conecte-se conosco

Infraestrutura

Diretor-presidente reforça importância da cabotagem para a Portos do Paraná

De janeiro a setembro deste ano, das 152 atracações nessa modalidade, no Porto de Paranaguá, 98 foram navios de granéis líquidos e 38 de contêineres

Publicado

em

Luiz Fernando Garcia ressalta que houve a movimentação de 1,43 tonelada de cargas por navegação de cabotagem no Porto de Paranaguá este ano

A cabotagem, que é a navegação e a circulação de mercadorias entre portos do mesmo País utilizando as vias marítimas ou navegáveis interiores, é algo que reduz os custos logísticos, bem como fortalece a economia do Brasil e diversifica as matrizes modais, desafogando o transporte rodoviário de cargas e outros modais. Segundo o diretor-presidente da empresa Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia da Silva, a cabotagem é importante e sua ampliação será incentivada pela atual gestão, em virtude do ganho logístico com a alta capacidade de transporte de cargas dos navios, algo que será discutido em Paranaguá no 3.º Seminário de Cabotagem e Intermodalidade – Logística e Infraestrutura que será realizado no dia 23 de outubro.

"Ampliar, incentivar e investir na navegação de cabotagem é fundamental para a logística de qualquer Estado, qualquer País. Esta modalidade é uma excelente opção quando se fala em diversificação das matrizes modais", afirma o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia. De acordo com o gestor, há uma necessidade urgente de se deixar de priorizar o transporte rodoviário de cargas. "Isso não apenas por questão de redução de custos logísticos, mas, principalmente, porque temos recursos naturais que nos favorecem (uma enorme e segura costa navegável) e que ainda são pouco explorados", reforça.

Outro ponto é que a cabotagem é uma opção de transporte de carga de alta capacidade, visto que, em um navio, por exemplo, cabe mais carga de que em caminhões que utilizam o modal rodoviário. "E quando se coloca mais cargas via marítima, reduzimos o impacto nas estradas – menos caminhões rodando, menos impacto ao trânsito e ao meio ambiente. Sem mencionar a segurança que essa modalidade oferece: tanto por serem pequenas as chances de acidentes no transporte, quanto por serem reduzidos (quase nulos) os casos de roubo ou desvios de cargas de cabotagem", explica.

3.º SEMINÁRIO DE CABOTAGEM E INTERMODALIDADE

No dia 23 de outubro, Paranaguá será sede do 3.º Seminário de Cabotagem e Intermodalidade – Logística e Infraestrutura, com o tema “Oportunidades e desafios do modal sustentável”, evento que está com as inscrições abertas. O seminário é organizado e idealizado pelo IDEM – Instituto de Diplomacia Empresarial e Marketing de Cidades, e acontece nas dependências do Camboa Hotel, das 8h às 17h, contando com o apoio institucional do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP),  da empresa Portos do Paraná, da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP) e do Governo Federal. As inscrições devem ser realizadas pela Internet no site www.idem.com.br ou pelo e-mail: [email protected]

"Ampliar, incentivar e investir na navegação de cabotagem é fundamental para a logística de qualquer Estado, qualquer País. Esta modalidade é uma excelente opção quando se fala em diversificação das matrizes modais", afirma o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia

Sobre o seminário, o diretor-presidente afirma que é essencial, visto que o desenvolvimento de qualquer alternativa se inicia pelos debates e por troca de informações. "Por isso, eventos como esse, que reúne o setor produtivo, o portuário e demais setores atuantes nas áreas de infraestrutura e logística, é sempre importante para que as soluções sejam geradas, de maneira a atender as duas pontas e todos os elos dessa cadeia", explica Luiz Fernando.

"O constante crescimento de cargas movimentadas no Brasil passa, necessariamente, pelo desenvolvimento de outros modais. A cabotagem é um modal que precisa ser incentivado. E todos precisam trabalhar com esse mesmo objetivo. Acredito que este seja o principal foco desse evento, apoiado pela Portos do Paraná", afirma o diretor-presidente.

AMPLIAÇÃO DA TCP

Na última semana, a TCP inaugurou obras de ampliação com o investimento privado de R$ 550 milhões, algo que gerou aumento de potencial de operação em 66%, passando das atuais 1,5 milhão TEUs/ano para 2,5 milhões. Com a medida, Paranaguá agora conta com o maior terminal de contêineres do Brasil. O contrato prevê outros R$ 548 milhões em melhorias até 2048. As novas estruturas vão empregar 250 pessoas, além de ter gerado 1,2 mil empregos diretos e indiretos na construção.

De acordo com Luiz Fernando Garcia da Silva, a ampliação agregará positivamente na empresa Portos do Paraná. "Os contêineres já são um grupo de mercadorias, depois dos granéis líquidos, que utilizam bastante a navegação de cabotagem e podem sempre ampliar ainda mais linhas nessa modalidade. De janeiro a setembro deste ano, das 152 atracações nessa modalidade, no Porto de Paranaguá, 98 foram navios de granéis líquidos e 38 de contêineres. No total, este ano, foram 1,43 tonelada de cargas movimentadas por navegação de cabotagem", finaliza o diretor-presidente.

Continuar lendo
Publicidade

Em alta