Connect with us

Eleições 2020

Propostas para a “Mobilidade Urbana” são apresentadas pelos candidatos a prefeito em Paranaguá

Esta é a segunda rodada de entrevistas para as Eleições Municipais

Publicado

em

O segundo tema abordado pelos candidatos a prefeito na série de entrevistas com os candidatos a prefeito de Paranaguá nas Eleições Municipais de 2020 é a “Mobilidade Urbana”. Os postulantes ao cargo máximo do Executivo abordaram propostas para o tema e para benfeitorias a serem implementadas na cidade em prol da população.

A mobilidade urbana é um assunto bastante abordado em Paranaguá. Além de ser uma cidade portuária, com tráfego contínuo de caminhões, o município utiliza de forma intensa um modal sustentável de tráfego, que é a bicicleta. Somado a tudo isso, há a necessidade de coexistência com outros meios de transporte utilizados pelos munícipes e visitantes na cidade.

É válido ressaltar que todos os candidatos tiveram o mesmo tempo, de até dois minutos, para discorrer sobre o plano de governo na área em questão. Além de veiculação na edição impressa, as entrevistas ficarão disponíveis no portal da Folha do Litoral News no endereço www.folhadolitoral.com.br, assim como a versão em vídeo. A ordem de veiculação das propostas na entrevista foi sorteada com representantes dos candidatos no jornal no dia 2 de outubro.

Confira a opinião dos candidatos a prefeito em Paranaguá sobre o tema Mobilidade Urbana:

Alceu Maron Filho (PROS) concorre pela coligação Paranaguá de Todos (MDB, PROS e Solidariedade), ao lado de João Cláudio Marques (MDB) 

“É algo fundamental para Paranaguá o tema da mobilidade urbana, que precisa ser atacado de duas maneiras. No ponto de vista das micro providências, eu diria, que são as questões de dar condições de acessibilidade às pessoas que têm dificuldade ou necessidade especial de locomoção. A gente não vê isso nem nas obras públicas, nem nas obras privadas na cidade. É preciso que a administração municipal passe a exigir das obras todas as providências e dê o seu próprio exemplo nas obras públicas para que dê toda a acessibilidade necessária para essas pessoas que têm dificuldade de locomoção. Do ponto de vista macro, nós temos que abrir Paranaguá, que bate recordes diários no porto, de cargas importadas e exportadas, mas as nossas entradas e saídas continuam as mesmas há 50 anos. Paranaguá não consegue atrair os recursos do Governo do Estado e Governo Federal, porque não dialoga com o Governo do Estado e Federal. O nosso governo vai se ocupar dos projetos, porque a prefeitura que tem que dizer como quer as obras na cidade e buscar junto aos governos federal e estadual, através da administração dos Portos, os recursos necessários para a nova Avenida Ayrton Senna, a nova Atílio Fontana, pavimentar adequadamente a estrada velha de Alexandra, a própria ponte dos Valadares, resolver o problema do trem da Roque Vernalha, são problemas viários, de mobilidade urbana que atravancam tanto o parnanguara diariamente, como as pessoas que vêm trabalhar no Porto de Paranaguá. É preciso dar um choque de mobilidade na nossa cidade, libertar a cidade para que ela possa viver o seu sonho de desenvolvimento.

Marco Sukita (PV) concorre com o candidato a vice-prefeito Lucio José Teodoro (PV)

