conecte-se conosco

Editorial

Vacinação de crianças e a opinião pública

A vacinação de crianças acima de 5 anos é vista como a alternativa mais viável e ponderada para que a pandemia seja controlada

Publicado

em

editorial

Na semana passada, o Ministério Público do Paraná divulgou seu posicionamento a respeito da vacinação de crianças e adolescentes contra a Covid-19. O órgão se diz favorável e recomenda a vacinação deste público para a saúde e bem estar da população. A vacinação de crianças acima de 5 anos é vista como a alternativa mais viável e ponderada para que a pandemia seja controlada e para que esse público possa frequentar escolas e outros ambientes de forma mais segura. 

O MPPR considera as doses das vacinas dos fabricantes liberados pela Anvisa seguras e que este é um direito das crianças previsto na Constituição Federal.

Tal posicionamento pode parecer óbvio para muitos pais que já levaram seus filhos da faixa etária indicada para tomar a dose logo nas primeiras semanas. Tendo em vista a preocupação com a saúde e, principalmente, motivados pelo retorno às aulas presenciais, fato que resultou em prejuízos para muitos, inclusive envolvendo questões socioemocionais, em função de longos períodos dentro de casa longe do contato com outras pessoas. 

Porém, há ainda uma parcela da população que não acredita nos benefícios da vacina contra a Covid-19. Desta forma, se negam a levar as crianças, gerando uma mobilização contrária ao que recomenda às autoridades sanitárias e, agora também, o Ministério Público. 

A atitude mais assertiva dos pais com relação ao tema, com base em especialistas da área médica, é acreditar que essas doses podem devolver mais segurança para as famílias. É desconfiar de informações inverídicas que estão em desacordo com a realidade. A internet tem uma enxurrada de notícias falsas que descredibilizam o trabalho de pessoas envolvidas e capazes de controlar a pandemia com medidas eficazes e seguras.

Não se deixe pautar por esse tipo de notícia. A opinião pública precisa ser unânime quando o assunto é salvar vidas.

Continuar lendo
Publicidade