Connect with us

Ciência e Saúde

Litoral do Paraná registra 153 casos de dengue

Em uma semana, região somou mais 10 casos

Publicado

em

O boletim da dengue, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) semanalmente, apontou que o litoral do Paraná registra 153 casos de dengue desde agosto do ano passado. Deste total constatado na região, 10 casos foram confirmados somente na última semana. A maioria dos acometidos pela doença são moradores em Paranaguá (127), seguido de Pontal do Paraná (13), Matinhos (6), Guaratuba (4), Antonina (1), Guaraqueçaba (1) e Morretes (1) também houve registro.

A Secretaria Municipal de Saúde de Paranaguá afirmou que as ações de combate à dengue não pararam. As equipes estão fazendo uma ação conjunta na Ilha dos Valadares em parceria com as secretarias de Urbanismo, Meio Ambiente e Segurança, visitando as residências e identificando os focos do Aedes Aegypti. A Ilha dos Valadares é o local que concentra o maior número de notificações para a dengue. Mas, a ação também será realizada no Centro e bairros como Leblon e região.

Causa de 105 óbitos

O litoral do Paraná não registrou óbitos em decorrência da dengue no período de agosto de 2019 até 14 de abril de 2020. No entanto, no Paraná, neste período, a dengue foi a causa de 105 óbitos. Este é o maior número relacionado a dengue em toda a série histórica da Sesa, que investiga e monitora a doença desde 1991.

“Em anos anteriores, o último surto de dengue ocorreu no período epidemiológico 2015/2016 com 56 mil casos confirmados em 322 municípios e 63 óbitos. No período 2019/2020 os números de confirmados são maiores que 100 mil casos e 105 pessoas perderam a vida em decorrência da dengue”, informou a Sesa.

Faixa etária

Entre as vítimas fatais, 54 foram do sexo masculino e 51 do sexo feminino, representando 50,5% do total. Cinco jovens, entre 10 e 19 anos e outras quatro pessoas com idade entre 20 e 29 faleceram por alguma complicação da doença. Na faixa de idade entre os 30 e 59 anos há registrado 22 óbitos, sendo seis homens e 16 mulheres. Embora a incidência maior seja em pessoas acima dos 70 anos (foram 53 no total, 24 homens e 29 mulheres), há 10 mulheres e oito homens com mais de 60 anos que tiveram como causa da morte a dengue.

Doenças associadas

A Sesa aponta que 62,9% das pessoas que morreram por dengue tinham alguma comorbidade. Quinze pacientes tinham no seu histórico de saúde hipertensão arterial sistêmica, outros 32 eram hipertensos e mais uma ou duas doenças (como Diabetes Mellitus, insuficiência renal crônica, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença autoimune ou cardiopatia). Três eram cardiopatas e três tratavam hepatopatia crônica. Seis eram pacientes com insuficiência crônica, quatro com doenças autoimune, um com poliartrose, um de doença pulmonar obstrutiva crônica e um com neoplasia.

Com informações da Sesa