“Mobilidade urbana é uma questão que temos conversado muito com a população, em especial com as pessoas que vêm ao centro de Paranaguá, principalmente no Centro Histórico, a gente tem visto que no trânsito é muito difícil você se deslocar lá do Parque São João até o centro, é uma turbulência, muitos veículos. Precisamos fazer ciclovias para que as pessoas mobilizem e venham até o centro de bicicleta, para isso tem que haver um local para guardar essas bicicletas. Precisamos colocar banheiro para as pessoas que venham no centro da cidade, um banheiro decente e de qualidade na Praça Fernando Amaro ou na Praça dos Leões, com fraldário, para que as pessoas possam utilizar um centro de melhor qualidade. Queremos mexer nas calçadas que estão destruídas, nós temos que pensar nisso. Hoje foi feito o asfalto, ficou bom, mas precisamos também fazer as calçadas de Paranaguá. Na próxima legislatura, se eu for o prefeito, quero fazer calçadas dentro da cidade, dar uma opção melhor aos motoristas deixar os seus veículos em casa, utilizar mais o transporte coletivo, mas para isso temos que ter um transporte coletivo que atenda à demanda de Paranaguá. Também algumas alterações teriam que ser feitas, como ligar a Belmiro Sebastião Marques à Domingos Peneda, fazer aquele gabião atrás do Parque Awaji ligando uma avenida na outra para desafogar. Ligar a PR-407 que vai para Praia de Leste com a Estrada das Colônias da Colônia Maria Luíza, Quintilha, ligando também à PR-508. É isso que precisamos fazer em Paranaguá.”

José Baka Filho (PDT) concorre na coligação Trabalho e Liberdade: Construindo uma Paranaguá para frente e melhor (PDT e PT), ao lado do candidato a vice-prefeito Ubirajara Maristany (PT) 

“Nós sabemos que Paranaguá é uma cidade que tem grandes problemas de mobilidade, até porque somos uma cidade portuária, importante no ponto de vista da economia brasileira, porque o nosso porto é um dos maiores do Brasil. Esse acesso direto de caminhões, temos a estimativa de cerca de 700 a 800 mil caminhões por ano que entram e saem de Paranaguá, e as pessoas precisam se deslocar. A nossa cidade é plana, tem uma condição propícia ao uso da bicicleta, por isso temos que dotar de uma rede completa de ciclovias devidamente sinalizadas e também educar os pedestres e os ciclistas, fazer programas de educação defensiva na direção, fazer com que o ciclista, principalmente, respeite as leis de trânsito. Porque o que vemos, lamentavelmente, na cidade hoje são ciclistas desrespeitando. Ter essa rede de ciclovias e ciclofaixas dando preferência a esse tipo de mobilidade. Outro grande projeto nosso é a implantação do VLT, o veículo leve sob trilhos, é um sucesso em várias outras cidades como Santos e Praia Grande, usando a infraestrutura já existente que está ociosa. Temos a estação ferroviária de Alexandra, a estação no centro, que está bonita, recuperada, mas serve para quê? É um elefante branco? Então, vamos implantar o VLT em Paranaguá, propiciando, assim, a linha mestra do VLT. Isso, é claro, com recursos que vamos buscar com o Governo Federal e Estadual poderemos ampliar essas linhas para outros bairros também. Temos que implantar na Ilha dos Valadares um transporte mais adequado como, por exemplo, ônibus menores e jardineiras que podem ser até elétricas.”

Adriano Ramos (Republicanos) concorre na Coligação NOVA PARANAGUÁ (Republicanos, DC, PTC e Avante), ao lado do candidato a vice-prefeito Marcio Vega, o “Marcio da Max Espetos” (Avante) 

“Esse é um tema que incomoda o parnanguara, entre outros tantos. Veja, a partir das 17h quem precisa ir para a região sul da cidade não consegue se mover porque o número de veículos cresceu muito em Paranaguá e as nossas vias de acesso e avenidas são as mesmas de 30 anos atrás. Fizemos um estudo dentro do nosso plano de governo com dois engenheiros que apresentaram uma revolução na mobilidade urbana de Paranaguá. O que é essa revolução? Primeiro, nós temos que destravar alguns pontos da cidade, um ponto importante que precisa ser destravado é a construção do viaduto da avenida Roque Vernalha. Tem muita gente dizendo que não tem espaço ou que isso seria inviável, não é inviável. Se você não enfrentar com coragem visando o futuro nós vamos continuar com o trem trancando a vida e a mobilidade urbana acaba não acontecendo da forma como gostaríamos. Então nós vamos construir o viaduto da Roque Vernalha, este é um compromisso da nossa gestão. Nós vamos, através do Governo do Estado, em parceria, fazer o alargamento da ponte sobre o rio Emboguaçu, pois os moradores lá no Jardim Iguaçu, no Santa Helena, Vila Marinho, Jardim Figueira, ficam trancados em vários horários de pico ali naquela região, perdendo horário de trabalho e outros compromissos e isso não pode acontecer. Também faremos aquelas marginais da BR-277 no Jardim Iguaçu e a nossa cereja do bolo que nós também faremos será a Avenida Norte Sul, que inicia lá na Coronel José Lobo, ela passa pela Conselheiro Corrêa e pega a marginal da Ayrton Senna, este é um ponto fundamental, e também outras ruas importantes que realizaremos o alargamento, porque já fazemos o estudo disso.”

