Connect with us

Maçonaria

Maçonaria e procedências

A Maçonaria é de caráter universal, cujos membros cultivam o aclassismo, o humanismo, os princípios da liberdade, igualdade, fraternidade, democracia e aperfeiçoamento intelectual

Publicado

em

A Maçonaria é de caráter universal, cujos membros cultivam o aclassismo, o humanismo, os princípios da liberdade, igualdade, fraternidade, democracia e aperfeiçoamento intelectual. Seu adjetivo é maçônico ou maçônica. A maçonaria é, portanto, uma sociedade fraternal, que admite todos os homens livres e de bons costumes.

1- Maçonaria Primitiva

A Maçonaria Primitiva, ou "Pré-Maçonaria" é o período que abrange todo o conhecimento herdado do passado mais remoto da humanidade até o advento da Maçonaria Operativa. Há quem busque nas primeiras civilizações a origem iniciática.

2- Maçonaria Operativa

A origem perde-se na Idade Média, se considerarmos as suas origens Operativas, ou seja, associação de cortadores de pedras verdadeiros, que tinha como ofício a arte de construção de castelos, muralhas, igrejas etc. Após o declínio do Império Romano, os nobres romanos afastaram-se das antigas cidades e levaram consigo camponeses para proteção mútua para se proteger dos bárbaros. Dando início ao sistema de produção baseado na contratação servil Nobre-Povo (Feudalismo).

3- Maçonaria Especulativa

Em 24 de junho de 1717 na Inglaterra é que tem verdadeiramente origem a Maçonaria, também denominada como "Maçonaria Especulativa", por iniciativa dos pastores protestantes ingleses James Anderson e J. T. Desaguliers, que corresponde ao movimento iniciático tal e qual o conhecemos hoje em dia, e que é uma consequência do iluminismo, e um projetar daquilo que viria a ser mais tarde, a Revolução Industrial do século XIX, e a Revolução Francesa, juntamente com ordens como os iluminados da Bavária e outras, ordens similares. Corresponde à segunda fase, que utiliza os moldes de organização dos maçons operativos juntamente com ingredientes fundamentais do suprarreferido pensamento iluminista, (mais tarde o nacionalismo segundo a escola alemã de filósofos como Kant, etc.), posterior ruptura da Igreja Romana apesar da ainda existente divisão da Igreja Católica, em relação à aceitação e à coexistência com a franco-maçonaria, que durante muito tempo era vista por esta como algo que poderia questionar a soberania da mesma e consequentemente a soberania do estado Vaticano e consequentemente do império Romano, com ela e a reconstrução física da cidade de Londres, berço da maçonaria regular. A Franco-Maçonaria esteve também envolvida no processo de colonização e descolonização dos EUA, do Brasil, e de outros países da América Latina. Com o passar do tempo as construções tornavam-se mais raras. O feudalismo declinou dando lugar ao mercantilismo, com consequente enfraquecimento da igreja romana, havendo uma ruptura da unidade cristã advinda da reforma protestante.

Superada a tragédia da peste negra que dizimou a população europeia, teve início o Iluminismo no século XVIII, que defendia e tinha como princípio a razão, ou seja, o modo de pensar, de ter "luz".

A Inglaterra surge como o berço da Maçonaria Especulativa regular durante a reconstrução da cidade após um incêndio de grandes proporções em sua capital Londres em setembro de 1666 que contou com muitos pedreiros para reconstruir a cidade nos moldes medievais.

 

YASSIN  TAHA

DEP.FEDERAL DO GOB – LOJA PERSEVERANÇA

 

 

 

 

Continuar lendo