conecte-se conosco

Fábio Campana

Acabou o namoro

São tensas as relações entre o time de Beto Richa que deixou o governo e o de Cida Borghetti que assumiu.

Publicado

em

 

São tensas as relações entre o time de Beto Richa que deixou o governo e o de Cida Borghetti que assumiu. Há diferenças de estilo, de métodos e de programa. Inevitavelmente, o novo governo mexe com gente que estava bem postada na administração há quase oito anos. E há os que, por acordo, continuam em cargos de confiança.

As pendengas judiciais que colocam muita gente em suspense agravam a situação, pois Cida Borghetti afirma que não vai albergar ninguém que seja denunciado ou investigado em processo por improbidade.

De um lado, o time de Beto Richa se queixa de discriminação da nova direção. Já o pessoal da nova administração vê incompatibilidade do pessoal de Richa que continua no governo e fala em favor de outros candidatos. Não vai acabar bem essa indisposição.

Plano de governo de Osmar

Osmar Dias está a percorrer o Estado, faz pré-campanha e ao mesmo tempo recolhe propostas e pedidos das regiões que visita. Tem uma equipe já escalada para condensar as demandas num plano de governo, que pretende finalizar até julho. A principal meta é chegar, diz ele, a "alternativas viáveis ao desenvolvimento sustentável do Paraná".

Criação de estatal é com o PT

Candidato pelo PT ao Governo do Paraná, Dr. Rosinha, em entrevista ao jornal Metro, deu uma boa notícia para quem gosta de ver o Estado grande e abarrotado de companheiros. Perguntado sobre os pedágios, tratou de sua alternativa: "já que as estradas são públicas, elas podem voltar a ser públicas com valor reduzido e manutenção feita pelo Estado. É uma boa saída, inclusive. O Estado com uma empresa estatal pública que passa a fazer toda gestão da rodovias. Eu estudaria o processo de criação de uma estatal".

Enrosco

Na Assembleia Legislativa um enrosco entre Pedro Lupion, líder do governo, e Ratinho Jr e sua bancada. Lupion tratou da questão que os servidores públicos estão a comentar: a mudança repentina de opinião a respeito do aumento para o funcionalismo. A falar da bancada de Ratinho, que passou a pedir correção de salários, mesmo que ano passado tenha votado a Lei de Diretrizes Orçamentárias com um artigo que não permite dar o aumento dos servidores.

 

 

Continuar lendo
Publicidade