conecte-se conosco

Coronavírus

Aumenta a procura por testes para detecção de Covid-19 em Paranaguá

As solicitações aumentaram há, mais ou menos, 20 dias

Publicado

em

Foto: Divulgação / Shutterstock

O início de 2022 está sendo marcado por um intenso aumento na demanda nos laboratórios privados de todas as regiões por exames para detecção da infecção pelo novo Coronavírus. Dados da Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) mostram que entre os dias 3 e 8 de janeiro foram mais de 240 mil exames feitos. Esses números representam aumento de 98% no número de exames realizados, em comparação a semana do natal (20 a 26 de dezembro de 2021).

Com o crescente e repentino aumento de pessoas infectadas no litoral, algo que, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), “está diretamente ligado com a maior circulação de pessoas em todo o Paraná, devido às festividades de fim de ano”.

De acordo com a Dra. Isolda de Barros Maciel, Coordenadora da Área da Saúde da Unimed Paranaguá, há um aumento na procura por testes de Covid-19 em Paranaguá. “A Unimed tem registros de aumento da solicitação e execução de testes de Covid”, informou. “As solicitações aumentaram há, mais ou menos, 20 dias atrás”, acrescentou a Dra. Isolda.

A Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) orienta acerca da utilização criteriosa de testes para evitar risco de redução de oferta de exames para detecção da Covid-19. “A importância da testagem de toda a população para controle epidemiológico e manejo de pacientes em uma pandemia é reconhecida por todos os profissionais de saúde e até mesmo por pacientes. Todavia a Abramed alerta que, assim como em outras partes do mundo, a alta demanda de exames laboratoriais para o diagnóstico da Covid-19 trouxe ao setor de medicina diagnóstica brasileira a preocupação com a falta de insumos necessários para a realização desses exames”, frisou a associação.

No início de 2022, as pessoas têm procurado com mais frequência os atendimentos para a realização de testes para detecção do vírus. (Foto: Ari Dias / AEN)

A Unimed Paranaguá, desde o início da pandemia vem acompanhando o avanço e/ou queda nos casos positivados da Covid-19. No início deste ano, as pessoas têm procurado com mais frequência os atendimentos pelos planos de saúde para a realização de testes para detecção do vírus.

“Desde o início da pandemia, a Unimed acompanha diariamente os números de solicitações de exames, atendimentos em pronto atendimentos e consultórios médicos. Como também as internações em enfermarias/apto e nas UTIs de todos os beneficiários. Temos um serviço de acompanhamento via telefone para as pessoas que estão com Covid confirmada e que ficam em isolamento domiciliar”, relatou a Dra. Isolda de Barros Maciel, Coordenadora da Área da Saúde.

Prevenção

A Sesa reforça que as medidas de prevenção, como o uso de máscaras, lavagem das mãos e uso do álcool em gel permanecem sendo necessárias, juntamente com a continuidade da vacinação contra a Covid-19. A secretaria divulgou novas orientações para o isolamento de pacientes infectados com a Covid-19. Para aqueles que estão assintomáticos, o período é de sete dias, já nos casos em que o infectado apresenta sintomas leves e moderados, a recomendação é de dez dias. Os prazos passam a contar a partir da confirmação por meio de um teste PCR ou antígeno.

“A nossa orientação é que o beneficiário com sintomas respiratórios deve procurar atendimento médico, como o atendimento 24 horas no Hospital Paranaguá, e que sigam as orientações médicas. Recentemente disponibilizamos um ebook com orientações importantíssimas para a prevenção da propagação da Influenza H3N2 que também são muito úteis contra a covid-19. Este material pode ser encontrado em nosso site www.unimedparanagua.com.br”, finalizou a Coordenadora da Área da Saúde.

A alta transmissibilidade da nova variante Ômicron causou aumento exponencial de casos, o que vem demandando significativo aumento da  capacidade produtiva global de testes, tanto de PCR como de antígeno, e se os estoques não forem recompostos poderá ocorrer a falta de oferta de exames.

Com informações da Unimed, Sesa e Abramed

Em alta