conecte-se conosco

Serviços

SAMU esclarece atendimento nas rodovias do litoral com fim do pedágio

Ocorrências serão atendidas em parceria com o Corpo de Bombeiros via telefone 193

Publicado

em

Foto: Arquivo

No domingo, 28, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) – Litoral do Paraná, através da Central de Regulação de Paranaguá, emitiu uma nota técnica esclarecendo como serão feitos os atendimentos a ocorrências nas rodovias da região com o fim do contrato de concessão do pedágio na BR-277 entre Curitiba e o litoral, bem como nas vias estaduais litorâneas. Segundo a nota, assinada pelo diretor-médico do SAMU, João Claudio Campos Pereira, o serviço será realizado em parceria com o Corpo de Bombeiros do Paraná, via telefone 193 para acionamento em ocorrências com vítimas, sendo que o SAMU está realizando processo de contratação de três viaturas que ficarão em Paranaguá e Morretes.

“Desde o dia 27 de novembro de 2021, não existem mais os atendimentos específicos de rodovias por concessionárias, pois houve o encerramento do contrato. Desta forma, a responsabilidade pelos atendimentos acabará recaindo sobre o Corpo de Bombeiros e sobre o SAMU, para os casos que envolvam vítimas”, informa a nota do SAMU. Segundo o serviço médico, a orientação do Governo do Estado é que, em caso de problemas na pista em BR’s, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) pelo número 191, enquanto nas PR´s o atendimento é feito pela Rodoviária Estadual (PRE) pelo 198. 

“Para casos de interrupção de pista e outras ocorrências, o recomendado é ligar para o 190, da Polícia Militar, que tem capilaridade para transferir as ocorrências para as instituições correspondentes”, informa o SAMU. 

Acidentes com vítimas

“Em situações de acidentes com vítimas, o usuário deve ligar para o número 193, do Corpo de Bombeiros, tanto em rodovia federal quanto em rodovia estadual. Os atendimentos serão realizados em parceria com a rede do SAMU. Vale lembrar que o usuário deve buscar um local seguro para fazer a ligação. Neste primeiro momento, a remoção dos veículos para desobstrução das pistas em casos de acidentes será feita pelos guinchos da Polícia Militar. Quando a situação é de falha elétrica ou mecânica do veículo, a responsabilidade pela remoção será do usuário. O encaminhamento dos animais resgatados nas rodovias será de responsabilidade do Estado e do governo federal”, esclarece a nota do SAMU.

A nota ressalta que muitos atendimentos serão de responsabilidade conjunta do SAMU e Corpo de Bombeiros. “Em reunião com o comando do Corpo de Bombeiros, entendemos que o atendimento exclusivamente pelo SAMU se torna muito arriscado, uma vez que não conseguiremos fazer uma sinalização adequada e que não temos viaturas pesadas (até mesmo para a posição de sacrifício)”, explica o diretor.

Atendimento deve ser feito com segurança às equipes do SAMU

“Fica determinado desde já, que não ocorrerá atendimento sem que haja a segurança das equipes do SAMU e isto deverá ser avaliado pelos reguladores e rádio operadores na central de regulação e in loco pelas equipes de atendimento. Uma vez liberada a nossa viatura, se não houver segurança em cena, teremos que aguardar os bombeiros ou outros órgãos, como a PRF e PRE, para que possamos atender sem riscos. O fato de que não atenderemos as ocorrências sem que haja segurança, não quer dizer que não liberaremos nossas viaturas, ou seja, nossas viaturas serão liberadas e a segurança deverá ser avaliada pelas equipes de atendimento”, afirma o SAMU.

Segundo o serviço de urgência, ligações que entrarem via 193 serão repassadas ao SAMU pelo COBOM através de rádio ou baixa frequência e assim liberaremos as viaturas. “As ligações que entrarem diretamente ao 192, ou através de outros órgãos como a PRF e PRE, deverão ser atendidas pelo SAMU, porém teremos que acionar os bombeiros através do COBOM (não deveremos acionar diretamente os CBs)”, informa a nota.

Viaturas e atendimento nos municípios

De acordo com a nota, neste momento e de forma temporária, será colocada pelo SAMU mais uma viatura Bravo, no período diurno, para atendimento prioritário de ocorrência nas rodovias, entretanto, este veículo não será exclusivo apenas para este fim. “Ela ficará disponível para os atendimentos no município, assim como a Bravo 1 e a Bravo 2, porém sempre deveremos ter uma viatura disponível para atendimento em rodovias, assim sendo, tanto a Bravo 1, como a Bravo 2 e a Bravo 8, poderão atender nas rodovias”, completa.

O SAMU reforça que está realizando um processo de contratação para aquisição de mais duas viaturas, uma Bravo em Paranaguá, e uma bravo e uma Alpha em Morretes.