Connect with us

Meio Ambiente

Baleias e lobo-marinho-do-sul são avistados no litoral do Paraná

Baleia jubarte avistada na baía de Paranaguá (Laboratório de Ecologia e Conservação/UFPR)

Publicado

em

Equipe da UFPR acompanhou deslocamento de baleia jubarte em Paranaguá e realizou proteção a lobo-marinho-do-sul 

No sábado, 20, e domingo, 21, equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da Universidade Federal do Paraná acompanhou o deslocamento de uma baleia Jubarte na baía de Paranaguá. Além disso, como parte do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP/BS), o grupo da UFPR também atendeu o caso de uma baleia encalhada em frente ao Centro de Estudos do Mar (CEM) em Pontal do Paraná e fez a proteção de um lobo-marinho-do-sul que descansava em uma praia de Matinhos. 

Segundo a assessoria, no sábado, 20, pesquisadores receberam informação sobre a presença da baleia Jubarte na região. “O grupo do CEM, que atua em parceria com o Centro de Mamíferos Aquáticos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), foi até a região entre a Ilha do Mel e Pontal do Sul, e avistou o animal no canal de navegação da baía de Paranaguá. A baleia Jubarte (Megaptera novaeangliae) é juvenil, mede menos de dez metros de comprimento, e estava ativa, expondo com frequência as nadadeiras peitorais, a cabeça e fazendo saltos. Tais comportamentos, de acordo com a equipe da UFPR, podem ser vistos quando o animal não é molestado, pois, quando estressado, ele pode bater muitas vezes a cauda na superfície ou mesmo passar mais tempo submerso”, explica a assessoria da UFPR.

De acordo com a equipe do CEM, a espécie está na categoria de “quase ameaçada” quanto ao risco de extinção e tem hábitos migratórios. “Elas, anualmente, vêm de regiões frias como a Antártida, onde se alimentam, para se reproduzir em águas quentes do litoral brasileiro. Ocorrências semelhantes foram registradas durante os últimos anos de monitoramento no Paraná, mas esta é a primeira vez que o animal é avistado em área interna da baía”, explica a UFPR.

ORIENTAÇÕES À POPULAÇÃO E TURISTAS 

Equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da UFPR atuando na baía de Paranaguá (Foto: Laboratório de Ecologia e Conservação/UFPR)

A Portaria n.º 24 /2002 expressa em seu artigo 2.º: “É vedado a embarcações que operem em águas jurisdicionais brasileiras: aproximar-se de qualquer espécie de baleia com motor engrenado a menos de 100 metros de distância do animal mais próximo, devendo o motor ser obrigatoriamente mantido em neutro, quando se tratar de baleia Jubarte Megaptera novaeangliae”, informa a norma.

Segundo os pesquisadores da UFPR, o respeito a tais requisitos é algo essencial para garantir a proteção do animal, assim como para a segurança das embarcações. “Pedimos a ajuda de todos para aproveitarem este momento maravilhoso de ocorrência de uma baleia em nossas águas paranaenses, com respeito ao animal e com os cuidados à segurança de todos”, destaca a professora Camila Domit, coordenadora do Laboratório e de ações de pesquisa e conservação de baleias e golfinhos no litoral do Paraná.

“A orientação, caso alguém aviste uma baleia, tartaruga, golfinho, lobo-marinho ou ave marinha morta ou debilitada, é entrar em contato com a equipe pelo telefone 0800 642 3341 (Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos), ou diretamente no Centro de Estudos do Mar pelo número (41) 3511-8685”, informa a UFPR.

LOBO-MARINHO-DO-SUL E BALEIA MINKE

No sábado, 20, além do avistamento da baleia jubarte, equipe do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos e da UFPR foram acionadas ao final do dia  para atendimento a um encalhe de uma baleia registrada morta. No domingo, 21, populares acionaram o grupo para atendimento da chegada de um lobo-marinho-do-sul (Arctocephalus australis) vivo em praia de Matinhos.

“O lobo-marinho-do-sul encontrado descansando na faixa de areia no Balneário Ipacaraí é um juvenil, e possivelmente o mesmo animal que as demais bases do PMP-BS acompanham desde o Estado de Santa Catarina. A espécie possui o hábito migratório e na época do inverno se desloca do sul da Argentina e do Uruguai ao longo da costa brasileira, em busca de alimento. É comum que ao longo do trajeto a espécie pare na faixa de areia para descanso e, com frequência, é avistada nas praias dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo”, explica a assessoria. 

Em conjunto com a Guarda Municipal de Matinhos, os pesquisadores isolaram a área em que está o lobo-marinho e orientaram moradores e turistas sobre a ocorrência e ações de proteção ao animal ao encontrá-lo na praia. “Como o animal estava com boa condição de saúde, os médicos veterinários do PMP-BS o mantiveram na praia apenas sob supervisão. Conforme informações da equipe, caso o animal demonstrasse um quadro de debilitação, seria manejado e deslocado para o Centro de Reabilitação e 
Despetrolização de Fauna Marinha da UFPR”, informa a UFPR.

“Foi um fim de semana bastante intenso de monitoramento de fauna marinha, possivelmente pela entrada de ventos fortes, que puderam ser observados em nosso litoral durante estes dias”, destaca a bióloga Camila Domit.
Todas as ações do LEC da UFPR, com vídeos e fotos, podem ser acompanhadas no Facebook pelo link: https://www.facebook.com/LecLaboratorioDeEcologiaEConservacao .

Lobo-marinho-do-sul esteve em praia de Matinhos (Foto: Matinhos Agora./Facebook)

 

*Com informações da Assessoria da UFPR.
 

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.