de 1.555 carros em um ano.

O documento do Detran traz, ainda, o quantitativo de outros veículos. Estão cadastrados, de acordo com os dados do mês de maio deste ano, 1.690 caminhões, 2.738 caminhões-trator, 3.132 caminhonetes, 2.092 camionetas, 59 ciclomotores, 183 micro-ônibus, 15.908 motocicletas, 3155 motonetas, cinco motor casa, 201 ônibus, 1.681 reboques, 3.472 semirreboques, seis side cars, oito tratores esteira, 41 tratores rodas, dois tratores misto, 49 triciclos, 357 utilitários e nenhum quadriciclo.

No total, a frota de veículos em Paranaguá saltou de 67.167, em 2018, para 70.777, em 2019, revelando um aumento de 5% no período de um ano.

Paranaguá segue a média nacional, já que, em 2017, o Brasil tinha um automóvel para cada 4,4 habitantes. São 45,4 milhões de veículos do tipo. Há dez anos, a proporção era de 7,4 habitantes por carro. Apenas 19 das 5.570 cidades do País registraram uma diminuição na frota de automóveis.

No total, a frota de veículos em Paranaguá saltou de 67.167, em 2018, para 70.777, em 2019

IMPACTO NO TRÂNSITO E NA QUALIDADE DE VIDA

O advogado, especialista em Trânsito, mestre em Gestão Urbana e professor de Legislação e Gestão de Trânsito, Carlos Alexandre Negrini Bettes, afirmou que o alto índice de motorização normalmente é decorrente da precariedade do sistema de transporte público de passageiros e a consequente vontade e necessidade das pessoas de partirem para o transporte individual.

“Por outro lado, o modelo urbanístico que prevaleceu no Brasil ao longo do século XX foi inteiramente voltado à cultura do automóvel. Esse modelo se caracterizou por espaços viários crescentes para os automóveis e cada vez mais raros e precários para os pedestres e para outros modos de deslocamento, como as bicicletas”, analisou Bettes.

Segundo ele, agora as cidades começam a sofrer as consequências desse processo. “Com cada vez mais dificuldade em equacionar as questões urbanísticas, ambientas e de trânsito. Com isso aumentam os congestionamentos, a poluição do ar, além dos acidentes decorrentes da disputa por espaço, onde os mais vulneráveis são os pedestres e ciclistas”, observou o advogado.

A legislação tem trazido mecanismos que buscam intervir nessa questão.  “Como, por exemplo, exigindo que os municípios possuam órgãos de trânsito com a atribuição de planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito não só de veículos, mas também de pedestres, além de promover o desenvolvimento da circulação de ciclistas”, disse Bettes.

O Estatuto da Cidade também traz a exigência de estudo de impacto de vizinhança e de adoção de medidas mitigadoras para a instalação de empreendimentos ou atividades que possam funcionar como polos geradores de tráfego. “Isso porque nem mesmo grandes ações de engenharia viária são capazes de dar conta da circulação dessa frota que não para de crescer, pois o espaço público das vias é limitado”, concluiu o advogado.

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.