conecte-se conosco
Litoral terá praias abertas para visitação com esforço para evitar aglomerações

Ano Novo 2021

Litoral terá praias abertas para visitação com esforço para evitar aglomerações

Prefeituras cancelaram festas de Réveillon em função da pandemia (Foto: AEN)

Publicado

em

Como anunciado pelas autoridades dos municípios litorâneos, a região não terá programação de Ano-Novo promovida pelas prefeituras em função da pandemia de Covid-19. Apesar das praias permanecerem abertas para receber visitantes, a medida tem como objetivo evitar a aglomeração de pessoas.

O último Réveillon atraiu cerca de um milhão de pessoas ao litoral paranaense. A Ilha do Mel é um dos destinos mais movimentados no fim de ano na região e, com as festas suspensas, a expectativa é ao menos preencher a quantidade de reservas nos hotéis e pousadas permitidas pelos decretos.

O presidente da Associação dos Comerciantes da Ilha do Mel (ACOIM-Rede Empresarial), Carlos César de Paula Gnata, comentou o limite de reservas que podem ser feitas em cada pousada.

“Na Ilha do Mel, que é um destino natural e tem uma possibilidade muito menor de aglomeração, a expectativa é que a gente tenha uma ocupação dentro do limite que a Vigilância Sanitária nos deu, que é em torno de 65% de hospedagens, desde que obedecendo a todos os critérios”, afirmou Gnata.

A Ilha do Mel foi reaberta no dia 20 de setembro. As regras para voltar a receber turistas envolveram um protocolo elaborado pela 1.ª Regional de Saúde em conjunto com as secretarias municipais. Questões como coleta de resíduos, normas de higienização, distanciamento social, a utilização de um sistema com cadastro dos visitantes e serviços foram acrescentadas.

O último Réveillon (2019/2020) atraiu cerca de um milhão de pessoas ao litoral paranaense Foto: AEN

Em meados do mês de dezembro, a ocupação das pousadas estava em torno de 55%. “Essa é uma estimativa, mas ainda há pousadas com 25% de ocupação, outras com 40%. O que pode ocorrer é que com a limitação de visitantes na Ilha do Mel, o que prejudica os donos de pousadas é que muita gente vem passar o dia e tira a possibilidade de hospedagem de outras pessoas que querem vir para ficar. Infelizmente, não tem essa separação”, disse Gnata. 

Para o mês de janeiro, Gnata destacou que também há vagas disponíveis para atender os turistas na Ilha.

Adequação às normas

Segundo ele, os comerciantes compreenderam a necessidade de se adequar às normas sanitárias. “A maioria se ajustou às normas, comprando materiais e equipamentos, várias pousadas estão usando máquinas para fazer a limpeza mais apurada ainda, outras estão usando produtos químicos para combater o vírus, além do uso de álcool em gel e máscaras no atendimento aos turistas”, declarou Gnata.

Foto: AEN

O resultado de todo esse cuidado com a segurança da população e dos visitantes está no índice de infectados no local. “Os comerciantes estão adaptados à questão da Covid-19 e o resultado disso é que a ilha não tem casos novos de contaminação, tivemos somente alguns em setembro que foram tratados e não tivemos mais”, lembrou Gnata.

O distanciamento no café da manhã das pousadas e nos restaurantes também têm sido observado. “O que tem sido prejudicado é a hora do embarque e desembarque, como há um trapiche em Encantadas e um em Brasília, acaba acumulando gente nesses locais. Por isso, a prefeitura tem estudado uma forma de modificar esse sistema de fiscalização de cadastro, quem tem que passar na medição de temperatura etc.”, ressaltou Gnata.

Leia também: Paciente relata como foi passar 90 dias internado por complicações da Covid

Publicidade










Em alta

plugins premium WordPress