conecte-se conosco

Infraestrutura

Paraná é o segundo Estado mais inovador do País e quer avançar

A pesquisa é resultado de um balanço de oito indicadores que medem do capital humano à infraestrutura.

Publicado

em

O Paraná é o segundo Estado mais inovador do País e também aparece na vice-liderança em investimentos em ciência e tecnologia, atrás apenas de São Paulo. É o que revela o Índice de Inovação dos Estados, lançado neste mês pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).

A pesquisa é resultado de um balanço de oito indicadores que medem do capital humano à infraestrutura, partindo da capacidade de inovar para resultados concretos. Os dados foram consolidados a partir de estudos técnicos do Tesouro Nacional, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), CAPES, Anatel e Ministério do Trabalho.

No índice de 0 a 1, o Paraná pontuou com 0,66, praticamente o dobro da média nacional das 27 unidades da federação, de apenas 0,35. O governador Carlos Massa Ratinho Júnior avalia que os dados mostram que o Paraná tem um ecossistema equilibrado e eficiente, fundamental para fazer a inovação avançar em todas as áreas, no setor público e na iniciativa privada.

“Este levantamento demonstra nosso potencial. Mas queremos avançar e ser o Estado mais inovador do País”, afirma o governador. Para isso, relata ele, o Governo do Estado programa investimentos robustos em infraestrutura, tecnologia no campo, capacitação profissional e no estabelecimento de pontes entre a produção científica das universidades estaduais e institutos de pesquisa e as demandas do setor produtivo.

Ratinho Júnior destaca ainda que esteve no Vale do Silício, nos Estados Unidos, para aproximar o Paraná de startups focadas em soluções tecnológicas inovadoras e que o Estado também discute parcerias com corporações como a Microsoft. Ele ressalta que, além as universidades, estatais como a Celepar, Tecpar, Copel e Sanepar têm papel fundamental no fomento à inovação e soluções tecnológicas.

CAPACIDADE

Os dados da FIEC mostram que o Paraná, com esse conjunto de ativos públicos, que também envolve a Fundação Araucária, é o segundo Estado que mais investe em ciência e tecnologia. São Paulo pontua com nota máxima (1) e o Paraná com 0,78, bem à frente da média nacional, de apenas 0,25.

Na qualidade de pós-graduação e inserção de mestres e doutores na indústria, índices que medem o capital humano, o Paraná aparece sempre entre os primeiros dez colocados.

Para Aldo Bona, superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o resultado desse estudo demonstra que o Estado encara seu sistema de ensino como grande ativo para o desenvolvimento. "O desafio é fazer com que os resultados das universidades se conectem ao desenvolvimento regional, para que haja articulação com a indústria, o agronegócio, a agricultura familiar, ou seja, com todo o setor produtivo", aponta.

O levantamento revela que o Paraná é segundo no índice de propriedade intelectual na indústria, atrás apenas de Santa Catarina e na frente do Rio Grande do Sul, o que posiciona a região Sul como a maior produtora de patentes por habitantes. Os dados foram compilados a partir do banco do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

No índice de competitividade global em setores tecnológicos, que revela que os produtos brasileiros podem aliar alta qualidade e baixo custo, o Paraná aparece em sétimo, atrás de São Paulo, Pernambuco, Amazonas, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Bahia. Esse indicador é medido pela parcela das exportações de alta e média-alta tecnologia, e também pela diversidade das exportações. Além de medir a inserção internacional de bens, é verificado se essa inserção não está concentrada em pouquíssimos itens.

PESQUISA

O Índice de Inovação dos Estados da FIEC é dividido em duas áreas: capacidades e resultados. Elas avaliam tanto o ecossistema de inovação quanto a inovação em si. O conjunto de indicadores, quando postos em conjunto, constroem a base para o crescimento da competitividade e produtividade estadual. Segundo a FIEC, o estudo é um raio-x de como cada Estado se posiciona em diferentes aspectos do processo inovador. Ele terá periodicidade anual.

BRASIL

O Brasil ocupa atualmente a 64.ª posição no ranking mundial de inovação (Global Innovation Index), atrás de diversos países em desenvolvimento como Chile (47.º), México (56.º), Índia (57.º) e África do Sul (58.º). Além disso, o País está em 58.º no ranking que mede as capacidades e em 70.º no ranking que mede os resultados.

 

Paraná tem instrumentos para ampliar a inovação

O Governo do Paraná tem um conjunto de instrumentos diverso e amplo de apoio à inovação de indústrias, agronegócio e municípios. O menu engloba a Fomento Paraná, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul (BRDE), o Tecpar e a Fundação Araucária, além de empresas públicas, secretarias e superintendências.

A Casa Civil é o órgão onde toda a estrutura pública está sendo articulada. Para Guto Silva, titular da pasta, o Paraná está se preparando para disputar a liderança na área. Segundo ele, o objetivo do governo paranaense é oferecer condições de tornar o Estado próspero, forte na geração de empregos e oportunidades para a população.

No setor público, a gestão estadual atua para ofertar serviços ágeis, de qualidade e que utilizem ferramentas tecnológicas. “Hoje temos uma política específica para gerar mais eficiência e resultados à gestão pública. Inovação é isso. Só acontece de fato quando produz riqueza, prosperidade, emprego e soluções para a população”, destaca.

FOMENTO

Na área privada, uma das portas de entrada de incentivo aos negócios inovadores é a Fomento Paraná, agência que tem como função oferecer crédito para empresários. A Fomento Paraná participa como cotista em dois fundos de investimento, Criatec3 e Sul Inovação, que têm foco em empresas inovadoras de setores voltados à tecnologia e com alto potencial de crescimento e lucro.

O BRDE busca fortalecer a inovação no ambiente produtivo na Região Sul mediante financiamentos de longo prazo para empresas e projetos inovadores com juros, condições, tarifas e acompanhamento diferenciado. São apoiados projetos inovadores em produto, processo ou modelo de negócio (Inovacred), projetos de empresas com histórico inovador (MPME Inovadora) e empresas em estágio inicial com perfil inovador.

O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) conta com iniciativas para apoiar o empreendedorismo tecnológico inovador, com a Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec), que já apoiou mais de 100 negócios ao longo de sua história, e, mais recentemente, o Parque Tecnológico do Tecpar em Maringá, cujo edital foi lançado em maio pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior.

Esta iniciativa prevê o chamamento de empresas de base tecnológica para o local, que estará disponível para que companhias brasileiras e estrangeiras tragam, em um mesmo ambiente, possibilidades múltiplas de industrialização, mas também abre espaço para outros setores, como saúde, energia e engenharia.

Para dar salvaguarda a todo esse ciclo e ampliar a participação dos cidadãos, o governador Ratinho Júnior também criou um Comitê de Política Digital para definir políticas para aperfeiçoar a prestação de serviços públicos estaduais.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

Foto: Silvane Tonetti / Tecpar

 

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.