Marcelo Roque (Podemos) concorre à reeleição na coligação Pra Fazer Muito Mais (Podemos, Progressistas, PSL, PL, PSB, PSDB, PSD), ao lado do candidato a vice-prefeito José Carlos Borba (PSD) 

“Na realidade, a nossa gestão possui um marco com relação à infraestrutura e mobilidade urbana, estamos chegando ao fim do nosso mandato com 90 quilômetros de asfalto de qualidade, calçadas, iluminação em LED dando segurança para a cidade. Tudo feito com qualidade, não é aquela casca de ovo de asfalto que se jogava em cada bairro e que se fazia um serviço mal feito. Estamos fazendo com qualidade nos bairros e também na área central. Queremos dar continuidade a este projeto de asfaltamento em toda Paranaguá. Nós assumimos com mais de 300 quilômetros de asfalto por fazer nas ruas de Paranaguá, chegamos a 100 e queremos dar continuidade durante esses quatro anos em vários bairros de Paranaguá e assim dar qualidade de vida a cada morador no nosso município de cada bairro da nossa cidade. Isso já provamos com a Secretaria de Obras, inclusive com investimentos que fizemos através de parcerias da Caixa Econômica, onde adquirimos empréstimo para fazer este trabalho importante por toda a Paranaguá. Na mobilidade urbana, daremos continuidade àquilo que nós estamos fazendo por toda a Paranaguá. A Secretaria de Obras e a UGP seguirão fazendo este trabalho com uma equipe de profissionais de qualidade, temos tudo aquilo que estava fora dos projetos do município, colocamos e implantamos também o que queríamos para o nosso município. O nosso projeto para Paranaguá não é inventar nada de mais, é manter aquilo que nós estamos fazendo e ter uma qualidade de vida melhor na área central, nos bairros do nosso município, por isso nós vamos ampliar o projeto de mobilidade urbana.”

Emmanuel Lobo (PCO) concorre ao lado do candidato a vice-prefeito Marcos Antônio (PCO)

“A mobilidade urbana é inibida pelo interesse dos capitalistas, das máfias e dos cartéis de transporte coletivo, que são concessões públicas em aliança com os governos de plantão. Como resolver isso? Estatizar todo o sistema de transporte coletivo, até porque, desde 2015, o transporte coletivo consta como um direito social, artigo 6.º da Constituição. Agora, não tem como falar em direito social se a população não pode acessar esse direito porque não tem dinheiro, tem tarifas absurdas que, inclusive, impedem a população de se locomover em sua própria cidade. Não é possível que nenhum governante municipal faça isso apenas por coragem ou por discurso, é preciso que os trabalhadores se organizem para organizar o serviço público e transformar o transporte coletivo em um serviço e não mais em uma tarifa. Transformar em direito social e não apenas em uma tarifa, na qual quem tem dinheiro paga e quem não tem é excluído do transporte. Há exemplos como esse no País, há várias cidades que conseguiram estatizar o serviço do transporte, transformar em um direito social garantido a toda a população. Ou seja, acabar com a tarifa e implementar através do Estado e dos impostos como os outros serviços públicos têm feito. Para isso é preciso estatizar e ter controle social da população sobre o transporte coletivo.”

