conecte-se conosco

Economia

Exportações paranaenses crescem 9% no primeiro bimestre de 2023

Dos cinco produtos mais exportados, quatro tiveram aumento nas negociações

Publicado

em

Foto: Cláudio Neves/Portos do Paraná

O ano de 2023 começou com resultados positivos para as exportações do Paraná. No acumulado de janeiro e fevereiro, o resultado consolidado das vendas para outros países fechou 9% maior do que o mesmo período de 2022. Enquanto que nos dois primeiros meses de 2022 o Estado vendeu US$ 2.774.587.427 para o Exterior, em 2023 esse valor subiu para US$ 3.024.900.433. O levantamento (veja AQUI) é do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) a partir de dados do governo federal publicados nesta terça-feira, 7.

Dos cinco produtos mais exportados pelo Paraná nos dois meses, quatro tiveram aumento nas negociações. Líder nas exportações paranaenses, a carne de frango in natura teve incremento de 21,1% no bimestre, subindo de US$ 478.009.022 ano passado para US$ 578.740.823 no período em 2023. Sozinha, a proteína de frango representou 19,1% de todo o volume exportado pelo Estado em janeiro e fevereiro. 

O farelo de soja segue como o segundo principal produto enviado ao Exterior, com aumento de 49% nas vendas. A commodity passou de US$ 174.753.576 movimentados no primeiro bimestre do ano passado para US$ 260.396.297 em 2023. 

As vendas de cereais e óleo de soja bruto, por sua vez, não só ocuparam a terceira e quarta colocação entre os produtos mais exportados, como tiveram o maior incremento. Com US$ 253.998.362 vendidos em janeiro e fevereiro de 2023, a exportação de cereais aumentou 225,6% em relação aos US$ 78.006.243 nos dois meses de 2022. Já a venda de óleo de soja bruto para fora teve variação ainda maior: 244,5%, passando de US$ 40.494.482 para US$ 139.489.835.

PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS 

Entre os produtos industrializados, quatro tiveram aumentos expressivos nas exportações: automóveis, máquinas e aparelhos de terraplanagem e perfuração, veículos de carga e autopeças. 

Segundo maior polo automotivo do Brasil, o Paraná exportou US$ 110.167.868 em veículos em janeiro e fevereiro, aumento de 79,5% em relação aos US$ 61.389.936 do mesmo período do ano passado. 

As máquinas e aparelhos de terraplanagem e perfuração tiveram a melhor evolução nas exportações entre os produtos manufaturados nesse começo de ano. Em janeiro e fevereiro foram US$ 58.861.158 exportados, contra US$ 26.948.956 do período de 2022 – um aumento de 118,4%.

Já as exportações de veículos de cargas e de autopeças aumentaram 38,4% e 33,1%, respectivamente. A venda de veículos de cargas subiu de US$ 41.546.438 no primeiro bimestre de 2022 para US$ 57.489.248 em 2023. No caso das autopeças, as exportações passaram de US$ 32.616.280 para US$ 43.399.519 nesses dois meses de 2023.

DESTINOS 

O Paraná exportou para 190 países em janeiro e fevereiro. O top 10 de maiores compradores do Estado no bimestre é composto por China, Estados Unidos, Argentina, Japão, México, Chile, Holanda, Colômbia, Índia e Paraguai. 

A China segue isolada como maior importador do Paraná. O gigante asiático comprou US$ 311.690.368 em janeiro e fevereiro. Na segunda posição, os Estados Unidos compraram US$ 217.746.742 no período. Fechando o pódio dos três maiores compradores de produtos paranaenses vem a Argentina, com um volume negociado muito semelhante ao dos EUA: US$ 217.558.492.

Na quarta colocação vem o Japão, país onde o governador Carlos Massa Ratinho Junior está liderando uma missão de negócios para expandir a exportação de proteína suína e bovina do Estado. A economia japonesa adquiriu até aqui em 2023 o total de US$ 169.337.404, crescimento de 171,2% e que tende a aumentar com as negociações que estão sendo feitas neste mês de março no país pela missão organizada pela Invest Paraná, agência de captação de negócios do Governo. 

NOVOS MERCADOS 

Uma demonstração da força da produção paranaense é a conquista de novos mercados. As exportações do Estado tiveram aumentos significativos para países como Bangladesh (aumento de 346,3%, com US$ 51.744.609 movimentados), Iraque (aumento de 436,3%, com movimentação de US$ 22.925.903), Taiwan (aumento de 337,4% e US$ 22.905.819 movimentados) e Malásia (aumento de 679,7%, com movimentação de US$ 19.822.134).

A conquista de novos mercados está no planejamento do Governo do Estado. A Invest Paraná negocia para junho uma missão para Bangladesh, país com o qual o Brasil não tem tradição de relação bilateral. Entre os negócios que podem surgir dessa missão ao país asiático está a exportação de produtos alimentícios, como óleo de soja e açúcar, e a compra de produtos têxteis por empresas paranaenses.

Fonte: AEN

plugins premium WordPress