conecte-se conosco

Editorial

Reforma da Maternidade e humanização da saúde em Paranaguá

A intenção é beneficiar as famílias do litoral e, principalmente, as mães e os filhos desta terra

Publicado

em

editorial

Na quinta-feira, 7, uma série de investimentos foram anunciados pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em Paranaguá, entre eles um deles chama a atenção para a cidade que é mãe do Paraná é a reforma e ampliação da Maternidade Maria de Lourdes Elias Nunes. O espaço contará com R$ 5,5 milhões de investimentos ativando 23 leitos de enfermaria, bem como cinco de pré e pós-parto, algo que beneficiará na humanização e na qualidade no atendimento à saúde de mães e filhos que estão nascendo na cidade conhecida justamente por ser berço do Estado. Nada mais justo que o Paraná trate seus filhos com respeito e zelo no momento em que eles chegam ao mundo. 

A Maternidade que será reativada foi inaugurada na década de 2000 pelo falecido prefeito Mário Roque, preocupado em garantir uma qualidade de atendimento de saúde a mães e filhos, com o nome do prédio homenageando a sua esposa que faleceu em um parto quando este tipo de atendimento em Paranaguá era feito na Santa Casa com limitações estruturais e de atendimento. A situação foi relembrada na cerimônia de anúncio dos investimentos  pelo prefeito Marcelo Roque, que tinha dois anos quando sua genitora faleceu, algo que também deve ter sido traumático para outras famílias parnanguaras naquela e em outras épocas. 

A intenção é beneficiar as famílias do litoral e, principalmente, as mães e os filhos desta terra. O projeto de reforma conta com 1.685 metros quadrados de área construída e será interligada ao Hospital Regional do Litoral (HRL), contando com apoio de salas para exames e consultórios de multiespecialidades, além dos leitos. Aliás, o HRL se tornará em um complexo ainda mais amplo e importante para o litoral, visto que o Estado também anunciou nesta semana o Ambulatório Médico de Especialidades do Litoral (AME) que ficará localizado na antiga Santa Casa da Misericórdia, com investimento orçado em R$ 6, 1 milhões, unidade que também ficará interligada ao hospital.

Investir em saúde é beneficiar diretamente a vida de mais de 300 mil pessoas que vivem no litoral do Paraná, é fazer com que os impostos pagos pelos cidadãos sejam diretamente revertidos em uma benfeitoria mais do que necessária, mas urgente para o bem-estar e para salvaguardar a vida humana de quem reside em Paranaguá e nos outros seis municípios da região.