conecte-se conosco

Direito & Justiça

Juiz de Direito, Dr. Eduardo Vianna, visita a Folha do Litoral News

Magistrado é diretor do Fórum de Paranaguá e atua na 2.ª Vara Cível. Ele reforçou a importância de diálogo entre Judiciário e imprensa em prol da sociedade

Publicado

em

Na tarde da quinta-feira, 7, o Dr. Eduardo Ressetti Pinheiro Marques Vianna, diretor do Fórum da Comarca de Paranaguá e Juiz de Direito da 2.ª Vara Cível da Comarca de Paranaguá, acompanhado da esposa e advogada, Dra. Regina Vianna, visitou a sede da Folha do Litoral News, sendo recebido pelo diretor empresarial, Antonio Saad Gebran Sobrinho, e pela integrante do Conselho Editorial, Jacqueline Guimbala. Em entrevista, o magistrado destacou a atuação do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) em prol da sociedade, bem como a importância da imprensa para democratização da Justiça e em prol de avanços contínuos na comunidade local. 

Dr. Eduardo Vianna ingressou na Magistratura no estado de Rondônia em 2012/2013, passando no concurso público para Juiz de Direito no Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) em 2014, atuando em sua carreira como Juiz-Substituto em Santo Antônio da Platina, Juiz em Ribeirão do Pinhal e Joaquim Távora, Juiz Titular em Ubiratã, Reserva, Diretor e Juiz da Vara Cível de Palmas, Magistrado em Francisco Beltrão e atualmente em Paranaguá – PR como diretor do Fórum da Comarca de Paranaguá e Juiz da 2.ª Vara Cível.

“Vim para cá como Juiz Substituto do Criminal. As vagas acabaram abrindo e estou na 2.ª Vara Cível e dificilmente saia dalí”, ressalta, destacando que atua há seis meses na Magistratura em Paranaguá. “A minha família é inteira daqui. Conheço Paranaguá há 40 anos. Confesso que no aspecto social me dói dizer, mas Paranaguá não mudou muito. Eu acho que poderia ter alguma mudança. Vemos que Paranaguá tem um potencial no Paraná inigualável com o Porto, mas a gente vê que há 40 anos a gente não vê calçada bem feita, pavimento bom, me parece que a criminalidade aqui está bem elevada, mas é aquela coisa, o nosso Poder Judiciário e os demais Poderes nós respeitamos e iremos ajudar no que puder”, ressalta. 

“Acredito que Paranaguá ainda tem muito a ser feito, o que é bom por um lado, porque só tende a crescer, precisa de boa vontade, mas Paranaguá tem muito a desenvolver ainda. Eu gosto daqui, é a cidade da minha família inteira. Na parte do Judiciário, a gente está aí com o projeto do novo Fórum que deve sair nos próximos anos, provavelmente vai ser ali onde é o atual Fórum da Gabriel de Lara. Isso vai dar uma motivada. O Judiciário está empenhado, Paranaguá é uma comarca difícil, porque tem muito processo e situações extrajudiciais que a Comarca passou, mas com certeza a administração atual vem dando um gás para tentar resolver ao máximo”, afirma Dr. Eduardo. 

Imprensa e Judiciário

“Paranaguá e o litoral, até por essa questão social, eu acredito que a imprensa como a Folha do Litoral News, acaba sendo o principal vetor de informação da maioria da população, portanto é importante que tenha essa canalização e essa troca de informação”, afirma o Magistrado

O Magistrado ressalta o papel da imprensa no acesso à Justiça e como apoio ao Tribunal de Justiça do Paraná. “O Poder Judiciário deve ser o mais próximo possível da imprensa na questão de esclarecimentos, de deixar tudo transparente, até para não ter a questão das fake news, algo que vimos muito e que todos são vítima disso, a imprensa é vítima disso, o Judiciário também, todos somos. Acredito que quanto mais parceria e esclarecimento tiver, reduz a possibilidade de uma desinformação ou contrainformação”, ressalta.

“Graças a Deus eu não peguei isso, mas a gente ouvia falar de uma inacessibilidade aos Juízes e ao Poder Judiciário, acredito que hoje é o contrário, nossas portas têm que estar sempre abertas, escancaradas tanto para a sociedade, quanto para a imprensa. Paranaguá e o litoral, até por essa questão social, eu acredito que a imprensa como a Folha do Litoral News, acaba sendo o principal vetor de informação da maioria da população, portanto é importante que tenha essa canalização e essa troca de informação”, afirma Vianna. 

Diálogo com a sociedade

O Juiz de Direito salienta que é essencial que a Justiça Estadual seja acessível à população, com diálogo e respeito contínuo. “Quanto a mim, posso dizer com muita tranquilidade, basta chegar no Fórum, estou ali das 12h às 18h, minha porta vai estar aberta, a gente fala com qualquer pessoa, não precisa nem ser advogado, falamos com partes, porque muitas vezes há uma tendência de nós Juízes atendermos o advogado, mas isso funciona mais em cidades como Curitiba, Londrina, mas em Paranaguá que nós temos ainda uma certa dificuldade em acesso, se quiser tirar uma dúvida, vá no Fórum, não tem problema, a gente atende a hora que for, não tem esta questão de marcar hora, é só ir, vai ter assessor, vai estar a gente, a minha porta sempre está aberta e sempre vejo quem entra. A questão de acesso hoje é total”, completa.

“Eu vou além, isso eu posso dizer com tranquilidade, se você chegar ir até o TJPR hoje e o presidente do Tribunal não estiver em viagem, ele vai atender seja quem for, eu sei porque eu já vi ele fazer isso”, ressalta Dr. Eduardo, ressaltando a importância da união e das portas abertas, destacando recente reunião com a Ordem dos Advogados do Brasil – Paraná (OAB-PR). “A gente serve a sociedade, nós somos membros de um Poder que está servindo a sociedade, não podemos deixar o portão fechado. A porta sempre está aberta”, ressalta o Magistrado, deixando à disposição o site do TJPR e o telefone do Fórum (41) 3420-5000. 

“Espero que tenhamos uma longa e profícua parceria. Temos vários projetos hoje no Tribunal de conciliação e acesso à Justiça, o que queremos mesmo é motivar não apenas esta busca do Judiciário, pois pensamos às vezes que a pessoa só vai buscar o Judiciário quando tem problema, mas procuramos conceder uma orientação, muitas vezes algo que falta e, dentro da Lei e dos nossos limites, a gente sempre vai poder atender”, finaliza Dr. Eduardo Vianna. 

plugins premium WordPress