Connect with us

Editorial

Vacinação é um ato de proteção coletiva

Os casos de Poliomielite, ou Paralisia Infantil, diminuíram mais de 99% em 30 anos

Publicado

em

No sábado, 17, o Brasil realizou o Dia D de vacinação, uma data escolhida dentro do período de campanha para incentivar a atualização da caderneta. Sempre aos sábados, o Dia D de mobilização possibilita que os pais tenham mais disponibilidade para levar seus filhos até a unidade de saúde. Em todo o País está em andamento a campanha de vacinação contra Poliomielite e multivacinação.

Em Paranaguá, pelo balanço da Secretaria Municipal de Saúde, o Dia D alcançou números consideráveis. Mesmo em meio à pandemia, muitas pessoas se conscientizaram sobre a importância das vacinas para evitar outras doenças, algumas, inclusive, consideradas erradicadas no Paraná.

Os casos de Poliomielite, ou Paralisia Infantil, por exemplo, diminuíram mais de 99% em 30 anos: dos 350 mil casos estimados em 1988 para 29 casos notificados em 2018. Tudo isso graças à vacina. No entanto, o alerta deve continuar ligado, já que especialistas afirmam que, enquanto houver uma criança infectada, crianças de todos os países correm o risco de contrair a doença.

Por isso, aqueles que não puderam ir até as unidades no último sábado devem procurar pela localizada mais próxima de suas casas para levar os filhos para receber as doses faltantes. E, caso haja alguma vacina em falta na sua caderneta, também aproveitar a oportunidade para atualizar. Nunca é demais lembrar que algumas doses são recomendadas também na fase adulta.

Vacinação é um ato de proteção coletiva, pois à medida que menos pessoas adoecem, menor é a possibilidade de transmissão e mais longe de doenças ficarão as pessoas a sua volta.