conecte-se conosco

Agronegócio

Exportações do Paraná aumentam 11,7% nos primeiros oito meses de 2023

Paraná aparece em quinto lugar como maior exportador do País

Publicado

em

O Paraná teve saldo positivo na balança comercial nos oito primeiros meses de 2023 / Foto: Cláudio Neves/Portos do Paraná

As exportações paranaenses aumentaram 11,7% no acumulado de janeiro a agosto de 2023 em relação ao mesmo período de 2022. O Estado movimentou US$16,7 bilhões (cerca de R$82,7 bilhões) em vendas ao Exterior, contra US$15 bilhões (perto de R$74,3 bilhões) nos primeiros oito meses de 2022. Além disso, o Paraná aparece em quinto lugar como maior exportador do País e melhor colocado entre os estados do Sul.

O avanço nas exportações foi puxado pelo agronegócio. Só a venda de alimentos para outros países representou 61,6% das exportações paranaenses de janeiro a agosto, totalizando US$10,3 bilhões (cerca de R$51 bilhões).

A venda de soja em grãos segue como carro-chefe das exportações, totalizando US$3,8 bilhões (R$18,8 bilhões, aproximadamente). O segundo produto mais vendido fora do país é a carne de frango, com US$2,5 bilhões (cerca de R$12,3 bilhões). Na terceira colocação, o comércio de farelo de soja movimentou US$1,3 bilhão (perto de R$6,4 bilhões). A negociação de cereais ficou na quarta posição, com US$663,2 milhões (aproximadamente R$3,2 bilhões).

A venda de cereais para o Exterior foi a que teve maior aumento nas exportações, com crescimento de 60,5%. Já a exportação de soja cresceu 55% em relação ao mesmo período de 2022.

Entre os produtos manufaturados, a exportação de automóveis foi o destaque. Com alta de 19,9% em relação aos oito primeiros meses de 2022, o segmento contabilizou US$409 bilhões (perto de R$2 bilhões).

Foto: Cláudio Neves/Portos do Paraná

PAÍSES

A China segue como principal destino das exportações paranaenses, movimentando US$4,3 bilhões (R$21,3 bilhões) de janeiro a agosto – o Governo do Paraná está, inclusive, com uma missão oficial no país neste mês de setembro em busca de mais investimentos chineses no Estado. O gigante asiático também foi o país em que as exportações paranaenses aumentaram mais: crescimento de 53,8% em comparação aos oito primeiros meses de 2022.

A Argentina é o segundo principal destino, totalizando US$1,1 bilhão (cerca de R$5,4 bilhões). As vendas ao vizinho sul-americano tiveram variação positiva de 33,5% em relação aos oito primeiros meses do ano passado.

O Japão ocupa a sétima colocação entre os países compradores do Paraná. Porém, foi o país o qual as exportações paranaenses mais cresceram no período. Os US$466 milhões (perto de R$2,3 bilhões) vendidos de janeiro a agosto ao país asiático representaram aumento de 62,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

O México, que ocupa a quarta colocação entre os parceiros comerciais do Paraná, também teve um aumento significativo nas exportações. O Estado vendeu ao mercado mexicano US$679,3 milhões (perto de R$3,3 bilhões), alta de 35,1% em relação aos oito primeiros meses de 2022.

Foto: Cláudio Neves/Portos do Paraná

BALANÇA COMERCIAL

O Paraná teve saldo positivo na balança comercial nos oito primeiros meses de 2023. Enquanto as exportações somaram US$16,7 bilhões (cerca de R$82,7 bilhões) no período, as importações alcançaram US$12,1 bilhões (perto de R$60 bilhões). Com isso, o Estado teve superávit de US$4,6 bilhões (cerca de R$22,7 bilhões).

Adubos e fertilizantes lideraram a lista de produtos que o Paraná precisou comprar de outros países, com movimentação de US$1,4 bilhão (quase R$7 bilhões). Porém, esse volume representou uma queda de cerca de 50% em relação à importação de adubos e fertilizantes nos oito primeiros meses de 2022.

Os outros produtos mais importados pelo Paraná de janeiro a agosto foram óleos combustíveis (US$ 1,1 bilhão – perto de R$ 5,4 bilhões); autopeças (US$ 846,3 milhões – cerca de R$ 4,2 bilhões) e produtos químicos (US$ 783,7 milhões – perto de R$ 3,8 bilhões).

Fonte: AEN

plugins premium WordPress