Julinho Lima (Patriota) concorre ao lado da candidata a vice-prefeita Roselaine Barroso Ferreira (Patriota)

“Nós temos um grande plano. Temos um problema na Avenida Roque Vernalha do trem que atrasa Paranaguá inteira. Têm pessoas que morrem atropeladas pelo trem ou morrem quando uma ambulância não consegue chegar ao hospital porque o trem para Paranaguá. Fica intransitável. E isso não é de agora, é um problema de 60 a 70 anos atrás. Primeiro temos que sentar com o pessoal da Rumo – vocês querem o desenvolvimento total de Paranaguá ou não? O nosso plano é tirar o ramal ferroviário daquela região da Avenida Roque Vernalha e fazer um ramal ferroviário que saia do Embocuí, passe pelo Jardim Iguaçu e desemboque no Beira Rio, vai resolver todo o problema daquela região. Claro que isso demorará alguns anos, mas faremos isso. Outra ideia é fazer vias exclusivas para ônibus para destravar o trânsito, que também poderão ser usadas por táxis.”

Fabiano Elias (Cidadania) concorre ao lado do candidato a vice-prefeito Maike Santos (Cidadania)

“É fundamental para a mobilidade urbana que nós entendamos que ela é muito além do que simplesmente abrir ruas, pintar faixas e colocar as placas. Precisamos descentralizar os serviços públicos e, essencialmente, bancários, tirando do centro da cidade esse volume de pessoas que vêm para um único local em busca da realização da prestação de serviços. Serviços públicos e bancários precisam estar mais próximos dos bairros populosos e das pessoas, para que elas não tenham, todas elas, de todas as regiões da cidade, virem para o centro de Paranaguá. Além disso, precisamos constituir vias de desafogamento do tráfego urbano. A Avenida Emboguaçu, a Avenida Beira Rio e as marginais da BR-277 ali na Ayrton Senna, precisam se consolidar para desafogar o tráfego. Outra proposta importantíssima é a integração do sistema viário e transporte público municipal com o sistema férreo de transporte de passageiros via trem. Temos um trabalho muito importante neste sentido e um estudo muito aprofundado para integrar este sistema. Somado a tudo isso, a gente precisa integrar um sistema que controle o tráfego de caminhões pesados em Paranaguá, um sistema informatizado ligado a terminais portuários e armazéns de cargas que vai possibilitar que os caminhões saiam do local do pátio de estacionamento direto para armazéns e terminais sem que fiquem transitando na cidade ou ocupando as vias públicas. Para isso, este sistema integrado e informatizado, vai ajudar a diminuir o transporte de cargas pesadas na cidade de Paranaguá.”

Dr. Manoel Barbosa (PCdoB) concorre ao lado da candidata a vice-prefeita Esmeralda Quadros (PCdoB)

“A mobilidade urbana em Paranaguá é um dos grandes gargalos do município que precisa ser resolvido. Nós temos trincheiras, locais onde existe uma concentração grande de veículos, precisamos resolver a questão dos binários, das trincheiras e a mobilidade em si, para nós, é muito importante a questão dos veículos que vêm de fora para o Porto, que são os caminhões, que muitas vezes acabam circulando em locais onde existe moradia. Isso precisa ser resolvido. Nós defendemos que seja municipalizada a Avenida Ayrton Senna, porque fica este joga para lá e para cá entre Governo Federal e Estadual e não se resolve. A limpeza também é fundamental e defendemos que haja uma atenção especial aos ciclistas. Os ciclistas não têm, por exemplo, um estacionamento no centro da cidade, existem locais onde é necessário implantar mais ciclovias. Uma questão fundamental que defendemos para a questão do trânsito é a criação de um Fundo Municipal de Mobilidade Urbana, com orçamento próprio para resolver estas questões de mobilidade”

*O candidato Aramis Soares do Nascimento, o “Pichaco”(DEM), justificou sua ausência.