Connect with us

Editorial

Parnanguara vacinado contra a Covid-19 traz esperança a todos nós

Na segunda-feira, 11, Zito Camillo da Silva, nascido em Paranaguá, recebeu a sua primeira dose da vacina Pfizer contra a Covid-19. O senso de identificação ao ver uma pessoa nascida no litoral paranaense ser imunizada contra esta pandemia traz a esperança para mais perto de nós

Publicado

em

Parnanguara vacinado contra a Covid-19 traz esperança a todos nós

Na segunda-feira, 11, Zito Camillo da Silva, nascido em Paranaguá, recebeu a sua primeira dose da vacina Pfizer contra a Covid-19. O senso de identificação ao ver uma pessoa nascida no litoral paranaense ser imunizada contra esta pandemia traz a esperança para mais perto de nós. Mais do que isso, demonstra como o que é discutido cientificamente de forma global pode e poderá fazer a diferença em nossas vidas. 

Zito morou no bairro Bockmann, se formou em Letras aqui em Paranaguá, atualmente reside em Lowell e trabalha em uma clínica em Billerica, ambas cidades localizadas no Estado de Massachusetts, próximas a Boston. Por atuar na área de saúde, se enquadrou em um dos grupos prioritários para a imunização. Durante a entrevista concedida à Folha do Litoral News, ele, que também é escritor, fez questão de destacar sua confiança na ciência, em Deus, no senso de fraternidade entre as pessoas e na superação da Covid-19 não somente a ele em solo americano, como também aos seus familiares, amigos e demais parnanguaras.

O ano de 2020 foi de vidas perdidas, medo e dor e 2021 está sendo, pelo menos inicialmente, uma continuidade disso em muitos aspectos. A diferença é a esperança, visto que a cada dia mais laboratórios no mundo todo, incluindo no Brasil, anunciam avanços importantes na eficácia do imunizante. Muitos países já começaram a imunização. O processo para começo da vacinação no contexto brasileiro ainda não terminou, porém é inevitável a chegada da vacina aos municípios brasileiros, paranaenses e litorâneos.

Zito, o primeiro vacinado contra a Covid-19 de Paranaguá, fez questão de deixar uma mensagem aos parnanguaras. Ele pediu solidariedade, confiança na vacina e na ciência, fé em Deus e positividade. É exatamente isso que desejamos também aos nossos leitores neste período difícil. Já passou da hora de entendermos que a pandemia veio para mostrar que a superação da dificuldade, com mortes e efeitos econômicos e sociais, só se constrói coletivamente, seja com as medidas sanitárias para evitar o contágio ou no pacto social conjunto para vacinação de todos.

Leia também: Acesso à Justiça no litoral do Paraná